Domingos Neves (administrador Innovair), Rui Pedrosa (presidente IPL) e Nuno Rodrigues (vice-presidente IPL).

A Innovair, uma empresa sediada em Fátima, desenvolveu um sistema sensorial que permite analisar e monitorizar a qualidade do ar interior, em parceria com o IPL (Instituto Politécnico de Leiria). Este equipamento, que pode ser utilizado em diferentes setores como na indústria, saúde, bibliotecas e museus ou grandes centros comerciais, analisa os principais poluentes presentes do ar interior e alerta os utilizadores em tempo útil, no caso de se registarem valores fora dos parâmetros devidos.

Chama-se Innovar24 e pretende responder às premissas da legislação em vigor, decorrente da resolução do Conselho de Ministros n.º 135-A/2021. Fazendo a monitorização da qualidade do ar interior em tempo real, realizada apenas com um único dispositivo – algo que, até ao momento, era feito recorrendo-se à utilização de vários equipamentos – esta ferramenta alerta os utilizadores por SMS/email sobre a má qualidade do mesmo. Os resultados ficam registados numa aplicação web.

Desde o lançamento da marca, em 2019, foram feitas algumas atualizações de modo a assegurar a ventilação adequada dos espaços interiores e reduzir a pegada ambiental, através da melhoria da eficiência energética do equipamento, da otimização do algoritmo de monitorização da qualidade do ar interior e de alterações ao nível da produção dos seus componentes. 

Para Domingos Neves, sócio-gerente da Innovair, “o update deste produto surge na sequência da legislação que entrou em vigor, ainda este ano, que segue as orientações para a necessidade de existir sistemas de monitorização do CO2, de forma a garantir a boa ventilação dos locais interiores, acrescentando ainda que “o Innovair24 torna-se assim no único sistema sensorial, com um investimento na ordem dos 360 mil euros, que faz a medição da qualidade do ar interior”.

Domingos Neves, administrador da Innovair, refere que “o Innovair24 torna-se assim no único sistema sensorial, com um investimento na ordem dos 360 mil euros, que faz a medição da qualidade do ar interior”.

Domingos Neves salientou ainda a parceria de “excelência” estabelecida com o IPL “para o kick off do projeto em 2012, que conseguiram chegar a este resultado final.”

Já o presidente do Politécnico de Leiria, Rui Pedrosa, considera que se conseguiu “iniciar uma parceria que gerou investigação com impacto, empregabilidade qualificada para os nossos diplomados envolvidos no desenvolvimento da solução, contando com a participação dos nossos professores”, acrescentando também que “esta é a forma mais eficaz de partilhar conhecimento e colocá-lo do lado das empresas para que seja valorizado economicamente e que esteja ao serviço da qualidade de vida dos cidadãos”.

O Innovar24 avalia poluentes como compostos orgânicos voláteis, dióxido de carbono, formaldeído, humidade, monóxido de carbono, partículas (PM 1, 2.5, 10), pressão e temperatura.

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.