Foto: CMM

O Dia Internacional da Convenção dos Direitos da Criança e o Dia Nacional do Pijama foram celebrados em Mação, no dia 20 de novembro, sob o mote “Serei o que me deres… Que seja Amor!”. Num iniciativa promovida pela Câmara Municipal e pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens, foram entregues algumas lembranças às crianças do concelho e foi feita exposição do “Estendal dos Direitos da Criança”. Também uma mensagem especial foi produzida e divulgada em vídeo para chegar a todas as crianças e suas famílias.

Em tempo de pandemia as atividades que era costume serem realizadas, desde 2013, tiveram de reinventar-se. Como tal, e comemorando o Dia do Pijama, em conjunto com a Mundos de Vida, voltou a lembrar-se que “Uma criança tem direito a crescer numa família”.

Em Mação foi realizada a exposição do “Estendal dos Direitos da Criança”, e oferecido um iô-io pela Associação de Pais e um pijama pela Câmara Municipal de Mação, em colaboração com a CPCJ, às crianças dos jardins-de-infância e escolas do 1º ciclo do concelho.

Segundo a autarquia, a entrega destes mimos aos mais novos foi feita “pela equipa Pijama, composta por técnicos da Biblioteca, Ação Social e CPCJ de Mação, cujos elementos se dividiram por turmas, dois em cada uma, com proteção, e de acordo com as normas da DGS para estas atividades”.

Juntamente com o pijama oferecido seguia uma mensagem para que as crianças “se sintam especiais, como são, e amadas, como merecem”.

Na mensagem que acompanha o pijama pode ler-se “Este Pijama é especial. Podem dormir com ele, brincar com ele, passear com ele. Representa o aconchego do lar, o conforto da nossa casa, o Amor da nossa Família e esta terra que tanto faz para que as suas crianças sejam felizes! Este é o Vosso pijama!”, refere a autarquia.

Por fim, foi realizado um vídeo a assinalar a data, pelas técnicas da autarquia  e CPCJ Mação, “com mensagens de esperança”, sendo “uma surpresa da equipa Pijama e algumas imagens dos últimos anos, porque recordar é viver”.

Joana Rita Santos

Formada em Jornalismo, faz da vida uma compilação de pequenos prazeres, onde não falta a escrita, a leitura, a fotografia, a música. Viciada no verbo Ir, nada supera o gozo de partir à descoberta das terras, das gentes, dos trilhos e da natureza... também por isto continua a crer no jornalismo de proximidade. Já esteve mais longe de forrar as paredes de casa com estantes de livros. Não troca a paz da consciência tranquila e a gargalhada dos seus por nada deste mundo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.