Um homem com cerca de 70 anos "foi encontrado já cadáver, dentro de casa", na localidade de Vale do Laço, Troviscal, localidade onde, também devido ao incêndio, registaram-se três feridos. Foto: mediotejo.net

O mediotejo.net esteve esta manhã em direto da aldeia de Vale do Laço, Troviscal, no concelho da Sertã, perto da casa onde se encontra uma vitima mortal provocada pelo incêndio que lavra desde domingo naquele município. A vitima, um homem na casa dos 70 anos, faleceu dentro de casa uma vez que não terá acatado os conselhos das autoridades e terá querido permanecer dentro da habitação, que foi atingida pelas chamas.

Esta é uma aldeia que foi cercada pelas chamas e as áreas ardidas são mesmo junto às habitações.  O senhor Vítor, um morador da aldeia, disse à nossa reportagem que a sua casa não sofreu danos porque tinha os terrenos limpos. A GNR está perto da casa onde se encontra o corpo da vítima da Sertã, com cerca de 70 anos, e onde o seu irmão também ficou ferido mas já teve alta médica.

Cerca das 14:30, segundo a página da Proteção Civil, há registo de duas ocorrências ativas na Sertã, uma delas em Pedrogão Pequeno (Nespereiro), incêndio a ser combatido por 66 operacionais apoiados por 20 viaturas, e em Ermida e Figueiredo (Ponte das Portelinhas), um fogo que concentra 227 bombeiros apoiados por 76 veículos. Em nenhum deles há registo da presença de meios aéreos no apoio ao combate.

Um homem “foi encontrado já cadáver, dentro de casa”, na localidade de Vale do Laço, Troviscal, Sertã. Foto: mediotejo.net

As centenas de incêndios que deflagraram no domingo, o pior dia de fogos do ano segundo as autoridades, provocaram pelo menos 31 mortos e dezenas de feridos, além de terem obrigado a evacuar localidades, a realojar as populações e a cortar o trânsito em dezenas de estradas.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou que o Governo assinou um despacho de calamidade pública, abrangendo todos os distritos a norte do Tejo, para assegurar a mobilização de mais meios, principalmente a disponibilidade dos bombeiros no combate aos incêndios.

Portugal acionou o Mecanismo Europeu de Proteção Civil e o protocolo com Marrocos, relativos à utilização de meios aéreos.

Esta é a segunda situação mais grave de incêndios com mortos este ano, depois de Pedrógão Grande, no verão, um fogo que alastrou a outros municípios e que provocou 64 mortos e mais de 250 feridos.

C/LUSA

Elsa Ribeiro Gonçalves

Aos 12 anos já queria ser jornalista e todo o seu percurso académico foi percorrido com esse objetivo no horizonte. Licenciada em Jornalismo, exerce desde 2005, sempre no jornalismo de proximidade. Mãe de uma menina, assume que tem nas viagens a sua grande paixão. Gosta de aventura e de superar um bom desafio. Em maio de 2018, lançou o seu primeiro livro de ficção intitulado "Singularidades de uma mulher de 40", que marca a sua estreia na escrita literária, sob a chancela da Origami Livros.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.