CIM Médio Tejo investe 1.8 ME em sistema de bicicletas para uso público em 11 dos 13 concelhos da região. Foto: DR

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Médio Tejo vai investir 1 milhão e 850 mil euros num sistema intermunicipal de bicicletas para uso público, com apoio de 85% de fundos comunitários, tendo adjudicado a empreitada à empresa CME – Construção e Manutenção Electromecânica, S.A., no dia 22 de dezembro, foi hoje anunciado.

No global, segundo a CIM, “nesta primeira fase do projeto, prevê-se a aquisição de 252 bicicletas elétricas e 45 bicicletas convencionais”, sendo “implementadas no território 67 estações de parqueamento e carregamento, 466 docas e 14 quiosques”, distribuídas por 11 concelhos do Médio Tejo.

Na descrição do objeto do contrato celebrado está a “aquisição de bens e serviços referentes ao planeamento, implementação, gestão, operação e avaliação do sistema intermunicipal de bicicletas partilhadas para uso público no Médio Tejo – 1ª fase”, sendo o preço base do procedimento para “Aquisição de Bens Móveis” de 1.850.000.00 euros”, ao qual concorreram quatro empresas.

A CIMT do Médio Tejo tem sede em Tomar, agrega 13 municípios, sendo este projeto destinado a 11 concelhos da região, envolvendo, nomeadamente, os concelhos de Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha.

Abrantes e Sardoal são os municípios do Médio Tejo que não integram o projeto.

A CIM do Médio Tejo refere, no âmbito deste projeto de investimento, “estar atenta” às “questões ambientais e à importância da descarbonização da região”, sendo este sistema intermunicipal de bicicletas partilhadas “mais um passo significativo nestes âmbitos”.

O projeto “surge no âmbito do Plano Intermunicipal de Mobilidade e Transportes do Médio Tejo” e tem uma “estratégia assente no desenvolvimento da mobilidade clicável e que prevê um conjunto de medidas de intervenção e de promoção dos modos suaves”.

Segundo a CIMT, a “utilização da bicicleta para a mobilidade quotidiana da população, sobretudo para as deslocações por motivo de trabalho, estudo ou para o acesso ao comércio e serviços, é uma mais valia a vários níveis e uma oferta alternativa ao transporte motorizado”.

Com este projeto, “pretende-se dotar o Médio Tejo de um serviço público que incentive a mobilidade clicável na região e que contribua para a descarbonização”, tendo a CIM perspetivado que o arranque do serviço “ocorra ainda durante o ano de 2023”.

O contrato de adjudicação prevê a “obrigação de integração com outros sistemas de bicicletas de uso público de âmbito municipal, designadamente os sistemas previstos para as cidades de Torres Novas e Entroncamento”.

Com uma população na ordem dos 250 mil habitantes, a CIM Médio Tejo é composta pelos municípios de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *