Os responsáveis das bibliotecas do Médio Tejo fazem recomendações de leitura no nosso jornal todas as semanas. “Pequenas Cadeiras Vermelhas”, de Edna O’Brien, é a sugestão hoje apresentada por Margarida Teodora Trindade, diretora da Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes, de Torres Novas. Passe pela biblioteca… e boas leituras!

PEQUENAS CADEIRAS VERMELHAS, de Edna O’Brien (Cavalo de Ferro, 2019)

Descrito por Philip Roth como a obra-prima de Edna O’Brien (Irlanda, 1930), Pequenas Cadeiras Vermelhas é um romance de 2015, mas publicado em Portugal pela Cavalo de Ferro em 2019, sob a magnífica tradução de Rita Canas Mendes.

O título da obra remete para um momento simbólico que teve lugar no assinalar dos vinte anos do Cerco de Sarajevo pelas tropas Servio-Bósnias, em 2012.
 
A narrativa do livro situa-se na Irlanda. Embora descritiva, a escrita de Edna O’Brien é limpa, fluida e ritmada e de ambiente intimista, dentro de uma evidente estética literária contemporânea.

Confrontamo-nos nesta leitura com o grande mistério que é a natureza do mal e do amor. Pode um monstro que se satisfaz com o mal, em simultâneo, ser capaz de amar o seu semelhante, de atuar com empatia e de apaziguar sofrimento?

Um romance corajoso, que coloca o dedo em várias feridas ainda abertas, de forma desassombrada e sem rodeios, trazendo ao de cima na narrativa a lembrança de convulsões identitárias e de atrocidades da história recente, ainda tão vivas na memória coletiva da europa e do mundo.

Em Pequenas Cadeiras Vermelhas, Edna O’ Brien convoca-nos para a grande reflexão que é a compreensão da natureza humana: o mal, o amor, o preconceito, o desespero e a redenção. Tantas vezes complementares e outras tantas dissonantes.

Consulte o catálogo on-line e passe pela Biblioteca Municipal Gustavo Pinto Lopes, em Torres Novas.

Boas leituras e, se for caso disso, boas férias.

Margarida Teodora Trindade

Diretora da Biblioteca Municipal de Torres Novas

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.