Os responsáveis das bibliotecas do Médio Tejo fazem recomendações de leitura no nosso jornal todas as semanas. “A cidade de vapor, todos os contos”, de Carlos Ruiz Zafón, é a sugestão hoje apresentada por Nuno Ferreira, da Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill, de Constância.

A sugestão de leitura da Biblioteca Municipal Alexandre O’Neill recaiu no último livro de Carlos Ruiz Zafón, intitulado “A cidade de vapor, todos os contos”. De acordo com a nota do seu editor com que iniciamos a leitura dos contos, era pretensão do escritor publicar um volume que reunisse todos os seus principais contos, desejo que acalentava após ter finalizado a publicação do seu último romance da sua tetralogia “O cemitério dos livros esquecidos” em 2016.

Este livro reúne contos já publicados de forma separada e dispersos, na imprensa e em separatas que acompanharam os seus romances, conforme desejo do autor que por razões de saúde não viria a ver o resultado final.

Carlos Ruiz Zafón (1966-2020) é um escritor nascido em Barcelona, que inicia a sua carreira em 1993 com o romance “O príncipe da névoa”, obra pela qual que ganhou um prémio Edebé de literatura, mas foi com a “A sombra do vento” que se tornou um autor de muito sucesso a nível mundial, tendo vendido para cima de 15 milhões de livros por todo o mundo e sendo um dos escritores espanhóis mais traduzidos de sempre. Mas também pelas inúmeras distinções que teve entre prémios e menções honrosas ao longo da sua carreira.

“A cidade de vapor” reúne onze contos do autor em que a temática do gótico, do fantástico se mistura com os ambientes da primeira metade do século XX, tendo todos os contos como cenário principal a sua cidade de nascimento, que pela forma que é enquadrada nos contos se sente que o autor nutria muita paixão, a cidade condal de Barcelona.

No seu estilo direto e extremamente visual, talvez pela sua passagem pela área da publicidade, o autor transporta-nos para cenários em que a mística dos ambientes góticos da cidade se misturam com a modernidade de uma cidade que vira o século XX numa industrialização efervescente, que a tornou a cidade mais importante de Espanha em termos económicos e culturais, posição que ainda hoje rivaliza com a capital, Madrid. As temáticas que surgem nestes contos versam sobre a condição humana, a luta do bem e do mal, a escuridão e a luz.

Nos seus contos estão presentes figuras que certamente marcaram a sua literatura e o seu modo de ficcionar a realidade, como Don Miguel de Saavedra de Cervantes, a quem presta a sua sentida homenagem, mas também o maior arquiteto catalão e de Barcelona, Antoni Gaudí.

Nuno Ferreira

Responsável pela Biblioteca Municipal Alexandre O'Neill em Constância

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.