Ao centro, o Secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, que presidiu à cerimónia. Foto: DR

Três momentos marcaram as cerimónias comemorativas do feriado municipal em Ferreira do Zêzere no dia 13 de junho: a sessão solene com discursos do presidente da Câmara, Bruno Gomes e do secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território, Carlos Miguel, a revelação da nova marca corporativa do concelho e a apresentação do Clube de Produtores de Ferreira do Zêzere.

Coube ao presidente da autarquia abrir a série de discursos no Centro Cultural. Após os cumprimentos da praxe, Bruno Gomes começou por fazer uma “saudação particular aos concidadãos” que vivem e trabalham fora do concelho, noutras regiões do país e no estrangeiro, dizendo que eles “são sempre bem vindos”.

No poder há cerca de oito meses, o autarca continua “a sonhar e a acreditar” numa forte dinâmica de desenvolvimento, num concelho mais próspero e com elevada capacidade de atração de pessoas por força da qualidade de vida que o concelho oferece.

Nesse sentido, apelou ao orgulho nos ferreirenses, no concelho e na região, não deixando de honrar a memória de todos os que contribuíram para o desenvolvimento e honraram o concelho, para quem pediu uma salva de palmas.

Ao membro do Governo ali presente, pediu “apoio” para concretizar os “projetos diferenciadores e singulares” que a autarquia ambiciona, desafiando à promoção de “políticas reais e de peso que alavanquem o interior e aumentem a coesão territorial”.

O presidente da Câmara contextualizou a situação atual marcada pela “crise energética, crise pandémica e guerra na Europa”, de que resulta falta de matéria prima e aumento dos custos dos materiais, fatores a que se junta a falta de mão de obra, com implicações nos orçamentos e nos prazos de execução das empreitadas e prestação de serviços.

Documento estruturante para a atual gestão autárquica é o Plano Estratégico Ferreira do Zêzere 20-30, um trabalho conjunto entre o Município, a comunidade e a Sociedade Portuguesa de Inovação que define as linhas estratégicas de intervenção e os critérios prioritários que devem estar na base das políticas municipais a curto, médio e longo prazo.

Um desses vetores é o “turismo de excelência e diferenciador” que está na base, por exemplo, da criação de infraestruturas nas zonas ribeirinhas.

“Independentemente das dificuldades sentidas ou antecipadas, não deixamos de sonhar e de acreditar nos objetivos delineados para o concelho”, garantiu o edil, para acrescentar: “o trabalho de proximidade que se tem vindo a desenvolver com os munícipes e com as várias entidades que têm responsabilidades no território facilitam a planificação de políticas e uma atuação mais fácil e ágil”.

Bruno Gomes abordou de seguida as oportunidades de financiamento e a questão da reorganização dos serviços, enaltecendo o trabalho dos colaboradores do município e o impacte positivo que está a ter essa nova estrutura.

“O Município de Ferreira do Zêzere está vivo e a pulsar de energia, de força e vitalidade”, vincou.

Ferreira do Zêzere – Terra de Sentidos

No dia do Concelho foi apresentada a identidade gráfica do Município de Ferreira do Zêzere. Num período em que os territórios são cada vez mais competitivos, a imagem tem uma importância extrema, pelo que se criou uma nova identidade gráfica, referiu a autarquia. Trata-se de uma imagem nova e agregadora de tudo o que o território tem para oferecer, nomeadamente o seu tecido empresarial, razão pela qual o concelho não deixará de ser a Capital do Ovo.

“São os ferreirenses que atribuem sentido ao território, vivendo aquilo que os rodeia e descobrindo cada recanto da sua terra. Divulgam-na das formas mais variadas – pela gastronomia, artesanato, edificado, cultura, desporto, indústria, entre muitas outras valências”, refere, justificando a frase Terra de Sentidos.

“A nova imagem pretende dar nota dos sentidos despertos pela beleza, texturas, cheiros, sabores e sons do território, assumindo-se enquanto espaço extraordinário e apelativo; Território de caminhos e percursos marcados pelo sentido de união, de pertença, harmonia e bem estar”, destaca a autarquia, num video promocional.

Secretário de Estado enaltece estratégia do município

“Os territórios fazem-se essencialmente com aqueles que cá estão e com aqueles que cá produzem. São que melhor sabem e melhor conhecem esta terra, esta gente, aquilo que melhor se faz, se pode produzir e onde deve estar o foco”, começou por referir o secretário de Estado da Administração Local e Ordenamento do Território.

Carlos Miguel enalteceu o facto de naquela sessão se destacar os produtores locais já que tal representa “dedicar ao presente e ao futuro desta terra”.

Congratulou-se com a estratégia do município de definir uma política de desenvolvimento para o futuro com prioridades a curto, médio e longo prazo.

“Hoje em dia uma câmara municipal é essencialmente uma prestadora de serviços à população enquanto antigamente era uma fazedora de obras”, afirmou o membro do Governo para, de seguida, abordar a questão dos financiamentos comunitários e as oportunidades que são dadas às autarquias.

Apresentação do Clube dos Produtores. Foto: DR

Clube de Produtores de Ferreira do Zêzere numa Terra de Sentidos

Para além da nova identidade gráfica do município, o dia do Concelho ficou também marcado pela apresentação do Clube de Produtores de Ferreira do Zêzere “um projeto que irá promover de forma conjugada a produção gastronómica e de artesanato deste concelho”, explica a Companhia Portuguesa, diretório de produtores gastronómicos portugueses cuja a missão é promover e divulgar a produção nacional em Portugal.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.