Biblioteca Municipal António Botto. Foto: mediotejo.net

Em 2022 as Jornadas das Bibliotecas de Abrantes pretendem privilegiar “a função social da biblioteca, como agente de inclusão que orienta o seu foco de intervenção para os interessados e as necessidades da comunidade”, defendendo “uma biblioteca feita de pessoas, com pessoas e para pessoas”.

A autarquia informa que houve alterações ao programa do primeiro dia das Jornadas, sendo adiada para data oportuna a masterclass de Susana Silvestre, especialista na liderança de projetos participativos nas bibliotecas. Já a comunicação de Sofia Castro Fernandes, autora de cinco livros e de um dos blogs mais lidos do país (às nove no meu blogue), foi cancelada.

À noite haverá encontro com o escritor Rui Couceiro, editor de nomes como Luísa Castel-Branco, Bruno Vieira Amaral, Joana Marques e Cristina Ferreira, que virá a Abrantes apresenta o seu primeiro romance “Baiôa sem data para morrer”, da Porto Editora.

A CM Abrantes informa que foram canceladas as duas ações do primeiro dia, com Susana Silvestre e Sofia Castro Fernandes.

Decorrerá ainda o workshop “Voz e Comunicação”, dirigido pelo ator Marcantonio Del Carlo, e o também ator Paulo Pires participará num recital de poesia e harpa com Emanuela Nicoli.

As Jornadas das Bibliotecas de Abrantes destinam-se a bibliotecários, professores bibliotecários, técnicos de biblioteca, professores, educadores, animadores, mediadores de leitura e público em geral. As entradas são livres em todas as atividades.

As Jornadas das Bibliotecas têm o objetivo de fomentar o contacto entre todos os profissionais de informação-documentação, o mundo das bibliotecas (públicas e escolares) e as questões que se colocam à generalidade dos mediadores de leitura do nosso país.

PROGRAMA

JORNADAS DAS BIBLIOTECAS DE ABRANTES
Para que serve uma biblioteca, hoje?

25 de novembro de 2022 / 21H30

ENCONTRO COM O ESCRITOR RUI COUCEIRO
Apresentação do livro Baiôa sem data para morrer, de Rui Couceiro, da Porto Editora.
Com a presença do escritor. Entrada livre.

Rui Couceiro nasceu no Porto, em 1984. É licenciado em Comunicação Social, mestre em Ciências da Comunicação e tem uma pós-graduação em Estudos Culturais. Orgulha-se de ter crescido de joelhos esfolados, em Espinho. Foi campeão nacional de voleibol em todos os escalões de formação e considera que o desporto foi a sua principal escola. Durante a adolescência, decidiu que queria ser jornalista e, aos quinze, começou um percurso de oito anos numa rádio local. Estagiou na SIC e foi correspondente da LUSA, até perceber, em 2006, que afinal não queria o jornalismo, mas sim apostar noutra paixão – os livros. Foi assessor de comunicação e coordenador cultural da Porto Editora durante dez anos, até que, em 2016, assumiu funções de editor na Bertrand, tendo desde então a seu cargo a chancela Contraponto. Nos últimos anos, reatou colaborações com a comunicação social: primeiro, partilhou com a escritora Filipa Martins a autoria e apresentação do programa «A Biblioteca de», na rádio Renascença; atualmente, escreve para o site da revista Visão. É, desde 2021, membro do Conselho Cultural da Fundação Eça de Queiroz. Abandonou uma tese de doutoramento em Estudos Culturais, para escrever este romance.

26 de novembro – 29º ANIVERSÁRIO da Biblioteca Municipal António Botto
Biblioteca Municipal, Abrantes

26 e 27 de novembro / 09H30 – 13H00 e 14H30 – 18H00
WORKSHOP – “VOZ E COMUNICAÇÃO”
Por Marcantonio Del Carlo
Participação gratuita. Inscrição obrigatória. Número limite de participantes.

Este workshop permite o desenvolvimento de uma série de valências que são fundamentais nos tempos de hoje. Direcionado para todos aqueles, a partir dos 16 anos, que gostariam de desenvolver competências em áreas como: falar em público e projeção de voz; trabalhar a postura corporal; ter desenvolvidas as capacidades de empatia e socialização; trabalhar a confiança e a autoestima.

Através dos recursos da expressão dramática aplicados ao trabalho da voz, o que se pretende é transmitir técnicas adequadas para se conseguir uma melhor comunicação e dar a conhecer uma visão mais clara do trabalho que cada um dos formandos pode desenvolver para ser melhor ouvido e melhor entendido.

Marcantonio Del Carlo, 16/11/1965, de nacionalidade italiana. Licenciado na área de representação pela Escola Superior de Teatro e Cinema, detentor do grau de especialista na área de representação obtido na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, e do estatuto de Formador do Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua. Foi diretor da cadeira Técnicas de Interpretação em Cinema e Televisão do curso de Teatro e Artes Performativas na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, da cadeira Artes e Espetáculo na Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril. No teatro, desde 1989 que é ator e encenador profissional tendo participado em mais de cinquenta produções nacionais e internacionais. No cinema, além de ter participado como ator em mais de quinze longas-metragens, escreveu e realizou as média-metragens Mau Vinho (Douro Film Harvest 2013), O Tesouro (Vindouro, Douro Film Harvest 2013/Festival Vista Curta 2015) e Uma Pequenina Luz (Festival TAP da Lusofonia 2015). Em 2015, escreveu e realizou a longa-metragem Tábuas Com História (Vencedora do Los Angeles Brazilian Film Festival na categoria de melhor filme internacional). Também como autor tem três obras publicadas no âmbito da escrita teatral: DEGRAUS, 2008, Lisboa, Sete Caminhos; FIGURAÇÃO ESPECIAL, 2011, Lisboa, Fonte da Palavra; MSHOW, 2013, Lisboa, Fonte da Palavra. Fez parte da equipa de guionistas da SIC Filmes. Faz parte da direção da Associação Portuguesa de Locutores. É membro da Academia de Cinema Portuguesa. Desde 1996 que o seu trabalho como ator na televisão é reconhecido pelo grande público e pela crítica, tendo participado em inúmeras telenovelas e séries para a RTP, TV GLOBO, NETFLIX, SIC e TVI. Desde 2000 que dirige formações no âmbito do trabalho da voz/comunicação/media coaching em várias entidades ligadas ao ensino e empresas.

26 de novembro / 21H30

RECITAL DE POESIA E HARPA COM PAULO PIRES
CAMINHOS LITERÁRIOS
Biblioteca Municipal António Botto – Abrantes
Entrada livre, mas sujeita ao levantamento de bilhetes no Welcome Center – Posto de Turismo de Abrantes na véspera e, caso não esgotem, no dia do espetáculo na Biblioteca Municipal António Botto uma hora antes do espetáculo.

Momento de rara e fresca beleza lírica e musical com um depurado sentido estético, este recital traz-nos Paulo Pires, consagrado actor, em declamação de poemas de autores nacionais acompanhado pela leve e etérea musicalidade da Harpa com Emanuela Nicoli.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *