Em parceria com Paulo Mendes, Gabriela Pinto abriu a sua cozinha no Edifício ME TWO, na Rua da Indústria em Abrantes. Foto: mediotejo.net

A natureza é um tema recorrente nas criações da chef brasileira Gabriela Pinto, de 43 anos, e isso percebe-se assim que entramos na “Mon Sucré” e vemos alinhados alguns dos bolos com a sua assinatura, realizados em camadas e com um design evocativo de várias estações do ano. Lamentavelmente, estes bolos são mesmo só para “comer com os olhos” – fazem parte de uma exposição idealizada para marcar a inauguração de um espaço que há muito tempo habitava os seus sonhos: uma confeitaria de inspiração francesa.

“Para mim os bolos são obras de arte, não são apenas comida, a verdade é essa. Eu sempre quis que as pessoas entendessem isso e dessem valor ao trabalho artístico e por isso surgiu a ideia de fazer uma exposição. Se para mim é uma obra de arte, porque não expô-los como numa galeria?”, explica Gabriela Pinto.

Uma das criações da chef Gabriela Pinto, na “Mon Sucré”, em Abrantes. Fotografia: mediotejo.net

Dada a grande oferta no ramo da confeitaria, a “Mon Sucré Patisserie” aposta na confeção de bolos para eventos, procurando ocupar um lugar de destaque no mercado dos casamentos. A cada cliente são apresentadas criações exclusivas da chef confeiteira, que aliam um design único a receitas que “exaltam sabores, valorizam texturas e priorizam a qualidade e a frescura dos ingredientes”, diz.

O espaço em que a chef vai agora trabalhar, e onde pode receber os seus clientes para um serviço personalizado, oferecendo-lhes o que de melhor e mais atual há neste mercado, foi pensado ao pormenor e é marcado por um outro desejo de longa data: em vez de fechada entre quatro paredes, a chef queria estar rodeada apenas por vidro.

Do exterior, passando pelo Edifício ME TWO (Mercado do Escritório), na Rua da Indústria, em Alferrarede, é possível observar o atelier de Gabriela Pinto – e, quem sabe, até o seu método de criação artística, se coincidir com um momento em que ela esteja com “as mãos na massa”.

Atualmente a residir em Portugal, Gabriela Pinto é Chef da Confeitaria Mon Sucré e Chefe instrutora de cursos online. Foto: mediotejo.net

Formada em Comunicação Social e pós graduada em Marketing, foi na cozinha que descobriu a sua verdadeira vocação. Iniciou os estudos na Escola de Confeitaria Diego Lozano, em São Paulo, e prosseguiu-os em Paris, onde se especializou em Cake Design e Confeitaria Francesa, na École Lenôtre.

Gabriela Pinto foi proprietária e chef da empresa “Cacau Confeitaria”, no Brasil, e reside há 5 anos em Portugal, mas mudou-se por razões familiares para a cidade de Abrantes, onde agora decidiu investir.

ÁUDIO | Chef Gabriela Pinto

Apesar de pequeno em tamanho, o atelier abre todo um novo mundo de possibilidades através da exploração dos muitos utensílios que podem entrar no processo de confeção das criações únicas desta chef.

“O foco é criação. Eu gosto muito de testar coisas novas, de procurar materiais diferentes. Acho que vão notar na exposição que há materiais que a maioria das pessoas pensa que não se podem comer… e são todos comestíveis!”

Chef Gabriela Pinto

Para marcar a inauguração do espaço, a 25 de outubro, foi pensada a exposição “Quintessência”, que estará aberta ao público nos próximos dias. “Quintessência” visa homenagear a sua principal fonte de inspiração, “a perfeição da natureza no seu conjunto”, explica Gabriela Pinto. “A maioria dos meus bolos de design são pensados com texturas da natureza e a ideia surgiu por isso. Existem os quatro elementos, e porque não um quinto, que seria a junção de tudo?”.

ÁUDIO | Chef Gabriela Pinto

Recorrendo a uma grande diversidade de materiais, Gabriela Pinto explica que o seu foco está no processo criativo e na busca pela inovação.

GALERIA

ÁUDIO | Chef Gabriela Pinto

Gabriela Pinto espera com as suas criações artísticas deixar uma marca naqueles que procuram os seus serviços: “Para mim a cozinha é realmente uma responsabilidade, por fazer parte de algum momento importante na vida de alguém e [poder influenciar] as lembranças que terão desse momento”.

ÁUDIO | Chef Gabriela Pinto

Uns são mais simples, outros mais complexos, porém todos os bolos atravessam várias fases no processo de criação artística, que é pensado até ao mais ínfimo detalhe. Apesar de alguns clientes já terem referências do que procuram, na primeira conversa Gabriela Pinto faz diversas perguntas, porque o seu objetivo é sempre “criar um bolo exclusivo que ninguém mais vai ter igual.”

Falamos de um processo em que, entre a primeira reunião e a realização do protótipo, exige 15 a 20 dias de dedicação. No final, os noivos validam a criação original, que pode demorar até 15 horas a ser elaborada. Os valores das “obras de arte” de Gabriela Pinto começam nos 58€, variando de acordo com o tamanho do bolo, o estilo de decoração, o tempo de execução e a necessidade da finalização do bolo no local do evento.

ÁUDIO | Chef Gabriela Pinto

Quanto à viabilidade e sucesso do projeto, a chef revela-se otimista. “A minha expectativa é muito grande. Eu acho que as pessoas estão muito abertas a coisas novas e o facto de ser algo realmente diferente terá o seu mercado. Acho, aliás, que há mercado para todos.”

A “Mon Sucré” criou uma parceria com os vinhos do Casal da Coelheira. Foto: mediotejo.net

Num ambiente produzido para acolher a inauguração da “Quintessência”, os convidados puderam degustar algumas criações da chef brasileira. Foram servidos macarons, evocando a delicadeza da confeitaria francesa, acompanhados por um pairing de vinhos Casal da Coelheira, do Tramagal, com quem a “Mon Sucré” criou uma parceria.

A exposição, criada sob o mote “O elemento perfeito”, pode ser visitada até dia 11 de novembro, nas instalações da Mon Sucré, entre as 14h00 e as 18h00.

Jéssica Filipe

Atualmente a frequentar o Mestrado em Jornalismo na Universidade da Beira Interior. Apaixonada pelas letras e pela escrita, cedo descobri no Jornalismo a minha grande paixão.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *