Supertaça Dr. Alves Vieira.

GRUPO DESPORTIVO “O CORUCHENSE” 1 – ASSOCIAÇÂO DESPORTIVA DE MAÇÃO 3

Supertaça Dr. Alves Vieira
Estádio Dr. Alves Vieira
Torres Novas
06-09-2017

Lance acrobático protagonizado por Serge.

Numa noite agradável, com algum vento, bancadas compostas de adeptos, maioritariamente de Mação, relvado em bom estado e rápido encontraram-se os vencedores do Campeonato Distrital e Taça do Ribatejo da época transacta.

A militar no Campeonato de Portugal a equipa de Coruche reunia algum favoritismo perante uma boa equipa dos Distritais que na época passada lhe havia “roubado” a Taça do Ribatejo.

As equipas entraram com cautelas, em estudo mútuo. A primeira hipótese surgiu aos três minutos, para “O Coruchense”, na sequência de um canto a que se opôs Chico Sousa com
segurança. Circulava-se a bola a meio campo procurando espaço para lançar os dianteiros.

Aos dez minutos, em jogada bem gizada, o Mação chega rápido à linha de fundo, João Freitas cruzou do lado esquerdo e surgiu, no coração da área, Gonçalo Lelé a encostar conseguindo o primeiro do jogo. Um golo de belo efeito.

Gonçalo Lelé emendou cruzamento e marcou o primeiro do jogo.

A equipa de Coruche era agora obrigada a trabalho redobrado para vencer a bem escalonada defensiva maçaense. Com a lição bem estudada, os “amarelo-grená” fechavam as linhas de passe e pressionavam a zona de construção do seu adversário. Assistiu-se então a um jogo de parada e resposta, com poucas oportunidades de golo.

Ainda assim registe-se um bom cruzamento dos coruchenses com Batista a rematar ao lado. Estavamos a meio da primeira parte. Aos 33 minutos o Mação beneficia de dois cantos seguidos dos quais nada resultou. No minuto seguinte foram os “azuis” a executar um canto primoroso para boa defesa de Chico Sousa.

A seis minutos do descanso os de Coruche ganham uma falta, ainda longe da baliza, em zona frontal. Serge chamado à cobrança atirou deficientemente, por cima.
E chegou o intervalo com um resultado justo face à produção de ambos os conjuntos.

Mação anulou iniciativas coruchenses.

A segunda parte iniciou-se com duas substituições por parte de André Luís numa clara tentativa de refrescar as suas alas, tentando desfazer a estratégia do Mação.
Aos 55 minutos, na cobrança de um livre do lado esquerdo do seu ataque, Bandeira obrigou Chico Sousa a defesa apertada para canto. Do canto surge nova defesa do guarda redes maçaense.

Chico Sousa segura lá no alto perante a ameaça de Rodrigo.

O minuto 13 iria revelar-se fatal para a equipa de Coruche. Com as linhas mais subidas permitiu rápido contrataque conduzido por Ducho que acabou carregado em falta já na área. Castigo máximo que Bruno Lemos transformou no segundo golo do
jogo.

Vida complicada para a equipa que viajou do sul do distrito que não baixou os braços e volvidos três minutos ganhou uma falta do lado direito. O livre batido para a zona de penalti encontrou o central Rodrigo em boa posição para cabecear para
o fundo das redes. Desvantagem reduzida e uma enome vontade de virar o rumo dos acontecimentos.

A até aí segura defesa da Catedral do Presunto começou a dar mostras de alguma intranquilidade e o adversário aproveitou… No minuto 66 Bandeira aparece caído na área maçaense. Pediu-se grande penalidade mas o árbitro Filipe Correia, bem
posicionado, mandou prosseguir o jogo.

No minuto seguinte o Mação sofre uma enorme contrariedade: João Freitas tem uma entrada à margem das leis sobre Serge e vê a cartolina amarela pela segunda vez.
A jogar com dez unidades e com o adversário mais ousado o Mação juntou linhas, defendeu-se com unhas e dentes, com enorme disponibilidade dos seus jogadores que espreitavam uma oportunidade para contra atacar.

