Estação da CP no Entroncamento. Foto: mediotejo.net

Uma plataforma de vários sindicatos que representam os trabalhadores da CP e da IP convocou uma greve à prestação de todo o trabalho suplementar entre as 00:00 horas do dia 24 de dezembro e as 24:00 horas do dia 2 de janeiro de 2023, “designadamente em dia de descanso semanal ou em feriado oficial”.

Fonte oficial da CP indicou à Lusa que até às 18:00 de hoje, dia de Natal, foram cumpridos os serviços mínimos previstos, circulando 138 comboios, sendo que “o total programado até às 18:00 era de 585”, não se tendo realizado 447.

A plataforma convocou ainda greves de 24 horas para os dias 23 e 26 de dezembro, exigindo um prémio financeiro, a atualização do subsídio de alimentação e o fim da discriminação entre trabalhadores, segundo a nota dos sindicatos.

Foram definidos serviços mínimos de 25% dos comboios, nos dias 23 e 26 de dezembro e para os feriados de dia 25 de dezembro e 01 de janeiro de 2023.

A plataforma que convocou a greve inclui a ASCEF – Associação Sindical das Chefias Intermédias de Exploração Ferroviária, a ASSIFECO – Associação Sindical Independente, o FENTCOP – Sindicato Nacional dos Transportes, Comunicações e Obras Públicas, o SINDEFER – Sindicato Nacional Democrático da Ferrovia, o SINFA – Sindicato Independente dos Trabalhadores Ferroviários de Infraestruturas e Afins, o SINFB – Sindicato Independente Nacional dos Ferroviários, o SIOFA – Sindicato Independente dos Operacionais e Afins e o STF – Sindicato dos Transportes Ferroviários.

A greve de 24 horas convocada pelos trabalhadores da CP e da IP suprimiu, no dia 23 de dezembro, 728 comboios entre as 00:00 e as 18:00, tendo circulado 241 comboios, segundo a CP.

A CP colocou na quinta-feira uma nota na sua página da internet a alertar para a previsão de “perturbações na circulação de comboios, a nível nacional”, “com possível impacto nos dias anteriores e seguintes aos períodos de greve”, lamentando ainda os transtornos causados.

Os clientes que já tinham comprado bilhetes para comboios cancelados podem pedir o reembolso total do valor, até 10 dias após terminada a greve, ou a revalidação gratuita para outro comboio da mesma categoria.

Os trabalhadores da CP e IP também realizaram uma greve em 30 de novembro, que levou ao cancelamento de centenas de comboios.

Agência Lusa

Agência de Notícias de Portugal

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *