Praia Fluvial do Alamal, em Gavião

A época balnear na Praia Fluvial do Alamal, em Gavião, “está a correr muito bem”, disse esta semana ao nosso jornal o vice-presidente do Município, António Severino, tendo destacado o aumento de turistas portugueses mas também da vizinha Espanha. Na reunião de executivo foi aprovada a abertura de um snack bar na Pousada do Alamal.

A afluência de turistas, que procuram aquela zona de lazer e em particular o rio Tejo para se refrescar, é para já semelhante aos anos anteriores embora António Severino constate ser “um espaço cada vez mais procurado”. Segundo o autarca “a afluência tem sido muito grande, como é habitual” e “as pessoas que passam por aquele espaço ficam maravilhadas, sobretudo aquelas que vêm pela primeira vez. Temos muita gente a vir pela primeira vez”, referiu, dando conta que a procura de turistas espanhóis aumentou.

Segundo o vice-presidente a aposta de reforçar a segurança com mais um nadador salvador – são dois profissionais que vigiam a Praia Fluvial do Alamal – “tem sido excelente” porque vão além das funções de nadador salvador e colaboram noutras funções, designadamente no estacionamento ou na receção de turistas, explica.

Castelo de Belver visto do Passadiço do Alamal.

Além disso, a decisão de ter fixado em 50 o número de campistas também “foi uma aposta ganha porque limitamos um pouco o acesso” tendo em conta “a capacidade de resposta que temos de dar a todos os outros utilizadores”, notou, referindo-se à utilização de balneários e casas de banho.

Durante a reunião de executivo, e a propósito da futura ETAR do Alamal, António Severino deu conta das dificuldades da limpeza das fossas sépticas, que acontece duas vezes por semana, devido à afluência de pessoas quer no snack bar, quer na pousada, tendo sido gasto, deste sábado para domingo, 30 mil litros de água.

“Foi gasto também pelo aumento muito grande das temperaturas e a afluência foi muito grande”, sublinhou, tendo feito notar que tal sucede, sobretudo, aos fins de semana. “Temos de ter a capacidade de acolher as pessoas da melhor maneira e dar as melhores condições possíveis”, defendeu.

Por isso, concluiu, que “a situação do acampamento foi muito benéfica. São menos 60 ou 70 pessoas” no parque de campismo apesar das centenas de solicitações que recebem semanalmente. “É benéfico para o espaço e permite-nos organizar as coisas de maneira diferente e não põe em causa os outros utilizadores”, dissse, falando em “equilíbrio”.

Ainda relativamente à Praia Fluvial do Alamal, durante a reunião de Câmara Municipal foi aprovada, por unanimidade, a abertura de um snack bar na Pousada do Alamal (trata-se de propriedade municipal tendo sido concessionada a um privado até 2040). O concessionário pretende servir pequenas refeições a qualquer pessoa, e não apenas aos hóspedes da Pousada, tendo manifestado intenção de manter o snack bar aberto todo o ano, inclusive durante os meses de inverno.

Áudio: Vice presidente da Câmara Municipal de Gavião, António Severino

Prolongando os Passadiços do Alamal, PR8 já está aberto

Inauguração do PR8, na margem esquerda do Tejo, traçado na União de Freguesias de Gavião e Atalaia, e designado Rota da Sirga. Créditos: mediotejo.net

Após alguns meses encerrado, o percurso pedestre PR8, designado Rota da Sirga, “temporariamente” interditado ao público por solicitação do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), na sequência do impacto negativo verificado junto de algumas espécies de aves necrófagas que nidificam naquela zona, reabriu há duas semanas.

Chegou o “aval do ICNF, fazemos alguma monitorização do percurso no sentido de não afetar os grifos. Tivemos de fazer uma manutenção, de limpeza” de caminhos mas “continua com alguma afluência. É sinal que as pessoas estão a começar a utilizar embora o tempo também não permita muito a utilização” do percurso “devido às altas temperaturas. E não é muito aconselhado” por ser “um percurso com grau de dificuldade média/elevada”, explica António Severino.

Áudio: Vice presidente da Câmara Municipal de Gavião, António Severino

O ICNF enviou sinalética própria para “situações desta natureza”entretanto colocada no local, no sentido de evitar a perturbação dos grifos e de outras aves protegidas, e também para limitar os caminhantes no espaço onde se encontram as colónias daquelas aves necrófagas.

Em causa está a proximidade do passadiço que integra este percurso, formalmente inaugurado pelo município a 27 de março, de duas colónias de grifos e de um ninho de abutre-do-egipto.

O PR8 ou Rota da Sirga situa-se na margem esquerda do rio Tejo, no concelho de Gavião, com início antes da ponte metálica de Belver, logo depois dos Passadiços do Alamal.

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.