Foto: mediotejo.net

Cerca de 300 pessoas provenientes das comunidades ribeirinhas do Tejo são esperadas hoje em Lisboa numa manifestação convocada pelo Movimento pelo Tejo – PROTEJO, em protesto contra a poluição do maior rio ibérico e seus afluentes.

Em declarações à Lusa, Paulo Constantino, porta-voz do movimento ambientalista com sede em Vila Nova da Barquinha, no distrito de Santarém, disse que a ação de protesto “vai decorrer em Lisboa por dois motivos”, tendo destacado “a importância do Tejo para todas as comunidades ribeirinhas e da reserva natural do estuário do Tejo para os lisboetas”, e a “pressão junto da sede do poder político para aumentar a fiscalização e travar os crimes” ambientais.

“O objetivo é, por um lado, chamar a atenção dos lisboetas para os problemas da poluição do Rio Tejo, com casos identificados essencialmente a montante de Lisboa e com graves prejuízos para as comunidades ribeirinhas e para o próprio estuário do Tejo e, por outro, reafirmar ao poder político que a impunidade dos agentes poluidores tem de acabar de imediato e lembrar a necessidade de reforço dos recursos humanos e respetiva formação, enquanto agentes fiscalizadores ambientais”, defendeu.

Para esta manifestação “em defesa do Tejo”, que vai decorrer entre o Cais do Sodré e o Terreiro do Paço, com início às 15:00, o dirigente do movimento PROTEJO apelou à participação dos residentes na área metropolitana de Lisboa e perspetivou a participação de “algumas centenas de pessoas, talvez cerca de 300”, englobando representantes das comunidades ribeirinhas e associações ambientalistas.

Foto: mediotejo.net

As autarquias de Vila Nova da Barquinha, Entroncamento e Torres Novas, todas do distrito de Santarém, disponibilizaram autocarros para a população que queira participar na iniciativa.

Agência Lusa

Agência de Notícias de Portugal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *