A PJ fez grandes apreensões de cocaína esta semana nos Portos de Sines e de Setúbal, em carregamentos de bananas provenientes da Colômbia. Fotografia: Unsplash

Dois homens foram detidos em flagrante pela Polícia Judiciária, na madrugada de sexta-feira, 24 de junho, quando descarregavam 300 kg de cocaína num armazém na zona de Ourém, avançou esta manhã a CNN Portugal.

A droga chegou da América do Sul por via marítima ao Porto de Sines, tendo sido depois transportada por estrada até Ourém, numa operação vigiada pela Unidade Nacional de Combate ao Tráfico de Estupefacientes da PJ, que tinha esta rede sob investigação.

Na passada quinta-feira, 23 de junho, a PJ realizou uma das maiores apreensões de cocaína de sempre no nosso país: 8,13 toneladas de cocaína que chegaram ao Porto de Setúbal dissimuladas em contentores de bananas da Colômbia.

Esta operação, denominada “Bananero”, decorreu ao longo das três últimas semanas e até o momento não foram anunciadas detenções, prosseguindo as investigações em Portugal e noutros países europeus, com a colaboração da Europol.

A cocaína, “dissimulada no interior de paletes de caixas de bananas transportadas nos porões de três navios de uma linha comercial que todas as semanas efetua ligações entre portos colombianos e vários portos europeus, destinava-se a abastecer os circuitos ilícitos de consumo em vários países europeus”, adiantou a PJ.

Esta operação “insere-se no quadro do esforço que coordenadamente tem vindo a ser desenvolvido pela Polícia Judiciária no sentido de se detetarem e apreenderem grandes carregamentos de cocaína que múltiplas organizações criminosas de cariz transnacional pretenderem fazer chegar regularmente ao continente europeu, que atualmente será o maior mercado ilícito daquele tipo de droga”, explica-se em comunicado.

Este ano foram já apreendidas em Portugal “um total de 12,176 toneladas de cocaína, o que, comparando com a totalidade da cocaína apreendida em todo o ano de 2021 representa já um aumento de 22,7%”, avança a PJ, apesar de estarmos ainda no 1º semestre do ano.

Patrícia Fonseca

Sou diretora do jornal mediotejo.net e da revista Ponto, e diretora editorial da Médio Tejo Edições / Origami Livros. Sou jornalista profissional desde 1995 e tenho a felicidade de ter corrido mundo a fazer o que mais gosto, testemunhando momentos cruciais da história mundial. Fui grande-repórter da revista Visão e algumas da reportagens que escrevi foram premiadas a nível nacional e internacional. Mas a maior recompensa desta profissão será sempre a promessa contida em cada texto: a possibilidade de questionar, inquietar, surpreender, emocionar e, quem sabe, fazer a diferença. Cresci no Tramagal, terra onde aprendi as primeiras letras e os valores da fraternidade e da liberdade. Mantenho-me apaixonada pelo processo de descoberta, investigação e escrita de uma boa história. Gosto de plantar árvores e flores, sou mãe a dobrar e escrevi quatro livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.