Laura Henriques, vencedora do concurso, Beatriz Pereira e André Leonardo, da Academia Faz Acontecer 2022. Foto: DR

A jovem vencedora do Concurso Municipal da Academia Faz Acontecer 2022, que decorreu em junho, no cineteatro da Chamusca, recebeu como prémio uma viagem de estudo à ilha Terceira, no arquipélago dos Açores. Laura Henriques teve oportunidade de conhecer pessoas empreendedoras na área da psicologia, da saúde e das terapias alternativas.

A vencedora tem 17 anos, é aluna do curso de Ciências e Tecnologia no Agrupamento de Escolas da Chamusca, vila onde reside.

Durante a sua estadia na Terceira, Laura Henriques visitou alguns pontos especiais da ilha, conheceu pessoas inspiradoras e os seus projetos, assim como tomou contacto com uma associação inovadora ligada à educação inclusiva nos Açores e à educação para a natureza.

Laura Henriques teve ainda oportunidade de assistir a uma sessão de intervenção com uma criança com atraso do desenvolvimento, analisar ferramentas de trabalho, o projeto empreendedor associado à área (com cursos, produtos lançados e parcerias com escolas), assim como conhecer uma equipa inspiradora de uma de clínica de psicologia, que respondeu a todas as curiosidades da jovem estudante que por sua vez falou sobre “a importância de estarmos alinhados com o nosso propósito e de trabalharmos para isso”.

De acordo com a Academia Faz Acontecer “foram momentos muito enriquecedores! Estamos muito felizes com o resultado desta Viagem Empreendedora”.

Refira-se que o Concurso Municipal da Academia Faz Acontecer da Chamusca teve lugar no Cineteatro, no dia 4 de junho, onde foram apresentados os 12 projetos finalistas desenvolvidos por jovens do ensino secundário e profissional da Chamusca, nas áreas da comunicação, literatura, psicologia, música, empreendedorismo ou gestão de tempo e produtividade.

A Academia Faz Acontecer da Chamusca é um projeto de ensino “não formal”, totalmente gratuito, no qual os jovens do ensino secundário e do ensino profissional da Chamusca têm a oportunidade de desenvolver as suas competências pessoais e profissionais, ao mesmo tempo que adquirem conhecimentos, que os irão distinguir no futuro e preparar para o desafiante mundo dos adultos, simultaneamente apoiados para “fazer acontecer” o projeto que ambicionam – seja ele um negócio, um livro, uma ação de voluntariado ou uma volta ao mundo. Esta é uma oportunidade única para os jovens descobrirem o seu futuro, definirem um caminho, descobrirem e desenvolverem competências e fazerem acontecer tudo pelo seu melhor futuro.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.