A Câmara Municipal de Gavião realizou na manhã de sábado, 21 de abril, uma ação de limpeza florestal junto à povoação de Amieira Cova, no âmbito do programa governamental de defesa da floresta contra incêndios, tendo sido testado o plano de evacuação da aldeia em caso de emergência.

O vice-presidente  da autarquia, António Severino, disse ao mediotejo.net que esta ação teve em vista a “definição e implementação de um programa de segurança para os pequenos aglomerados dispersos pelo concelho , em complementaridade com a  criação  redes de faixas de gestão de combustível”, tendo destacado, como objetivo último, “aumentar o nível de segurança de pessoas e bens”.

“O município de Gavião insere-se num dos concelhos mais afetados pelos grandes incêndios, sendo caracterizado por uma baixa densidade populacional, por uma atividade económica pouco diversificada e competitiva, por níveis de conectividade ainda insuficientes, e por dinâmicas interinstitucionais incipientes”, observou o autarca.

Na ação em Amieira Cova, onde participaram cerca de 90 pessoas, o período da manha foi dedicado à gestão de várias faixas de gestão de combustíveis no perímetro da aldeia.

No período da tarde, e no âmbito do programa criado pelo Governo recentemente e denominado “Aldeia Segura e Pessoas Seguras”, os serviços municipais juntaram toda a população da aldeia e explicaram o plano de evacuação da aldeia em caso de emergência.

“Criámos a função de ‘oficial de segurança da aldeia’, que terá como missão alertar a população, estabelecemos o toque do sino da capela da aldeia com alerta, e estabelecemos ainda uma zona de abrigo, que será o centro de convívio da aldeia, para além de vários caminhos de evacuação”, frisou António Severino.

Foram cerca de 90 elementos que participaram nesta ação, desde a Proteção Civil Distrital  Municipal, União de Freguesias de Gavião e Atalaia,  Sapadores Florestais do Distrito de Portalegre, Bombeiros Municipais, Curso de Proteção Civil do Agrupamento de Escolas , elementos do grupo  AFOCELCA, e a Força Nacional de Bombeiros, para além da  população da Amieira Cova que se juntou a esta iniciativa.

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.