Os segways são uma aposta da Rodoviária do Lis, do grupo Rodoviária do Tejo Foto: mediotejo.net

A ideia de negócio já havia sido tentada em Fátima, mas sem sucesso. O grupo Rodoviária do Tejo, por meio da Rodoviária do Lis (que já detém o Comboio de Fátima), retoma agora o conceito dos passeios de segway, oferecendo a possibilidade de alugar o veículo ou fazer visitas guiadas pela cidade. O projeto foi apresentado esta terça-feira, 26 de junho, e tem apoio do município de Ourém.

Este “novo produto visa proporcionar às pessoas uma nova forma de descobrir Fátima”, explicou o presidente do conselho de administração do grupo Rodoviária do Tejo, Rui Silva. “Queremos continuar a contribuir com novas soluções de mobilidade para a região”, afirmou, salientando as vantagens do segway, seguro e ecológico, e uma atividade que se pode enquadrar tanto no turismo como em eventos que se realizem em Fátima.

Luís Albuquerque fez a viagem inaugural Foto mediotejo.net

“É um elemento que vem dinamizar a economia local”, referiu, e que será publicitado em Lisboa e no Porto. “Todo este projeto é uma aposta da Rodoviária em Fátima e na região”, afirmou. O responsável adiantou também que em breve serão realizadas obras na Rodoviária de Fátima, com o aumento da sala de espera.

O presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque, manifestou satisfação com a iniciativa e colocou o município ao dispor, salientando o grande crescimento turístico de Fátima. “A Rodoviária teve uma ideia feliz”, afirmou.

Reconhecendo a deterioração da avenida D.José Alves Correia da Silva, por onde os segways deverão circular, adiantou que em breve deverá ser lançado um concurso para requalificação. A estimativa é que as obras rondem os 130 mil euros. “Esperemos que este ano o problema fique resolvido”, comentou.

O autarca adiantou também que a partir de 1 de julho a Rodoviária vai iniciar um circuito turístico entre Fátima e o Castelo de Ourém, que se vai realizar duas vezes ao dia. O projeto, experimental, decorre até outubro.

O segway está disponível para aluguer, com um preço entre cinco (por 15 minutos) a 15 euros (por uma hora). Há ainda a possibilidade de realizar duas “tours”, visitas guiadas pela cidade de Fátima. Uma custa 45 euros, demora duas horas, e consiste num trajeto em torno do Santuário até à Via Sacra. O segundo circuito possui três horas, custa 60 euros, e acresce uma visita pelos Valinhos até à Igreja Paroquial de Fátima.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.