Espaço Cidadão em Ponte de Sor e Montargil. Créditos: CMPS

O Espaço Cidadão, ponto de atendimento que reúne serviços de diferentes entidades num único balcão, chegou ao concelho de Ponte de Sor e tem espaços físicos no Edifício dos Paços do Concelho, na cidade, e no Centro Cultural em Montargil.

Os Espaços Cidadão são fruto de uma estreita colaboração entre a administração pública central e as autarquias locais ou juntas de freguesia, e pretende aproximar os serviços públicos das populações. No Espaço Cidadão a população tem acesso a inúmeros serviços da administração central, local e de entidades privadas que prestam serviços de interesse público.

Esclarece a vereadora, Alda Falca, que “nestes novos balcões pode, por exemplo, tratar da Carta de Condução, apresentar despesas da ADSE, pedir nova senha ou uma caderneta predial junto da Autoridade Tributária, tratar de assuntos relativos a emprego e formação profissional, fazer a alteração da morada do Cartão de Cidadão, solicitar o Cartão Europeu de Seguro de Doença ou realizar os serviços e-fatura, entre outros. São dois locais multisserviços com atendimento personalizado que vêm facilitar a vida dos munícipes”.

O Espaço Cidadão tem como objetivo prestar um serviço de proximidade às populações, garantindo que todos aqueles que não podem ou não querem recorrer aos serviços públicos digitais têm acesso a esses serviços com acompanhamento personalizado.

Segundo o Município de Ponte de Sor “este modelo permite servir melhor o cidadão, de forma mais rápida e próxima, promovendo a literacia digital por via do apoio assistido na prestação dos serviços públicos digitais e é uma mais valia para o concelho”, lê-se em nota de imprensa.

Todos os serviços disponíveis podem ser consultados no site institucional da Câmara Municipal de Ponte de Sor em www.cm-pontedesor.pt

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *