Percurso sonoro de Abrantes convida a descobrir a história da Cidade de forma diferente. Foto: CMA

Está disponível desde a passada sexta-feira, 8 de julho, um percurso sonoro (audiowalk) por algumas das ruas do centro histórico de Abrantes onde os visitantes são desafiados a seguir as pistas e fazerem uma visita mais atenta à cidade. Qualquer pessoa poderá utilizar e descobrir este percurso sonoro, bastando para o efeito ter um telemóvel com scanner QRcode, ter ligação à internet e partir à descoberta dos oito códigos que estão colocados em locais específicos e escutar.

“Tudo como dantes. Quartel-General em Abrantes” é o nome deste percurso sonoro que foi construído pela Casa da Esquina, com textos do ator Ricardo Correia que também dá voz ao projeto, juntamente com elementos do grupo de teatro Palha de Abrantes e alunos do curso de Intérprete/Ator/Atriz da Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes.

O audiowalk, que foi desenvolvido no âmbito do projeto intermunicipal Caminhos Literários, foi apresentado na sexta-feira, 8 de julho, com início na Biblioteca Municipal António Botto, partindo dali à descoberta dos oito pontos de escuta através da leitura dos oito QRcode: porta de entrada da Biblioteca Municipal António Botto, Igreja da Misericórdia, Rua D. Nuno Álvares Pereira à Rua da Barca, Outeiro de S. Pedro, Coreto no Jardim do Castelo, Teatro S. Pedro, Casa Falcão na Praça Raimundo Soares e Praça Barão da Batalha.

Percurso sonoro de Abrantes convida a descobrir a história da Cidade de forma diferente. Foto: CMA

Para o vereador Luís Dias, “este projeto é muito relevante para a construção de um território literário, é deixar algo mais no território para quem nos visite, para quem nos conhece e para quem quer, em Abrantes, perceber que, em qualquer rua, há sempre qualquer coisa para contar, sempre com muita história. É um produto turístico importante para quem nos visite, mas também para quem não conhece as nossas realidades”.

Luís Dias, vereador da Cultura, e Ricardo Correia, da Casa da Esquina. Foto: CMA

Na ocasião, o ator e criativo da Casa da Esquina responsável pelos textos do audiowalk de Abrantes, Ricardo Correia, explicou que “este percurso sonoro implicou uma recolha histórica e contou com a colaboração de vozes locais”. 

Neste percurso sonoro é possível descobrir várias narrativas que cruzam tempos sobre a cidade de Abrantes, desde a visita de Filipe II de Espanha, à pregação de Gil Vicente, às invasões francesas ou ao Teatro S. Pedro.

O percurso tem cerca de uma hora, com partida da Biblioteca Municipal António Botto e tem uma sequência para escutar cada um dos locais, no entanto o ouvinte é livre de escolher o caminho que pretender até chegar a eles.

Percurso sonoro de Abrantes convida a descobrir a história da Cidade de forma diferente. Foto: CMA

Para realizar o percurso sonoro de Abrantes é necessário ter um telemóvel com leitor de scanner QRcode, ter internet e em cada local há um QRcode que depois abre um link e vai ter a uma página onde se carrega no “play” para ouvir no local ou à medida que se vai caminhando até ao próximo ponto e “permite ir conhecendo as ruas e os lugares de outra forma”, destaca Ricardo Correia.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.