No dia Internacional da Floresta Gavião avança com a plantação de 22 mil árvores. Créditos: mediotejo.net

Gavião vai receber mais de 22 mil árvores para plantar este ano, no âmbito do projeto SpringfieldFlorest, implementado pela primeira vez em Portugal. Cerca de duas mil árvores foram plantadas esta segunda-feira, por ocasião do Dia Mundial da Árvore e Dia Internacional das Florestas, nas Varandas do Tejo, na área do Alamal, uma zona do concelho de Gavião que foi consumida pelo fogo em 2017.

Diz quem sabe que “um cubo de madeira com um metro” ou seja “um metro cúbico de madeira consegue tirar da atmosfera uma tonelada e meia de carbono”. As palavras são da engenheira florestal Eulália Botelho, coordenadora do projeto Pronatura da ANEFA – Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente, presente no Dia Internacional das Florestas, em Gavião, para a plantação das primeiras duas mil de 22.222 árvores cedidas no âmbito do projeto SpringfieldFlorest.

No dia Internacional da Floresta Gavião avança com a plantação de 22 mil árvores. Créditos: mediotejo.net

A mensagem esclarece que “é preciso plantar ordenadamente”, particularmente árvores com capacidade de se adaptarem bem ao clima mediterrâneo, onde há incêndios durante o verão, e regenerarem-se após a passagem do fogo. Renovar aquilo que o fogo consumiu em 2017 é o principal objetivo da plantação que se iniciou no primeiro dia de primavera junto ao rio Tejo, na descida para a praia fluvial do Alamal.

Eulália Botelho, da ANEFA, parceira na iniciativa, explicou igualmente que as árvores são ainda “uma forma de preservar os solos” dando conta de serem “inúmeras as vantagens que podemos retirar da floresta”.

No dia Internacional da Floresta Gavião avança com a plantação de 22 mil árvores. Créditos: mediotejo.net

ÁUDIO | EULÁLIA BOTELHO, ANEFA:

A iniciativa da Springfield, designada R|ECO|NSIDER, chegou então esta segunda-feira a Portugal após uma primeira implementação em Espanha, centrando-se na criação de riqueza florestal em zonas fortemente castigadas pela desflorestação. Este ano, o projeto centra-se em duas zonas gravemente afetadas pelos incêndios de 2017: a zona de Varandas do Tejo, junto à praia fluvial do Alamal, (22 mil árvores), no município de Gavião, e em Espanha, na província de Pontevedra (também cerca de 20 mil árvores).

A ideia passa por recuperar não só florestas, mas também todo o ecossistema, plantando espécies autóctones, como “carvalhos, sobreiros, azinheiras, medronheiros, salgueiros, ulmeiros, nogueiras, cerejeiras” entre outras, distribuídas por 25 hectares, terrenos municipais e de particulares que foram preparados para receber as pequenas árvores referiu o vice-presidente da Câmara.

António Severino explica que para o Dia Internacional das Florestas “está previsto plantar entre 1000 a 2000 árvores e ter a envolvência entre 60 a 70 pessoas com alunos do Agrupamento de Escolas, alunos da Universidade Sénior e algumas pessoas que se disponibilizaram voluntariamente” para a ação, incluindo o grupo representantes do ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, com a continuação assegurada por parte das equipas de Sapadores Florestais do concelho e da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo.

No dia Internacional da Floresta Gavião avança com a plantação de 22 mil árvores. Créditos: mediotejo.net

Mas numa primavera que entrou a chover “vamos ver o que o tempo nos permite plantar”, nota Severino, acrescentando que a plantação continuará durante esta semana e depois em final de setembro devido ao período de seca que o país atravessa. Embora a chuva tenha caído durante a plantação, “o receio de perder alguma árvore” continua latente.

Iniciativa “muito importante” para o concelho, o Dia Internacional das Florestas é assinalado todos os anos em Gavião, para “alertar e sensibilizar para a preservação da floresta e para termos um futuro mais sustentável, é isso que se pretende”, sublinhou.

No dia Internacional da Floresta Gavião avança com a plantação de 22 mil árvores. Créditos: mediotejo.net

ÁUDIO | VICE-PRESIDENTE DA CÂMARA, ANTÓNIO SEVERINO:

Além dos voluntários e dos sapadores florestais a tarefa contou ainda com a ajuda de seis alunos do Agrupamento de Escolas de Gavião, ou seja, seis delegados ambientais – assim designados no âmbito do projeto Eco-Escolas – das turmas do segundo ciclo, uma vez que as condições meteorológicas impossibilitaram a presença de todos os alunos convidados. Entre os alunos presentes esteve Tiago Martins, que no final levou para casa um certificado de participação.

Tiago gostou tanto de plantar árvores que manifestou vontade de passar o dia todo nas Varandas do Tejo, vontade que a chuva e as obrigações escolares impediram. Ficará para mais tarde a visita às árvores que plantou. No entanto, definiu a importância da iniciativa como sendo “boa para o mundo” e “uma boa atitude para proteger o meio ambiente”. Os restantes cinco colegas foram da mesma opinião.

No dia Internacional da Floresta Gavião avança com a plantação de 22 mil árvores. Créditos: mediotejo.net

ÁUDIO | ALUNO DA ESCOLA DE GAVIÃO, TIAGO MARTINS:

Por seu lado, Alexandre Mendes, diretor de marketing e comunicação do grupo Tendam – a Springfield é uma marca de roupa pertencente ao grupo espanhol – disse ao nosso jornal que no âmbito do projeto SpringfieldFlorest contam-se “70 mil árvores plantadas em Espanha”.

Explica que a “Springfield é uma marca muito preocupada com o meio ambiente. As coleções tentam respeitar ao máximo o meio ambiente” designadamente a R|ECO|NSIDER. “Começou em Espanha, este ano passámos para Portugal e queremos continuar ao longo dos anos porque queremos que o Planeta seja mais verde e possa viver melhor” estando previsto que em 2023 seja plantada outra zona em Portugal, afirmou.

Alexandre Mendes dá conta de um “bom feedback” por parte do consumidor que “cada vez está mais informado” relativamente às questões ambientais e ao envolvimento das empresas que incluíram preocupações relacionadas com o impacto ambiental na sua agenda.

No dia Internacional da Floresta Gavião avança com a plantação de 22 mil árvores. Créditos: mediotejo.net

ÁUDIO | ALEXANDRE MARTINS, DA SPRINGFIELD:

No final da plantação das árvores, o presidente da Câmara Municipal de Gavião, após também o edil ter colocado as mãos na terra, agradeceu às entidades que possibilitaram a iniciativa “na tentativa de renovar aquilo que o incêndio de 2017 nos levou: uma vegetação intensa”, existente naquele local do Alto Alentejo.

José Pio fez notar que atualmente “plantamos de uma forma diferente. Hoje é ordenada, plantamos espécies resilientes ao fogo ou que se renovam, depois do fogo. Isso é extremamente importante”, considerou, concluindo que com mais estas 22 mil árvores, o concelho de Gavião “começa a ficar novamente reflorestado”.

No dia Internacional da Floresta Gavião avança com a plantação de 22 mil árvores. Créditos: mediotejo.net

ÁUDIO | PRESIDENTE DA CÂMARA, JOSÉ PIO:

Paula Mourato

A sua formação é jurídica mas, por sorte, o jornalismo caiu-lhe no colo há mais de 20 anos e nunca mais o largou. É normal ser do contra, talvez também por isso tenha um caminho feito ao contrário: iniciação no nacional, quem sabe terminar no regional. Começou na rádio TSF, depois passou para o Diário de Notícias, uma década mais tarde apostou na economia de Macau como ponte de Portugal para a China. Após uma vida inteira na capital, regressou em 2015 a Abrantes. Gosta de viver no campo, quer para a filha a qualidade de vida da ruralidade e se for possível dedicar-se a contar histórias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.