Umbilicu Patriae

Leonel Mourato dá continuidade a uma caminhada de partilha de aventuras no incrível mundo do Geocaching. Muito mais que locais conhecidos, o Geocaching dá a conhecer lugares desconhecidos, abandonados, singulares, perdidos e apaixonantes, mostrando-nos a sua história e o seu significado. A viagem de hoje é até ao Umbilicu Patriae, em Sardoal.

#geocachingworld – Nickname – Clube das Sandes

GCRM1W – Umbilicu Patriae [Sardoal]”,

Owner (HDV):

Coordenadas GPS – N 39° 37.313′ W 008° 10.064′

Relativamente próximo do vértice da Melriça, em Vila de Rei, alegado centro geográfico de Portugal, e na imediação do Penedo Furado, encontramos, implantado no topo de uma colina, um conjunto de monumentos bastante ignorados e algo votados ao abandono mas que, ainda assim – e talvez também por isso – são porventura dos mais belos, tocantes e carregados de real significado que podemos encontrar em Portugal.

Se a «Melriça» é o referencial «geodésico», o Cristo Rei da Matagosa é o centro anímico, coração e umbigo da pátria.

Na realidade trata-se de um «três em um» onde, a par do motivo aparentemente religioso no cunho mas bastante «laico» e nada piegas na forma – portanto, sobretudo «poético»-, datado de 1974, pontificam ainda pelo menos dois outros, posteriores: em comemoração dos 500 anos dos Descobrimentos e dos feitos da Marinha e, por iniciativa desta, uma homenagem especialmente feliz à mulher portuguesa – conjugando certos dizeres com a infinitamente expressiva presença de enorme âncora.

(Fonte: CM Sardoal)

Acesso ao monumento

É uma daquelas perdidas no tempo e no espaço. Num daqueles locais singulares, longínquos e desconhecidos. Altaneira, com o Zêzere a seus pés…

Rio Zêzere

No seu dia, fica a legenda da placa em honra da mulher Portuguesa:

” A Mulher Portuguesa

Mãe – esposa – Filha

Viúvas de vivos ausentes

No mundo que Descobriram”

É um local de paz. Quando chegamos, podemos admirar as belas paisagens que em redor do monumento lhe fazem companhia. O Zêzere e todo o vale circundante, permitem ao viajante uma tranquilidade aqui tão perto. E recomendada, para quem queira conhecer um local diferente.

Quanto à CACHE, foi o André que a descobriu. Estava a “sorrir” e assim ficou.

Aquele abraço do Clube das Sandes

Em Sardoal (Santarém)

Leonel Mourato

Nasceu em Ortiga (Mação). Vive no Porto. Empregado Bancário de profissão.
Caminha por aí, quase sempre sozinho, quase sempre de preto.
Apaixonado pelos lugares desconhecidos, singulares, perdidos e abandonados.
Ama a sua terra natal e o seu concelho. São os lugares mais bonitos do mundo.
Coordenador do Projeto ROTAS DE MAÇÃO outdoor.
Geocachingworld é o seu mundo.
O seu Lema: “Enquanto a tua estrada não terminar, percorre-a. Serás sempre mais feliz”.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.