Castro de São Miguel de Amêndoa. PR6-MAC-Rota da Amêndoa

Leonel Mourato dá continuidade a uma caminhada de partilha de aventuras no incrível mundo do Geocaching. Muito mais que locais conhecidos, o Geocaching dá a conhecer lugares desconhecidos, abandonados, singulares, perdidos e apaixonantes, mostrando-nos a sua história e o seu significado. A viagem de hoje é até ao Castro de São Miguel, em Amêndoa, Mação.

#geocachingworld

Nickname – Clube das Sandes

GC2BZKK – CASTRO DE SÃO MIGUEL (Amêndoa-Mação),

Owner (Arqueolobo):

Coordenadas GPS – N 39° 40.099′ W 008° 03.864′

Este povoado fortificado da Idade do Ferro terá sido objecto de romanização entre os séculos I e IV d. C., embora alguns dos elementos recolhidos durante as investigações realizadas no seu perímetro pareçam apontar para a sua utilização ao longo dos séculos VI e VII d. C.

Este povoado apresentava um sistema defensivo constituído por panos de muralhas que envolveriam todo o recinto de planta quadrangular, embora de forma descontínua. Nalguns dos troços ainda é possível observar as zonas de arranque dos muros, de granito e alvenaria, e cuja espessura máxima chega a atingir cerca de dois metros. Entretanto, alguns dos vestígios correspondentes a uma edificação de planta rectangular ligada à zona Noroeste da fortificação parecem apontar para a provável existência de uma cidadela.

É entre as áreas intramuros e extramuros deste povoado que se pode observar a presença de cerca de cinquenta estruturas habitacionais de planta predominantemente quadrada e rectangular, com a particularidade de apresentarem entre duas a três divisões.

No que se refere ao espólio móvel exumado durante as sucessivas campanhas arqueológicas levadas a cabo neste sítio, haverá que destacar a presença de inúmeros fragmentos cerâmicos, além de fracções de artefactos em bronze e ferro, dos quais se deverá mencionar a descoberta de um fragmento pertencente a uma fivela de cinturão visigótico.

Classificado como MN – Monumento Nacional.

Cronologia:

Decreto n.º 37 801, DG, I Série, n.º 78, de 2-05-1950 (ver Decreto). Despacho de homologação de 24-05-1949 do Ministro da Educação Nacional. Parecer de 21-05-1949 da 2.ª Subsecção da 6.ª Secção da JNE a propor a classificação como MN. (Fonte: Direção Geral do Património Cultural)

#rotasdemacaooutdoor

#montanhasazuis

#geocachingworld

Rumamos a noroeste. Rumamos até à Amêndoa. Foi o seu dia. Percorremos os seus territórios. Percorremos a suas memórias…

Foi dia de fazer o reconhecimento e perceber com o que podíamos contar. Começamos cedo e a concentração foi no Largo da Igreja de Amêndoa. Eu, o Rui Moleiro, o Pedro Santos, o Jorge Lemos, a Regina Dinis e o primo, a Luísa Pires e o marido.

Seguimos pelas ruelas, até ao Cruzeiro. Descemos até à estrada para Cardigos.

Cruzeiro de Amêndoa

Olhamos para o Castro e seguimos.

EN348-inicio da subida para Cruzeiro de Amêndoa. PR6-MAC-Rota da Amêndoa

Ainda estão visíveis na serra as marcas do incêndio de 2019, que passou estas terras. Fomos em frente e subimos pelo lado de Mação. 30 minutos depois, chegamos. Estávamos no Nosso Castro.

Coube ao Jorge Lemos e ao Rui Moleiro, o privilégio de tentar descobrir a CACHE no meio de tanto queimado. O Jorge trazia um Container suplente e colocou o mesmo no GZ

Aos meus camaradas de caminho, Rui Moleiro, o Jorge Lemos, o Pedro Santos, a Regina Dinis e o primo, a Luísa Pires e o marido, aquela palavra especial:

Obrigado.

Aquele abraço do Clube das Sandes

Leonel Mourato

Nasceu em Ortiga (Mação). Vive no Porto. Empregado Bancário de profissão.
Caminha por aí, quase sempre sozinho, quase sempre de preto.
Apaixonado pelos lugares desconhecidos, singulares, perdidos e abandonados.
Ama a sua terra natal e o seu concelho. São os lugares mais bonitos do mundo.
Coordenador do Projeto ROTAS DE MAÇÃO outdoor.
Geocachingworld é o seu mundo.
O seu Lema: “Enquanto a tua estrada não terminar, percorre-a. Serás sempre mais feliz”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.