A festa de Natal do CHMT realizou-se pela primeira vez fora de portas do centro hospitalar. Foto: mediotejo.net

O evento uniu a comunidade, os doentes e os profissionais de saúde numa tarde de muita animação, em que se celebrou o verdadeiro espírito natalício, marcado pela esperança, solidariedade e gratidão. A festa de Natal procurou levar uma mensagem de esperança aos doentes internados no CHMT, aos seus familiares e também aos profissionais de saúde que dedicam a sua vida a cuidar da população do Médio Tejo.

Várias centenas de pessoas assistiram presencialmente aos diversos momentos de cantares, dança, teatro, magia e tradições, que passaram pelo palco do auditório do IPT e deram alento e força a quem não pode passar esta quadra junto dos seus entes mais queridos por estar a recuperar a sua saúde no Hospital.

Foto: CHMT

Em paralelo, a atividade foi também transmitida em streaming no canal de Youtube do CHMT, que contou com mais de 1.600 conexões durante as mais de quatro horas de Festa. Entre eles estiveram os utentes internados nas enfermarias das três Unidades do CHMT, bem como utentes que estavam nas Consultas Externas e salas da espera das urgências.

VIDEO/REPORTAGEM:

Assim foi possível “levar o brilho do Natal a quem está mais frágil” e a quem dedica a vida a cuidar da doença, dando-lhes um pouco mais de alento nesta época que vivemos. Foram 13 as atuações que abrilhantaram esta tarde de celebração da época natalícia: Tuna da Universidade Sénior de Ferreira do Zêzere, cantora Adélia Vitoriano, cantora Francisca Correia, Orquestra de Harmónicas de Ponte de Sor, Grupo Coral da Universidade Sénior de Sardoal, Grupo de Cavaquinhos da Formação Ocupacional de Seniores, Afonso Nunes – Apresentação de Magia, Música no Coração da Fábrica, cantora Lelita, Associação Orfeão, Grupo de Cantares da Casa do Povo de Montalvo, A Magia do Natal – Conto Musical pelo Grupo Escolar de Meia Via, Sociedade Filarmónica Gualdim Pais.

Ciente de que o Natal é um tempo de “emoções à flor da pele, mas também de esperança, renascimento e de reunião – que é há muito ansiada pelo contexto pandémico dos últimos dois anos”, o Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), constituído pelas Unidades Hospitalares de Abrantes, Tomar e Torres Novas, juntou “vontades e congregou toda a comunidade para oferecer aos doentes, às suas famílias e profissionais de saúde uma tarde em que a doença não estrague a festa”.

Casimiro Ramos, presidente do Conselho de Administração do CHMT., explicou ao nosso jornal como surgiu a possibilidade de trazer, pela primeira vez, o “Natal do CHMT” para fora de portas do centro hospitalar.

“A ideia se realizar o evento surgiu numa conversa ocasional com o professor João Coroado em que, digamos, quase que em jeito de brincadeira, falámos de fazer o Natal dos Hospitais aqui no IPT, no auditório, que tem umas excelentes condições. Efetivamente, lançando esse desafio, era algo que tínhamos mais ou menos em mente em fazer uma festa que envolvesse as três unidades e, de facto, é um auditório que permitia isso”, referiu Casimiro Ramos.

O presidente do Conselho de Administração acrescentou que a escolha do local teve em conta as condições necessárias para a realização do evento. “A ideia parte mais do facto das condições que tem em termos de acolhimento do que propriamente por ser fora do hospital. (…) Se a ideia continuar no futuro, também em Torres Novas, em Abrantes, em todos os outros concelhos há condições como este auditório e eventualmente poderá passar por outras instituições”, disse.

Francisca Correia foi uma das artistas que cantou e encantou a plateia do auditório do IPT. A jovem de Mação explicou ao mediotejo.net que o convite surgiu por parte da autarquia. “O convite foi-me feito pela Câmara Municipal de Mação, pela vereadora da cultura a Doutora Margarida Lopes e pelo Senhor Presidente da Câmara, Vasco Estrela. Fizeram-me o convite e eu, obviamente, sendo um evento tão especial, claro que só tinha que aceitar”, disse.

Depois da atuação em que brindou os presentes com a sua veia fadista, Francisca deu conta de um sentimento de gratidão. “O sentimento é de muita gratidão, muita solidariedade, principalmente por ser precisamente o Natal dos Hospitais. Consigo de uma maneira um bocadinho mais especial e a cantar, que é uma das coisas que eu mais gosto de fazer, proporcionar um momento agradável a quem se calhar não está como gostaria, principalmente nesta altura. É Natal, é tempo de abraçar e de estarmos felizes e por isso, podermos proporcionar momentos de felicidade uns aos outros acho que é o mais importante”, notou.

“A minha mensagem é que, para os doentes, não deixem de lutar, aproveitem cada segundo e cada momento da vossa vida ao mais alto nível, o máximo que conseguirem, e também para quem não está doente igual. Para todas as equipas médicas e auxiliares, todos e mais alguns, são uns heróis e continuem a fazer por nós aquilo que tão bem sabem fazer e um agradecimento muito especial por serem quem são e por fazerem o que fazem”, concluiu Francisca Correia.

A iniciativa, segundo Casimiro Ramos, procura “aprofundar mais a ideia de comunidade da região do Médio Tejo, de Centro Hospitalar Médio Tejo e não de algo espartilhado neste caso por três unidades hospitalares. Esse é um dos grandes objetivos. E uma das coisas que une as pessoas e que une quem tem necessidades é exatamente pequenos momentos de alegria e de distração”.

O gestor explicou que a união entre os três hospitais permite dar “uma resposta alargada” a um maior número de doentes. “A ideia de criar essa centralidade de toda a região é aquilo que nós achamos fundamental na ajuda que tem direta aos doentes (…); apesar de serem 3 hospitais que estão a 30 quilómetros de distância, em conjunto dão uma resposta alargada a 29 especialidades, a 2500 trabalhadores, através de um conjunto de práticas que fazemos diferenciadas, que procuram dar a resposta cabal a todas as necessidades”, frisou.

O responsável disse ainda que o CHMT é “o único centro hospitalar nos arredores que tem uma capacidade de internamento à volta de 480 camas. Portanto, se tivermos essa noção da dimensão que o Centro tem e aquilo que ele pode proporcionar aos utentes, através daquilo que é a união da comunidade, através de todos os seus concelhos em conjunto, estamos a fazer bem aos doentes”.

Também Casimiro Ramos se dirigiu à comunidade e deixou uma mensagem de esperança. “A mensagem que queremos deixar, em meu nome e em nome do Conselho de Administração, é uma mensagem de esperança. O SNS e as unidades do SNS estão para dar a resposta, para aceitar os desafios, para serem flexíveis àquilo que são as exigências, os desafios da nova era e estamos cá de braços abertos, com as portas abertas para acudir a todos, diminuir o sofrimento e salvar vidas”.

“Porque todos juntos, em rede, os cuidados de saúde primários, as autarquias, as unidades hospitalares, os bombeiros, juntos conseguimos cuidar de todos vós. Bom Natal, bom Ano Novo, muitas felicidades e muita saúde”, concluiu o presidente do Conselho de Administração do CHMT.

Esta foi uma iniciativa que nasceu de uma proposta da Comissão de Humanização do CHMT, e que contou com o apoio do Instituto Politécnico de Tomar bem como das 15 autarquias servidas pelo CHMT que não hesitaram em estar ao lado da Instituição nesta quadra tão especial. As mais de quatro horas de festa estão disponíveis AQUI para que quem não pode estar presente fisicamente possa também assistir, ou relembrar, este momento de celebração da época natalícia.

Jéssica Filipe

Atualmente a frequentar o Mestrado em Jornalismo na Universidade da Beira Interior. Apaixonada pelas letras e pela escrita, cedo descobri no Jornalismo a minha grande paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *