Foram detetados na localidade de Ortiga níveis elevados de cloro na água da rede pública, alertou a Tejo Ambiente. Foto ilustrativa: DR

A empresa intermunicipal Tejo Ambiente publicou uma nota no site oficial, assinada pelo gabinete de Comunicação e Imagem Tejo Ambiente, fazendo alerta e uma série de recomendações aos utilizadores de abastecimento de água na freguesia de Ortiga, concelho de Mação, após se terem verificado níveis anormais de cloro, acima do legalmente recomendado, em vários pontos da rede pública do sistema de abastecimento de água naquela localidade. Segundo fonte da empresa, esta sexta-feira, dia 20 de janeiro, a situação já se encontrava regularizada.

A Tejo Ambiente refere ter verificado o problema no dia 17 de janeiro, observando “valores de cloro residual cuja concentração ultrapassa o valor recomendado pela legislação, em vários pontos de consumo da rede pública de abastecimento de água que gerimos”.

O alerta surgiu durante “a execução do plano de purgas efetuado pelo Operacional de Qualidade da Água da Tejo Ambiente”.

A empresa diz ter solicitado “esclarecimentos à entidade em alta, Águas do Vale do Tejo (ADVT), relativamente a esta deteção”, acrescentando que “esta alegou que o problema foi motivado por uma avaria na bomba doseadora e que iriam avançar para a resolução imediata, indicando-nos um prazo de 2 dias para o restabelecimento dos valores normais deste parâmetro, em toda a zona de abastecimento”, pode ler-se.

Por fim, a Tejo Ambiente – Empresa Intermunicipal de Ambiente do Médio Tejo deixa recomendações aos ortiguenses, solicitando que as adotem “nos próximos dias e até informação contrária”.

Recomenda a empresa que:

– Antes de consumir água deixe correr livremente a água da sua torneira durante 1-2 minutos;

– Utilize, preferencialmente, jarros ou garrafas de vidro para armazenar água para consumo humano;

– Armazene água nos recipientes referidos no frigorífico de forma tapada, dado que a baixa temperatura neutralizará o cheiro e o sabor sentidos pelo consumidor, termina a informação.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *