Ponte de Sor vai crescer 14 hectares e inaugura Parque da Água em Foros de Arrão esta sexta-feira. Foto: DR

Segundo disse ao mediotejo.net o presidente da Junta de Freguesia, José Manuel Esporeta, trata-se de “dignificar” a entrada Norte da freguesia, ou seja a principal entrada, onde se encontra “um reservatório de água e dois furos de captação de água que abastecem a população” de Foros de Arrão. Recebe a designação de Parque da Água “numa homenagem a esse recurso vital”, notou.

Foros do Arrão é uma pequena aldeia do Alto Alentejo que fica numa ponta do distrito de Portalegre e que faz fronteira com o distrito de Santarém.

Esta obra foi projetada pela Junta de Freguesia de Foros de Arrão, com a responsabilidade do Município Ponte de Sor num apoio financeiro aproximado de 120 mil euros.

O Parque da Água transforma-se assim em “zona de lazer, com um lettering, mesas e bancos, um local para as pessoas passearem, com pérgulas em madeira, flores e quatro eiras” que futuramente receberão culturas, detalhou José Manuel Esporeta.

Parque da Água de Foros de Arrão. Foto: DR

Contudo, o presidente da Junta explica que o Parque da Água “não é o fim em si mesmo. É o rosto de um projeto maior” que começou a ser desenhado há três anos e que envolve uma negociação entre os municípios de Ponte de Sor e de Chamusca. Um processo de alteração dos limites do concelho que está a ser ultimado e que vai fazer crescer Ponte de Sor em 14 hectares, precisamente no território da freguesia de Foros de Arrão.

De acordo com José Esporeta, essa zona – que atualmente é concelho da Chamusca – passará a ser concelho de Ponte de Sor, integrada no perímetro urbano da freguesia de Foros de Arrão.

O presidente conjetura para aquele local não só o crescimento do Parque, que inaugura esta sexta-feira, mas ainda, por exemplo, “uma zona de investimento privado, ou um misto, uma zona de lazer ou mesmo urbanística”.

Ou seja, o processo de alteração dos limites do concelho resulta no Parque da Água, na possibilidade de melhoramentos da zona que liga à Avenida da Liberdade e a reabilitação de uma estrada.

Isto porque, explica o autarca, o processo “vai resolver outro problema. Arranjar em 4,5 km uma estrada de campo que liga à Parreira, à Chamusca, e dá acesso a Santarém, e que hoje tem más condições de circulação”.

Um processo que “está na fase burocrática” a ser tratado igualmente pelos dois municípios vizinhos. “Um projeto a curto, médio e longo prazo”, conclui.

PROGRAMA DE INAGURAÇÃO DO PARQUE DA ÁGUA

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.