Iguarias tradicionais da Sertã, como o maranho, o bucho. os enchidos, ou os cartuchos de Cernache, foram distinguidas em concursos nacionais. Foto: DR

Os enchidos, o Bucho e o Maranho da Sertã, bem como os Cartuchos de Amêndoa de Cernache do Bonjardim, foram novamente distinguidos com diversas medalhas nos concursos nacionais promovidos ao longo do primeiro quadrimestre do ano pelo CNEMA (Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas) e pela Qualifica/oriGin Portugal.

No 12.º Concurso Nacional de Ensacados Tradicionais Portugueses, que decorreu no CNEMA em Santarém, o Maranho da Sertã produzido pela Casel Lda/Dom Casel Talhos arrecadou a Medalha de Ouro e a distinção “Melhor dos Melhores”. O Bucho da Sertã obteve duas Medalhas de Ouro, atribuídas à Carnes Simões, Lda e à Casel Lda/Dom Casel Talhos. Também o Paio do Lombo da Sertã produzido pela Carnes Simões, Lda conquistou a Medalha de Ouro.

No que diz respeito ao 12.º Concurso Nacional de Enchidos Tradicionais Portugueses a Morcela da Sertã produzida pela Casel Lda/Dom Casel Talhos conquistou a Medalha de Ouro. Neste mesmo concurso, a Morcela Doce da Sertã produzida pela Carnes Simões, Lda obteve a Medalha de Prata.

No 11.º Concurso Nacional de Doçaria Conventual Tradicional Portuguesa a Medalha de Ouro foi atribuída aos Cartuchos de Amêndoa de Cernache do Bonjardim, produzidos pela Pastelaria império – Gapo & Oliveira Lda.

Carlos Miranda, Presidente da Câmara Municipal da Sertã, regozija-se pelas medalhas atribuídas: “Constituem mais uma prova da elevada qualidade e distinção dos produtos endógenos sertaginenses. Felicito os produtores por todo o trabalho desenvolvido ao longo dos anos, que se materializa no reconhecimento e nas distinções obtidas, alavancando a promoção do concelho da Sertã através dos seus produtos.”

“Apurar os sabores típicos e mais genuínos do país, respeitando os modos de produção e preparação dos costumes dos antepassados e promover a prática continuada do uso dos ingredientes autênticos da gastronomia tradicional portuguesa”, são os objectivos dos referidos concursos. Para serem considerados Prémios “Medalha de Ouro” os produtos são avaliados em contexto de prova cega e a sua pontuação máxima final tem de ser superior a 80%, numa rigorosa prova sensorial, realizada no CNEMA por júris com experiência em cada área/categoria.

As provas decorreram no âmbito da Feira Nacional de Agricultura / Feira do Ribatejo e do Salão Prazer de Provar (Concursos Nacionais de Produtos Tradicionais Portugueses e Concurso Nacional de Inovação com Tradição), o CEPAAL – Centro de Estudos e Promoção do Azeite do Alentejo (Concurso Nacional de Azeites de Portugal) e a FNAP – Federação Nacional dos Apicultores de Portugal (Concurso Nacional de Mel).

A participação nestes concursos nacionais contou com o apoio do Município da Sertã e da Associação de Produtores APROSER na elaboração de algumas candidaturas.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.