Os responsáveis das bibliotecas do Médio Tejo fazem recomendações de leitura no nosso jornal todas as semanas. Carmen Zita Ferreira, da Biblioteca Municipal de Ourém, sugere “Uma paixão simples”, de Annie Ernaux. Passe pela Biblioteca… e boas leituras!

ÁUDIO | SUGESTÃO DE LEITURA DE CARMEN ZITA FERREIRA
Pode ouvir esta e outras sugestões de leitura no canal de Podcast do mediotejo.net no Spotify

Annie Ernaux nasceu em Lillebonne, na Normandia, no norte de França, em 1940 e estudou nas universidades de Rouen e de Bordéus, sendo formada em Letras Modernas. É atualmente uma das vozes mais importantes da literatura francesa, destacando-se por uma escrita onde se fundem a autobiografia e a sociologia, a memória e a história dos eventos recentes. 

Galardoada com o Prémio de Língua Francesa (2008), o Prémio Marguerite Yourcenar (2017), o Prémio Formentor de las Letras (2019), o Prémio Prince Pierre do Mónaco (2021) e o Prémio Nobel da Literatura (2022) pelo conjunto da sua obra, destacam-se os seus livros Um Lugar ao Sol (1984), vencedor do Prémio Renaudot, e Os Anos (2008), vencedor do Prémio Marguerite Duras e finalista do Prémio Man Booker Internacional. Venceu em 2022 o Prémio Nobel da Literatura.

“Uma paixão simples”, de Annie Ernaux (Ed. Livros do Brasil, 2020).

O livro “Uma paixão simples” apresenta de um lado a personagem principal, uma mulher culta, independente, divorciada e já com filhos adultos. Do outro, um homem casado, estrangeiro, mais jovem, por quem ela perde completamente a cabeça e por quem espera, dia após dia. Se o tema parece trivial, não o é, de todo, o modo como os dois anos que dura esta “paixão simples” são contados: no seu estilo frontal, acutilante, despido de vergonhas e julgamentos, Annie Ernaux desfoca a linha ténue entre ficção e autobiografia e põe na voz da narradora as confidências da história de uma relação que toma conta de tudo, que extasia e rebaixa, fonte da maior felicidade e da mais dolorosa solidão.

Viver algo assim será, talvez, o maior privilégio da existência. Lançado em 1991, “Uma paixão simples” surpreendeu o panorama literário francês, quebrando os estereótipos do romance sentimental pelo seu erotismo e pela sua honestidade. Em 2020, o livro foi adaptado ao cinema por Danielle Arbid.

Sobre esta obra escreveu Eduardo Pitta, na revista Sábado: “Só uma grande autora podia escrever um livro assim, misto de diário (“não conto uma história”) e bloco de notas, 70 páginas de uma crueza desarmante: “Não quero explicar a minha paixão […] quero, simplesmente, expô-la.” Notável.”

Passe pela Biblioteca Municipal de Ourém e encontre este e outros livros de Annie Erxaux! Esperamos por si.

Fontes: ERNAUX, Annie, 1940- ; COELHO, Teresa, 1959-2009 – Uma paixão simples. 1.ª ed. Porto : Livros do Brasil, 2022. 70, [1] p. ISBN 978-989-711-080-1
[em linha] https://www.livrosdobrasil.pt/produtos/ficha/uma-paixao-simples/23816193  

Carmen Ferreira

Bibliotecária na Biblioteca Municipal de Ourém.
Natural de Ourém, nascida em 1974, licenciada em Línguas e Literaturas Modernas – Estudos Portugueses pela Universidade Nova de Lisboa – Faculdade de Ciências Sociais e Humanas. Ainda na FCSH concluiu em 1999 a Pós-graduação no Ramo de Formação Educacional e em 2002 a Pós-graduação em Cultura Portuguesa Contemporânea. É Mestre em Ciências Documentais, na variante de Bibliotecas e Centros de Documentação, pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa, com a Dissertação “Biblioterapia aplicada a idosos: um novo desafio para as bibliotecas públicas portuguesas” (2013).

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *