Quando os eleitores do distrito de Santarém forem votar no próximo domingo encontrarão 15 partidos no boletim de voto: além dos 9 que já têm representação parlamentar (BE, CDS, CDU, Chega, Iniciativa Liberal, Livre, PAN, PS e PSD), concorrem ainda Ergue-te, R.I.R. – Reagir, Incluir, Reciclar; MPT – Partido da Terra, Partido Trabalhista Português, Volt Portugal e MAS – Movimento Alternativa Socialista.
 Quem são e o que defendem os cabeças de lista destes partidos? Aqui fica uma breve apresentação de cada candidato e as suas respostas ao inquérito do nosso jornal.

BE – BLOCO DE ESQUERDA
Cabeça de lista | Fabíola Cardoso

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?
O Bloco de Esquerda apresenta-se a estas eleições com três prioridades: Saúde, Salários e Clima. No Médio Tejo, em todo o distrito de Santarém e no país, estes são os compromissos que assumimos para construirmos uma sociedade mais justa. Infelizmente, o governo do PS não quis negociar, tal como nunca quis investir satisfatoriamente no Serviço Nacional de Saúde. É por isso que agora faltam médicos de família, meios complementares de diagnóstico e os profissionais da saúde que ainda cá estão, trabalham exaustos, fazendo milhões de horas de trabalho suplementar. Esta será uma prioridade.
No salário e nas pensões, queremos romper com as políticas da miséria. A estagnação do salário médio, a fraca proteção social e as penalizações nas reformas são obstáculos ao desenvolvimento de Portugal.
É igualmente urgente responder à catástrofe climática. Se o fizermos, asseguramos o futuro. Para isso, temos que reduzir as emissões de gases que provocam o aquecimento global, através do aumento dos transportes colectivos, de qualidade e tendencialmente gratuitos. As obras na Linha do Norte e o investimento na ferrovia são essenciais para o desenvolvimento da região. Toda a rede hidrográfica do Tejo tem de ser protegida e cuidada. Continuarei este trabalho sem esquecer a necessidade absoluta da nova Ponte sobre o Tejo entre a Golegã e a Chamusca.
Estas são razões fortes para votar Bloco de Esquerda, derrotar a extrema direita e iniciar um novo ciclo de estabilidade governativa.

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – SIM
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM 
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – SIM
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – NÃO
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros do Estado à tauromaquia – SIM

***

CDS-PP
Cabeça de lista | Pedro Melo

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?
Temos 5 eixos principais de acção política prioritária: produção nacional; água; acessibilidades; saúde e património cultural & tradições nacionais. Destaco, conforme o solicitado, três medidas concretas, a saber:

  1. Redução do gasóleo agrícola / gasóleo verde para que os nossos agricultores e produtores pecuários possam ser mais competitivos;
  2. Construção da barragem do Alvito e expansão da área do regadio.
  3. Construção de um novo Hospital, em Vila Nova da Barquinha.

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – NÃO
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – NÃO; já existem descontos para as pessoas e empresas que vivem nas zonas servidas pelas concessões rodoviárias.
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – NÃO
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros do Estado à tauromaquia – NÃO

***

CDU – COLIGAÇÃO DEMOCRÁTICA UNITÁRIA (PCP/PEV)
Cabeça de lista | António Filipe

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?
1.º Elevação geral dos salários e das pensões. Portugal não pode ser economia assente nos baixos salários. As baixas pensões decorrem dos baixos salários e as pensões de amanhã dependem dos salários de hoje. É imperioso aumentar o salário mínimo mas é também essencial que isso corresponda a um aumento geral dos demais salários.
2.º Aumento significativo do investimento no serviço nacional de saúde, particularmente ao nível dos cuidados de saúde primários. É preciso garantir cuidados de saúde acessíveis à generalidade da população, particularmente à população mais idosa e distante dos centros hospitalares.
3.º Dinamização da atividade económica, recuperando o controlo público de setores estratégicos e apoiando as micro, pequenas e médias empresas.

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – SIM
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – SIM
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – NÃO
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros do Estado à tauromaquia – O PCP e o PEV têm posições diferentes sobre a tauromaquia.

***

CHEGA
Cabeça de lista | Pedro Frazão

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?
Três pilares: Indústria/Comércio, Mundo Rural e Saúde. No primeiro; a redução dos impostos diretos (IRS e IRC), de modo a estimular o crescimento económico para reindustrializar o distrito na recuperação de economias perdida, para reconversão de unidade empresariais, para a bolição do pagamento por conta e da taxa de derrama para micro e pequenos empresários, também na abolição do IMI.
Já no Mundo Rural; quero promover descentralização da nova PAC, através do PEPAC (Plano Estratégico da PAC 2023-2027) contra o crescente centralismo de Bruxelas, e beneficiando os pequenos e médios agricultores. Trazer a obrigatoriedade das operadoras móveis para a cobertura do 5G nas zonas de interesse agrícolas, por ser uma tecnologia essencial na robótica e na tecnologia fitosanitária, pecuária e agrícola de ponta. Incentivar através de um choque fiscal para fixação da actividade económica agrícola nos territórios rurais desertificados. Manter da gestão da Floresta no Ministério da Agricultura (Zonas de Intervenção Florestal ZIFs). E, ainda, devolver a tutela dos animais para o Ministério da Agricultura.
Na saude, quero diminuir as listas de espera de consultas e cirurgias através da contratualização privada, de parcerias público-privadas e de modelos de gestão por objetivos; dando a possibilidade do poder de escolha pelo modelo de saúde público-privado. Pugnar pela promoção de Unidades de Cuidados Paliativos. Redimensionar o Hospital Distrital de Santarém e abordar a divisão de especialidades médicas dos três Hospitais do Médio Tejo (Abrantes, Tomar e Torres Novas).

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – NÃO
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – SIM
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – NÃO
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros do Estado à tauromaquia – NÃO

***

LIVRE
Cabeça de lista | Sandro Santos

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?
O Rio Tejo é sem dúvida um dos pontos de maior urgência do distrito. Com as alterações climáticas a ter efeitos na disponibilidade de recursos hídricos, é urgente que se alterem e façam cumprir os acordos que regulam os caudais do rio. Igualmente deve ser reforçado o cumprimento da lei e sua fiscalização no que toca à poluição do rio e dos seus afluentes.
Mais Investimento – Precisamos de um distrito mais coeso, extendendo a mobilidade das pessoas através de mais e melhor ferrovia e de uma rede de transportes colectivos, que permita que se combatam as desigualdades. Na era do teletrabalho, devem ser criadas condições para que as pessoas se possam fixar nas suas origens, sem deixarem de estar isoladas dos centros urbanos.
Saúde e Educação – Na saúde, o reforço na autonomia dos centros hospitalares e das USF em relação a decisões centrais, permitindo a melhor articulação entre os diversos serviços da região com as suas comunidades locais. Melhorar a atractividade das unidades do SNS no distrito, para que possamos ter mais profissionais interessados em trabalhar no distrito. Na educação reforçar a rede escolar pública para que chegue a todos os cidadãos, de forma justa e com qualidade.

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – SIM
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – Demasiado Complexo para um Sim ou Não
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – SIM
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros do Estado à tauromaquia – SIM

***

PAN – PESSOAS-ANIMAIS-NATUREZA
Cabeça de lista | Mónica Silva

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?

  1. A Criação de um Atlas de Risco da Alterações Climáticasque evidencie todos os riscos a que o país estará sujeito nos próximos 50 anos e que estruture os respectivos planos de adaptação às alterações climáticas do território;
  2. Saúde e a Qualidade de Vida das nossas Pessoas, Animais e Natureza: aposta num sistema de saúde humana preventiva de proximidade, que valorize o SNS e os seus profissionais, que garanta o reforço das unidades de saúde primárias e que contemple uma estratégia nacional de captação de profissionais para as zonas do interior do país; o nosso distrito encontra-se numa posição privilegiada para liderar o processo de transição energética, de descarbonização, e de fornecimento de apoio ao tecido empresarial para que o mesmo transite para uma economia circular mais limpa e sustentável, com uma forte aposta na agricultura natural e biológica e nos pequenos e médios produtores locais; As ONGA’s devem passar a ter uma posição consultiva na aplicação dos fundos do PRR, no que diz respeito à gestão dos nossos recursos hídricos, florestas e solos – onde a revitalização do Rio Tejo, a deseucaliptização, a reflorestação autóctone e a regeneração da biodiversidade sejam prioridade; criação de um rede pública de hospitais médico-veterinários que ajude as famílias e as associações, e que complemente lacunas na efetivação dos projetos CED.
  3. Reforço da Mobilidade com  forte aposta no aumento dos transportes públicos com pegada ecológica reduzida, dando primazia ao alargamento das ligações da nossa Ferrovia, em particular, às obras na linha do Norte. Uma segunda ponte sobre o Tejo terá que ter sempre em conta um EIA rigoroso e independente.

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – SIM, mediante uma ampla discussão sobre todos os intervenientes a serem ouvidos no processo
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM, privilegiando as empresas “verdes”
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – SIM, privilegiando o recurso a alternativas de mobilidade mais ecológicas
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – SIM
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros do Estado à tauromaquia – SIM

    ***

PS – Partido Socialista
Cabeça de lista | Alexandra Leitão

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?
Melhoria das infraestruturas, em especial ao nível das infraestruturas rodoviárias, a conclusão do IC3, a nova travessia do Tejo, a reabilitação da ponte Rainha D. Amélia, bem como a ligação do IC 9 à A1 em Fátima. Ao nível das infraestruturas ferroviárias, a reabilitação da linha do Norte no distrito e estudar o traçado da linha no Vale de Santarém.
Criação de uma nova NUT II, com a Lezíria do Tejo, Médio Tejo e Oeste, que é fundamental para resolver a situação que subsiste de os municípios da Lezíria e do Médio Tejo pertencerem a uma CCDR (Lisboa e Vale do Tejo), mas em matéria de fundos europeus serem incluídos respetivamente no Alentejo e no Centro. Esta autonomização de uma nova NUT II será um motor de crescimento e desenvolvimento para a região, a todos os níveis, especialmente, apoios às empresas, infraestruturas, turismo, agricultura, cultura.
Investimento na qualidade dos serviços públicos no distrito, no Serviço Nacional de Saúde, escola pública, espaços de atendimento público, aprofundamento do PART e reforço da oferta de transportes públicos.
Permitam acrescentar um ponto fundamental: promoção da fixação de pessoas no território, com oferta de formação qualificada, seja ao nível do ensino superior, com os Politécnicos de Santarém e Tomar, seja ao nível do ensino profissional. Combater o recuo demográfico é o grande desafio dos próximos anos e exige um conjunto de medias concertadas ao nível da habitação, formação, emprego, mobilidade e qualidade dos serviços públicos

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – SIM
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – redução do valor das portagens
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – NÃO
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros do Estado à tauromaquia – Sendo uma atividade cultural, dependerá do que acontecer com outros fenómenos culturais, de acordo com a política geral adotada neste setor

***

PSD – PARTIDO SOCIAL DEMOCRATA
Cabeça de lista | Isaura Morais

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?
1. Acessibilidades: o distrito de Santarém apresenta vários pontos fracos no seu território, que urge corrigir por serem determinantes para o desenvolvimento regional e para a qualidade de vida dos seus cidadãos. A construção de uma nova ponte para substituição da ponte da Chamusca é fundamental e seria elementar para a conclusão da A13, ou seja da ligação dos concelhos de Almeirim e Vila Nova da Barquinha. De referir que este os pesados que vão por exemplo para o Ecoparque do Relvão, tem atualmente de atravessar a deficitária ponte da Chamusca e vários concelhos, com resíduos até perigosos. Outra intervenção urgente é a ligação da A1 ao IC 9 no concelho de Ourém, onde as mesmas se atravessam mas não têm ligação entre si . Na ferrovia, é necessário que se concretize o desvio da linha do Norte em Santarém, por forma a tornar mais rápido e seguro quer o transporte de milhares de pessoas que utilizam esta linha diariamente, como para garantir a estabilidade das encostas da cidade.
2. Coesão territorial: a criação da NUT II, para agregação da Lezíria e do Médio Tejo e do Oeste será um passo fulcral para o desenvolvimento do distrito. A definição conjunta de estratégias de desenvolvimento regional específicas para esta zona do nosso país, permitirá a afirmação desta como uma zona fundamental para a agricultura e a agro-indústria. A Regionalização é também outro assunto que merecerá o empenho do PSD distrital.
3. Área Social: atualmente urge que seja reavaliado o financiamento das IPSS em particular. As exigências de apoio social, agravadas pela pandemia que nos têm assolado, obrigam a que sejam acompanhados os serviços em geral, e nomeadamente os relativos aos SAAS, aos ERPI, ao Apoio Domiciliário e às Unidades de Cuidados Continuados, que necessitam de sustentabilidade para a prossecução da sua missão.

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – SIM
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – SIM
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – NÃO (na forma como está previsto)
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros à tauromaquia – NÃO

***

R.I.R. – Reagir – Incluir – Reciclar
Cabeça de lista | Pedro Miguel Serrano da Silva

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?
Redução do IVA de 23% para 17%, do Imposto sobre combustíveis em 10% e das taxas de portagens nas autoestradas também em 10%, assim como da carga fiscal na eletricidade, água e gás. Proceder à criação de efetiva mobilidade no Distrito de Santarém, entre Concelhos e dentro das cidades, com transportes públicos frequentes, em rede, eficazes e de qualidade, assim como requalificação e implementação de fatores de segurança nas estradas do Distrito, para diminuir acentuadamente a sinistralidade e os perigos para as pessoas e bens. Atração e fixação, no Distrito de Santarém, de população / mão-de-obra (mediante incentivos a aquisição de habitação a custos controlados e arrendamento apoiado, assim como acesso a serviços de saúde básicos – médico de família), e também das empresas, designadamente, com apoios para estabilização e desenvolvimento nas regiões do interior e divulgação de cada sector, a nível nacional e internacional, com vista a fomentar e apoiar a exportação, com a marca de qualidade “Santarém”.

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – SIM
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – SIM
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – NÃO
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros à tauromaquia – SIM

***

VOLT
Cabeça de lista | Mykhaylo Shemliy

Quais os três assuntos a que, sendo eleito/a, se compromete a dar especial atenção?
Esta candidatura europeísta, progressista e pragmática irá lutar por um distrito e país que ouve os seus cidadãos. O Volt apresenta, entre as suas propostas, a criação de regiões administrativas e a reforma eleitoral de forma a valorizar o interior do país. Defende a igualdade nas licenças de parentalidade, creches e jardins-de-infância gratuitos, a digitalização da administração pública, assim como maior transparência nas mesmas, reduzir as listas de espera na saúde e investir na formação das forças policiais. O partido pretende ainda combater a corrupção criando, por exemplo, um sistema de delação premiada, harmonizar as leis laborais com a Europa, reduzir de taxa de referência do Imposto sobre Rendimentos de Pessoas Coletivas (IRC) para 20% e acabar com todos os subsídios para combustíveis fósseis. 

Inquérito
Resposta Sim/Não
Na próxima legislatura irei defender…

  1. O avanço de um processo de Regionalização – SIM
  2. Mais incentivos financeiros/fiscais às pessoas e às empresas que se fixem no Interior – SIM
  3. O fim das portagens nas ex-SCUT – SIM
  4. A instituição de um projeto-piloto do Rendimento Básico Incondicional – SIM
  5. O fim dos subsídios e apoios financeiros do Estado à tauromaquia – SIM

***

Nota: Não responderam ao nosso inquérito os partidos Ergue-te, IL, MPT, PTP e MAS.

Patrícia Fonseca

Sou diretora do jornal mediotejo.net e da revista Ponto, e diretora editorial da Médio Tejo Edições / Origami Livros. Sou jornalista profissional desde 1995 e tenho a felicidade de ter corrido mundo a fazer o que mais gosto, testemunhando momentos cruciais da história mundial. Fui grande-repórter da revista Visão e algumas da reportagens que escrevi foram premiadas a nível nacional e internacional. Mas a maior recompensa desta profissão será sempre a promessa contida em cada texto: a possibilidade de questionar, inquietar, surpreender, emocionar e, quem sabe, fazer a diferença. Cresci no Tramagal, terra onde aprendi as primeiras letras e os valores da fraternidade e da liberdade. Mantenho-me apaixonada pelo processo de descoberta, investigação e escrita de uma boa história. Gosto de plantar árvores e flores, sou mãe a dobrar e escrevi quatro livros.

Entre na conversa

2 Comentários

    1. Augusto, se procurar no Google “Twitter Intracampos” encontrará uma página de um projecto de autodidatas que somam todas as sondagens entre outros métodos para calcular as percentagens de cada distrito.
      Nas autárquicas obtiveram os melhores resultados.
      O post fixo é o resultado que obtiveram na Sexta-feira após a revelação das últimas sondagens nacionais. 👏

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.