Regras para frequentar as praias neste verão entram em vigor na quarta-feira. Foto arquivo: Praia Fluvial do Alamal (Gavião).

O Dia Internacional da Juventude decorre este ano sob o mote “Compromisso Jovem para a Ação Global” e vai ser assinalado na quarta-feira, dia 12 de agosto. No Alto Alentejo, as ações vão decorrer na Praia Fluvial do Alamal (Gavião) e na Barragem de Montargil (Ponte de Sor).

Diversas ações de sensibilização sobre sustentabilidade ambiental, através do envolvimento de mais de três mil jovens voluntários na limpeza de 35 praias, por todo o País, serão promovidas pelo Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), em parceria com o Conselho Nacional da Juventude e com a Federação Nacional das Associações Juvenis, no dia 12 de agosto. No distrito de Portalegre, a iniciativa decorrerá entre as 10h00 e as 18h00 na Praia Fluvial do Alamal, em Gavião, e na Albufeira de Montargil, em Ponte de Sor.

Nessa data, em que se celebra o Dia Internacional da Juventude, o IPDJ convida os jovens “a comemorar e integrar as suas vozes, ações e iniciativas, bem como, a defender o seu envolvimento pleno, universal e equitativo para enfrentar os desafios que a humanidade enfrenta”.

O objetivo passa por esclarecer a necessidade de envolver os jovens, tornando as instituições locais, nacionais e globais mais inclusivas, de forma a fortalecer a sua capacidade e relevância para alcançar uma ação global.

O Dia Internacional da Juventude foi criado por resolução da Organização das Nações Unidas (ONU), em 1999, e celebra-se a 12 de agosto. A cada ano, as comemorações associam-se a um tema diferente, por decisão da ONU. Em 2020 o tema é: “Compromisso da Juventude para a Ação Global”.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *