Parque Ambiental de Santa Margarida. Foto: mediotejo.net

O Município de Constância, através do Parque Ambiental de Santa Margarida, irá realizar nos dias 14 e 15 de maio a Feira da Primavera. Este ano trata-se de uma edição especial, pois é comemorativa do 20º aniversário do Parque Ambiental.

Esta é uma iniciativa de carácter cultural e ambiental que tem como objetivos contribuir para a salvaguarda do património natural e cultural da região, promover produtos de origem doméstica, artesanal e biológica e sensibilizar para uma relação positiva entre a Humanidade e a Natureza.

Durante a tarde dos dois dias, entre as 15h00 e as 19h00, decorrerá a mostra e venda de produtos de origem doméstica, artesanal e biológica.

No sábado, 14 de maio, às 14h30, haverá a oficina prática formativa “Óleos, macerados e manteigas vegetais e a sua utilização em cosmética natural”. Esta oficina com a duração de três horas, dinamizada por Carolina Oliveira, terá como objetivo dotar os participantes de conhecimentos para prepararem alguns produtos de cosmética com ingredientes de origem natural. A participação nesta oficina terá um custo de 20 euros.

No domingo, 15 de maio, às 10h00, será realizado um passeio pelo Parque Ambiental, cujo objetivo é dar a conhecer algumas das espécies de plantas mais emblemáticas que têm no Parque o seu habitat. O objetivo passa por descobrir orquídeas silvestres, plantas usadas pela comunidade local para os mais variados fins, espécies raras e outras que nos contam estórias interessantes. A participação nesta atividade é gratuita

A inscrição nas atividades é obrigatória e terá de ser efetuada até ao dia 12 de maio para a participação na oficina prática e até ao dia 14 de maio para a participação no passeio pelo Parque Ambiental. Para realizar a sua inscrição contacte o Parque Ambiental de Santa Margarida através do telefone 249736929 ou do endereço de correio eletrónico: parqueambiental@cm-constancia.pt.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.