Inauguração da Área de Serviço de Autocaravanas de Ponte de Sor. Créditos: CMPS

A “Área de Serviço de Autocaravanas de Ponte de Sor”, inaugurada no dia 16 de julho, pela secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, vai abrir ao público no sábado, dia 1 de agosto, num projeto “há muito ambicionado pelo Município de Ponte de Sor”, deu conta a autarquia.

Foi a primeira ASA (Área de Serviço de Autocaravanas) das quarenta e nove que vão existir no Alentejo e Ribatejo, um projeto apoiado pelo Programa Valorizar do Turismo de Portugal e também a primeira a receber a certificação da Federação de Campismo e Montanhismo e o selo Clean and Safe do Turismo de Portugal.

Trata-se de um equipamento que se apresenta com um parque de estacionamento com capacidade para seis veículos, equipado com uma estação de serviço que disponibiliza condições de acesso a água, saneamento e energia elétrica.

Situado na zona desportiva, entre a cafetaria e o skate park, enquadrado no local onde se insere, não alterando nem suprimindo qualquer resposta existente e tendo uma zona neutra de vegetação adaptada ao local, realçou o Município de Ponte de Sor.

Esta área de serviço permitirá o estacionamento de curta duração, no máximo 72 horas, para descanso e apoio dos autocaravanistas em viagem.

O Município de Ponte de Sor entendeu como “estratégico integrar a Rede de Apoio ao Autocaravanismo no Alentejo e Ribatejo” uma vez que “o autocaravanismo é um pilar fundamental do desenvolvimento turístico, uma vez que não tem sazonalidade e tem especial apetência por espaços rurais fora dos circuitos de massas” considera.

As reservas e marcações podem ser feitas através do Posto de Turismo, no Largo Marquês de Pombal em Ponte de Sor, de segunda a sábado das 09h00 às 13h00 e das 16h00 às 19h00. Ou através do telefone 242 001 020, ou do e-mail: asa@cm-pontedesor.pt

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.