Aos 72 minutos o inconformado Serge cabeceia em boa posição mas ao lado.

O possante avançado Serge em luta nas alturas com Ducho.

Na resposta o Mação ganha um livre à entrada da área mas o remate “morreu” na barreira.
Aos 83 minutos o Coruche tenta de longe: o central Rodrigo remata do meio da rua para defesa segura de Chico Sousa. Na jogada seguinte Batista antecipa-se a um defesa maçaense e volta a dar trabalho ao guarda redes.

A faltarem três minutos para o tempo regulamentar os coruchenses têm a derradeira oportunidade de empatar a partida. Num livre frontal, de muito longe, Bandeira rematou por cima.

Foi mostrada a placa com o tempo de compensação: quatro minutos.
No segundo minuto da compensação Joel de cabeça volta a contar com a oposição de Chico Sousa que defendeu. Lançado rápido contrataque para o recém entrado Marcos Patrício, este entrou na área e sofreu falta merecedora de castigo máximo.

Chamado à conversão Bruno Lemos não exitou e fez o terceiro para a sua equipa, o segundo da conta pessoal. Pouco depois o árbitro Filipe Correia apita pela última vez selando a vitória da Associação Desportiva de Mação.

Equipa e “staff” do Mação fez a festa no relvado.

Histórica por ser a primeira nesta competição.
Fez-se a festa dentro e fora do relvado.

Mais um motivo de alegria para os adeptos maçaenses.

Resultado justo da equipa maçaense pela enorme entrega ao jogo. “O Coruchense”, com muita juventude, deixou boa imagem e a promessa de um bom Campeonato de Portugal onde a manutenção é o objectivo. Boa arbitragem.

Dr. Rui Alves Vieira entrega a Taça que tem o nome de seu pai.

FICHA DO JOGO

GRUPO DESPORTIVO “O CORUCHENSE”
Valério, Rodrigo, Cajarana (Rui Caniço), Simano, Fred (Ivan), Batista, Rui Martins (Rui Bento), Barbosa (Ricky), Joel, Serge (David Silva) e Bandeira.
Suplentes não utilizados: Furtado e Pedro Soares.
Treinador: André Luís.

Grupo Desportivo ” O Coruchense”

ASSOCIAÇÃO DESPORTIVA DE MAÇÃO
Chico Sousa, Miguel Seninho, Luís Esteves, Gonçalo Lelé, Rui Sousa, Ducho, Júlio Batista, Bruno Lemos, Filipe Pereira (Marcos Patrício), João Freitas e Miguel Luz (Tiago Prates).
Suplentes não utilizados: Carlos Nabais, Bernardo Bento, Pedro Louro, Rodrigo Ribeiro e Diogo Rocha.
Treinador: João Vitorino.

Associação Desportiva de Mação

GOLOS: Gonçalo Lelé e Bruno Lemos (2 gp) (ADMação) ; Rodrigo (GDCoruchense)

EQUIPA DE ARBITRAGEM
Filipe Correia, João Imaginário, Diogo Gonçalves e Rui Inácio (4º árbitro).

Equipa de arbitragem: Filipe Correia, João Imaginário e Diogo Gonçalves com ambos os capitães.

Francisco Jerónimo, presidente da Associação de Futebol de Santarém, falou-nos do jogo, da época que se avizinha e da importância que a AFS dá à Formação.

Francisco Jerónimo-Presidente da AFSantarém

André Luís, treinador de “O Coruchense” explicou o desaire e falou-nos do futuro da sua equipa.

André Luís-Treinador de “O Coruchense”

João Vitorino, treinador da A.D. de Mação dedicou esta conquista às vítimas dos recentes incêndios na região.

João Vitorino-Treinador da ADMação

Fotos: David Pereira

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.