Depois de perder na jornada inaugural com o Sporting, o Eléctrico somou duas vitórias consecutivas. Foto arquivo: mediotejo.net

O Eléctrico de Ponte de Sor conseguiu a sua segunda vitória consecutiva na Liga Placard, ao vencer o Candoso por 5-1. Já o Ferreira do Zêzere somou a primeira derrota, à passagem da 3ª jornada, ao perder em Braga.

As equipas de Ponte de Sor e de Ferreira do Zêzere seguem no grupo dos 4º classificados, com duas vitórias e uma derrota ao fim de três jornadas, e ambas jogam em casa no próximo fim de semana, frente a Sporting de Braga e Quinta dos Lombos, respetivamente.

Sporting CP e SL Benfica venceram os seus compromissos e continuam a liderar em conjunto a Liga Placard. Com mais um jogo em mão, ambas as equipas anteciparam os jogos da 4ª jornada por via dos seus compromissos na Liga dos Campeões, o Sporting bateu, fora de portas, por 4-1, os Leões de Porto Salvo, enquanto o SL Benfica se impôs, por 9-2, na deslocação ao pavilhão do Futsal Azeméis.

Águias e leões têm agora mais três pontos que SC Braga que venceu, em casa, o Ferreira do Zêzere por 5-1.

Rogério Serrador, treinador do Ferreira do Zêzere. A equipa da Capital do Ovo perdeu em Braga pela primeira vez para o campeonato. Foto arquivo arquivo: mediotejo.net

O Caxinas Poça Barca venceu o Portimonense, fora de portas, por 3-2. O resultado deixa os algarvios na última posição, sem pontos. e permite ao Caxinas Poça Barca, provisoriamente, subir ao 5º posto. Candoso e Azeméis também ainda não pontuaram. Quinta dos Lombos e Fundão jogam só esta segunda-feira.

Confira AQUI os resultados, classificação atualizada e os jogos da próxima jornada.

Programa da quarta jornada:

– Quarta-feira, 19 out:

Benfica – Candoso, 4-0

Sporting – Futsal Azeméis, 10-1

– Sexta-feira, 28 out:

Caxinas – Leões de Porto Salvo, 21:00

– Sábado, 29 out:

Eléctrico – Sporting de Braga, 17:00

– Domingo, 30 out:

Fundão – Portimonense, 21:00

– Segunda-feira, 31 out:

Ferreira do Zêzere – Quinta dos Lombos, 21:00

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *