O oleão permite receber o óleo alimentar usado acondicionado em garrafas ou garrafões de plástico. Créditos: Pixabay

Após a Valnor deixar de receber resíduos provenientes de óleos alimentares usados, o Município de Sardoal iniciou a instalação de uma nova rede de oleões, constituída por 12 equipamentos distribuídos pelas diversas freguesias do concelho, anunciou o vice-presidente da Câmara, Jorge Gaspar (PSD), em reunião de executivo.

“Este tipo de resíduo deitado para o esgoto normal é muitíssimo poluente”, notou Jorge Gaspar, tendo acrescentado que, “perante o fim da recolha por parte da Valnor, o Município não podia deixar de agarrar esta situação”.

Este “agarrar” passou pela contratualização com uma empresa, “para limpeza e recolha deste tipo de óleos que em termos operacionais se materializa na colocação de 12 oleões, muito recentemente colocados em 12 pontos do nosso concelho”, explicou o vice-presidente, fazendo um apelo à utilização dos equipamentos e na “importante” recolha seletiva de resíduos com foco na sustentabilidade ambiental.

Reunião de Câmara Municipal de Sardoal, esta quarta-feira 25 de maio. Créditos. mediotejo.net

O objetivo deste sistema é potenciar a correta separação e deposição de óleos alimentares usados, com proveniência do setor doméstico, designadamente, conhecidos como óleos de fritura (óleos, azeites ou óleo de conserva), que quando indevidamente depositado nos esgotos ou nos contentores para outros resíduos, provocam a contaminação da água e do solo, degradando o sistema de saneamento.

A localização exata dos 12 pontos de recolha será comunicada pela Câmara Municipal “muito brevemente” através do site do Município e também terá um espaço de informação no próximo Boletim Municipal, adiantou Jorge Gaspar.

O oleão permite receber o óleo alimentar usado acondicionado em garrafas de litro e meio e também garrafões de plástico de cinco litros devidamente fechados.

Jorge Gaspar explicou ainda que o contrato com a empresa prevê a criação de uma aplicação para telemóvel e “quem sabe no futuro” através da utilização dessa aplicação os munícipes que utilizem mais os oleões “possam ser premiados”, tendo em conta essa boa prática da separação e deposição de óleos alimentares usados.

Do lado da oposição, o vereador Pedro Duque (PS) revelou que também o seu partido estava “preocupado” com o fim desse serviço da Valnor e que “em boa hora a Câmara Municipal supriu essa lacuna”. Sugeriu ainda que através de ações de sensibilização se incentive o munícipe a utilizar os equipamentos.

Jorge Gaspar garantiu que no futuro “será feita uma campanha adequada de incentivo”.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.