O pequeno Martim foi encontrado por militares da GNR, 25 horas depois de ter desaparecido em Ourém. O momento foi registado pelos próprios com uma selfie Foto: GNR

O caso do pequeno Martim, a criança de 23 meses de Amieira, freguesia de Urqueira, Ourém, que esteve desaparecida durante um dia e foi encontrada num pinhal próximo de casa, foi arquivado pelo Ministério Público, sem indícios de crime.

Segundo avança o Ministério Público, “na sequência de investigação para apurar as circunstâncias do desaparecimento de uma criança, de 23 meses de idade, o Ministério Público proferiu despacho de arquivamento no inquérito, por ausência de indícios da verificação de crime”.

“Os factos ocorreram cerca das 10 horas da manhã, do dia 24 de outubro de 2016, na casa da avó materna, em Ourém”, recorda. “Após a análise dos indícios recolhidos, não foi apurada a intervenção direta de terceiros no desaparecimento da criança, tudo apontando para que o mesmo se tenha perdido no pinhal próximo à residência”.

O Ministério Pública adianta também que “a situação foi comunicada à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Ourém”. Esta investigação teve o apoio da Polícia Judiciária.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *