Os responsáveis das bibliotecas do Médio Tejo fazem recomendações de leitura no nosso jornal todas as semanas. “Milagrário Pessoal”, de José Eduardo Agualusa, é a sugestão hoje apresentada por Nuno Menezes Ferreira, diretor da Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill, de Constância. Passe pela Biblioteca… e boas leituras!

A sugestão da Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill para os leitores do Médio Tejo, é o romance “Milagrário Pessoal”, de José Eduardo Agualusa. Nascido na cidade do Huambo em 1960, é um dos nomes mais importantes da literatura angolana da atualidade, tendo vindo a ganhar alguns prémios literários importantes como o Independent Foreign Fiction Prize (2007), e o International Dublin Literary Award (2017), tendo publicado romances, contos e poesia, e repartindo a sua vida entre a ilha de Moçambique e Lisboa.

O romance retrata a missão de Iara, jovem linguista portuguesa que descobre que a língua portuguesa se encontra a ser subvertida globalmente, e com a ajuda do seu antigo e velho professor de filologia, homem de um passado sombrio e antigo anarquista angolano, tentam descobrir uma coleção de misteriosas palavras, que teriam sido roubados à “língua dos pássaros”, de acordo com um documento do século XVII.

A trama inicia-se em Lisboa, e sempre através dos olhos do Professor, vemos Iara e o Professor percorrerem o mundo lusófono, buscando o paradeiro suas palavras, através  suas histórias pessoais e dos seus “neologismos”, mas também das suas viagens. Surpreende ainda, pelo desfecho completamente inesperado, mas muito humano. 

Agualusa aproveita este romance para nos presentear com o imaginário e a abundância do mundo lusófono e da sua língua, a língua portuguesa, ressalvando a riqueza e a diversidade do léxico que os diversos povos e as suas culturas deram e dão para a língua falada hoje nos Países de Língua Oficial Portuguesa.

O romance de uma forma muito bela e especial é também uma reflexão das ligações ocorridas entre as diversas culturas na África de língua portuguesa, o Brasil e Portugal e uma viagem à história da língua de Camões, através das histórias que vão sendo recolhidas no Milagrário Pessoal.

Nuno Ferreira

Responsável pela Biblioteca Municipal Alexandre O'Neill em Constância

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.