Nossa Senhora dos Avieiros e do Tejo no Porto da Barca, em Tramagal. Foto: mediotejo.net

A Confraria Ibérica do Tejo anunciou o cancelamento, em 2020, do Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo, devido à pandemia da Covid-19. Na sua página da rede social Facebook escreve que “face à situação que atualmente se vive a nível global, a organização decidiu não realizar a VIII edição do Cruzeiro, em junho deste ano, ficando adiado para o próximo ano de 2021”.

Na VII edição do Cruzeiro Religioso e Cultural do Tejo, em 2019, iniciou a 25 de maio em Santiago de Alcântara, Espanha, para terminar 15 etapas depois, com a imagem de Nossa Senhora dos Avieiros a passar por 60 localidades ribeirinhas até chegar a Oeiras, 250 quilómetros depois, no dia 23 de junho.

O Cruzeiro é realizado por embarcações típicas do Tejo, como o tradicional picoto e a bateira, que transportam a imagem de Nossa Senhora dos Avieiros e do Tejo, em peregrinação fluvial, referindo que o saveiro, originário do peixe sável, “era a casa das pessoas que vinham de Vieira de Leiria”, nómadas a quem Alves Redol apelidou de “ciganos do rio” em 1942.

 

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.