Convidámos os responsáveis das bibliotecas municipais do Médio Tejo a fazerem as suas recomendações neste espaço de forma alternada, às segundas-feiras. “Mação na 1ª Grande Guerra”, de Mário Tropa Alves, é a sugestão apresentada esta semana por Rosário Wahnon, da Biblioteca Municipal de Mação.

Passe pela biblioteca… e boas leituras!

A I Guerra Mundial foi um momento determinante no percurso da história contemporânea europeia e mundial. Os seus efeitos marcaram, também, de forma significativa a História de Portugal. Entre tantos outros aspectos importa recordar que entre 1914 e 1918 partiram para a Guerra mais de 100 000 soldados portugueses. Combateram em África, lutaram na Flandres. Destes, 100 000, 225 eram de Mação.

Quando já se passaram mais de 100 anos da entrada de Portugal na frente europeia da 1ª Guerra Mundial, faz todo o sentido evocar o heroísmo, a coragem, as dificuldades, o sofrimento e o papel desempenhado pelos soldados Maçaenses neste grande conflito militar e que dignificaram o nome de Portugal. Mação tem, sempre teve, a vontade e o sentido de homenagear os seus.

O Monumento do Concelho de Mação aos seus 7 Mortos da Grande Guerra é um exemplo dessa memória que não podemos deixar perder, bem como mais tarde o Monumento aos Mortos no Ultramar, dois ícones que marcam também a nossa história, bem no centro do Vila de Mação, no Largo que dá nome aos Combatentes.

São memórias que não perderemos e que são agora eternizadas em livro por Mário Tropa.

É nosso dever perpetuarmos a história das nossas gentes, da nossa terra, de forma a conservar intactas as nossas memórias, de mostrarmos quem fomos e quem somos. Quem lutou pelo seu país, quem morreu pela sua Pátria.

Desde já vos convidamos a folhear este livro e a descobrir memórias que não ficaram esquecidas.

Rosário Wahnon

Diretora da Biblioteca Municipal de Mação

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.