Foi publicada em Diário da República o regulamento do “Prémio Villa Portela”, que tem este ano a sua quarta edição. Promovido pelo município de Leiria, este é um prémio de dois mil euros para investigações sobre história e património do distrito de Leiria e concelho de Ourém. A receção de originais decorre até 15 de outubro.

A Villa Portela é uma vasta área ajardinada com um chalet do século XIX que se encontra na zona nobre da cidade de Leiria, tendo o município adquirido finalmente a propriedade em 2017 para fins culturais. Com a aquisição, a Câmara de Leiria assumiu também a obrigação de suportar de dois em dois anos o “Prémio Villa Portela”, anteriormente instituído por Ricardo Charters d’ Azevedo, anterior proprietário da Villa Portela, e cuja terceira edição ocorreu em 2016.

O prémio tem o valor de 2 mil euros e foi criado no intuito de desenvolver o gosto pela investigação da história local e do património do distrito de Leiria e do concelho de Ourém. Destina-se a galardoar os trabalhos de investigação selecionados por um júri, que versem sobre um ou vários aspetos desta temática.

No objetivo de tornar todo o concurso mais transparente, o município aprovou agora o regulamento, que já se encontra em vigor.

A receção de candidaturas decorre até 15 de outubro, sendo que apenas será premiado um trabalho sobre história local ou património do distrito de Leiria e concelho de Ourém. Podem concorrer todos os cidadãos nacionais e estrangeiros, maiores de idade, podendo apresentar apenas um trabalho.

A candidatura, sob pseudónimo, tem que ter a natureza de monografia e o desenvolvimento e a extensão necessários à plena compreensão dos temas tratados, num mínimo de 100 páginas. O trabalho tem que ser inédito, em português, e versar sobre um ou vários aspetos da história local e património do distrito de Leiria e concelho de Ourém.

O júri é constituído por um representante do município de Leiria, que preside; um representante do Instituto Politécnico de Leiria; um investigador de renome a designar pela Câmara Municipal de Leiria.

Para mais informações deve-se consultar o regulamento.

Cláudia Gameiro

Cláudia Gameiro, 32 anos, há nove a tentar entender o mundo com o olhar de jornalista. Navegando entre dois distritos, sempre com Fátima no horizonte, à descoberta de novos lugares. Não lhe peçam que fale, desenrasca-se melhor na escrita

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.