Hospital de Abrantes. Créditos: mediotejo.net

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) obteve a classificação de excelência clínica em 12 especialidades (nove em Abrantes, duas em Tomar e uma em Torres Novas), uma distinção que é atribuída pelo Sistema Nacional de Avaliação em Saúde (SINAS), desenvolvido pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS).

A unidade com maior número de distinções é o Hospital Dr. Manoel Constâncio em Abrantes com o selo de “excelência” nas áreas clínicas de cardiologia (Enfarte Agudo do Miocárdio), ginecologia (Histerectomias), neurologia (Acidente Vascular Cerebral), obstetrícia (Partos e Cuidados Pré-natais), ortopedia (Artroplastias Totais da Anca e do Joelho), pediatria (Cuidados Neonatais) e cuidados transversais (Avaliação da Dor Aguda e Tromboembolismo Venoso no Internamento).

Já quanto ao item “Segurança do Doente”, parece ser o “calcanhar de Aquiles” do Centro Hospitalar, já que nas três unidades (Tomar, Torres Novas e Abrantes) “o prestador não cumpre com todos os parâmetros de qualidade mínimos exigidos, de acordo com a informação fornecida”, segundo o SINAS.

A mesma avaliação insuficiente é feita quanto à “Adequação e Conforto das Instalações” da unidade de Abrantes.

O Hospital Rainha Santa Isabel, em Torres Novas, conquistou a distinção de Excelência Clínica apenas na Área de Pediatria (pneumonia). Também recebeu a distinção máxima no item “adequação e conforto dos espaços e equipamentos”.

Por fim e para completar o triângulo do Centro Hospitalar, o Hospital de Nossa Senhora da Graça, em Tomar, viu reconhecida a excelência nas áreas de Cirurgia de Ambulatório e Cirurgia Geral (Cirurgia do Cólon). Recebeu também nota positiva no Rating “Adequação e Conforto dos espaços e equipamentos”.

O Hospital de São João Baptista, propriedade da Santa Casa da Misericórdia do Entroncamento, obteve o selo de Excelência Clínica nas áreas de Cirurgia de Ambulatório e de Ortopedia (Artroplastias Totais da Anca e do Joelho).

Há três itens (Segurança do Doente, Adequação e Conforto das Instalações e Satisfação do Utente) em que, segundo o SINAS, o hospital do Entroncamento “não cumpre com todos os parâmetros de qualidade mínimos exigidos, de acordo com a informação fornecida”.

Estes dados constam de um relatório recentemente divulgado e resultam de uma análise que visa “avaliar, de forma objetiva e consistente, a qualidade dos cuidados de saúde em Portugal, especificamente a dimensão da excelência clínica” – critério que é analisado bianualmente.

O SINAS é, segundo a ERS, desenvolvido com base nos valores do rigor, da transparência e da objetividade, e pretende garantir o acesso dos utentes a informação adequada e inteligível acerca da qualidade dos cuidados de saúde nos diversos prestadores, promovendo a tomada de decisões mais informadas e a melhoria contínua dos cuidados prestados.

No SINAS@Hospitais são avaliados, a título voluntário, 162 prestadores de cuidados de saúde de natureza hospitalar, dos setores público, privado e social.

Trata-se de uma avaliação multidimensional da qualidade global dos serviços de saúde, cobrindo as dimensões Excelência Clínica, Segurança do Doente, Adequação e Conforto das Instalações, Focalização no Utente e Satisfação do Utente.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Entre na conversa

1 Comentário

  1. Excelente assistência, profissionais exemplares, profissionalismo sem falhas.
    Um muito bem haja a todos os que prestaram assistência a um familiar meu.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.