ACES Médio Tejo chega aos 881 infetados, 23 óbitos e tem 637 pessoas recuperadas da doença. Foto: DR

Devido à evolução da pandemia da covid-19, a utilização de máscaras é cada vez mais um assunto em debate, como medida complementar para limitar a transmissão do novo coronavírus. E foi tema na última reunião de Câmara Municipal de Abrantes, com o vereador Rui Santos a sugerir ao executivo que adquira “um conjunto vasto de máscaras que possa ser distribuído aos profissionais numa primeira linha e à população em geral numa segunda linha. Gesto que será um incentivo para que as pessoas usem máscara”, considera.

Em resposta, o presidente da Câmara, Manuel Jorge Valamatos (PS), afirmou que a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) encontra-se em processo de análise para aquisição de máscaras ditas sociais e respetiva distribuição pela população do Médio Tejo, tendo em conta as recentes orientações da Direção Geral da Saúde sugerindo que a generalização do uso de máscaras pode representar “a diminuição de taxas de contaminação”.

Isto porque, atualmente, um dos maiores problemas prende-se com a aquisição deste tipo de equipamento de proteção individual, um produto “difícil” de encontrar no mercado e a preços que considera “vergonhosos”.

“Os preços por unidade subiram de forma vergonhosa – uma máscara que custava 50 cêntimos agora custa 2,50 euros”, criticou o presidente.

A pandemia de covid-19 tem estado, aliás, na primeira linha das preocupações e dos temas principais em discussão nas reuniões do Conselho Intermunicipal, onde têm assento os autarcas da região, que, em conjunto com a CIMT, e indo ao encontro às orientações que têm vindo a ser proferidas pelos serviços de saúde, “estão a preparar-se para num futuro muito próximo poderem distribuir de uma forma generalizada à população do Médio Tejo máscaras não descartáveis, permitindo várias utilizações”.

Em comunicado a CIMT nota que “o uso de máscaras em locais públicos fechados ou de trabalho deverá ser seriamente equacionado não só durante todo este período, bem como durante o período da fase de ‘normalização’ de toda esta situação que poderá demorar ainda uns largos meses”.

Neste sentido, entendem os autarcas que é premente sensibilizar os cidadãos do Médio Tejo para esta questão, “através de uma campanha com forte carácter pedagógico, sobre várias questões, damos como exemplo o uso correto da utilização deste tipo de máscaras, de modo a que os riscos sejam menores para quem as usa”.

A CIMT sublinha que tal aquisição será “um investimento financeiro avultado” contudo, os autarcas dos 13 concelhos do Médio Tejo entendem que “este será mais um esforço que tem de ser feito a bem da população e de todos nós”.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.