Jogo intenso no Comendador.

TRAMAGAL SPORT UNIÂO 4 – ATLÉTICO CLUBE RECREATIVO ESPINHEIRENSE 3
Campeonato Distrital da AFS – 2ª Divisão – 17ª jornada
Estádio Comendador Eduardo Duarte Ferreira em Tramagal
27-03-2022

Num jogo que não interessava nada para a luta por um lugar nos “play off” de subida de divisão, o foco do muito público presente no Comendador estava no facto de se tratar da despedida dos jogos oficiais deste histórico campo em ano de Centenário, (na última jornada o TSU joga em Alferrarede), aliada à despedida dos relvados do capitão dos metalúrgicos, Gonçalo Fernandes.

Gonçalo Fernandes despediu-se dos relvados de borboleta ao peito.

A juntar a estas despedidas comemorava-se o 42º aniversário de Edgar que, apesar da veterania ainda está aí “para as curvas”.

O Espinheirense, apurado na jornada do pretérito fim de semana para os “play off” de subida e apuramento do campeão da divisão secundária, apresentou-se apenas com quatro suplentes no banco, denotando dificuldades no plantel.

Espinheirense apurou-se para os “play off”.

Com as equipas a apresentarem modelos de jogo semelhantes os primeiros minutos foram de estudo, procurando o encaixe mútuo. Ainda muita gente não tinha transposto os magníficos pórticos do Campo Jogos Comendador Eduardo Duarte Ferreira, autoria de Keill do Amaral, e já os visitantes faziam a festa. Com o Tramagal balanceado no ataque, Thiago Mello caiu na área espinheirense sem que houvesse lugar a qualquer infração.

A equipa de Espinheiro aproveitou o desposicionamento alheio para lançar o contra golpe que resultou no golo inaugural obtido por João Frazão aos dois minutos.

Espinheirense marcou no segundo minuto.

O golo madrugador de Frazão colocava pressão e apreensão nos adeptos “azuis” mas a resposta não se fez esperar. Depois de algumas investidas infrutíferas, o Tramagal conseguiu desenhar uma jogada vitoriosa.

André Bernardes subiu pelo flanco direito, ganhou a linha de fundo e cruzou para a área.
A defensiva visitante afastou mas na zona de tiro surgiu Giovane a encher o pé e a bater Miguel Arsénio de forma inapelável. Estava feito o empate quando o cronómetro assinalava o oitavo minuto de jogo.

Giovane fez um bom jogo e marcou o primeiro golo da sua equipa.

O brasileiro Giovane estava de pé quente e dois minutos depois de marcar voltou a tentar da mesma zona mas desta vez o esférico ganhou altura e perdeu-se pela linha de fundo.

Logo depois, aos 11 minutos, David Nunes, muito interventivo na condução da organização tramagalense, assistiu de forma perfeita o capitão Gonçalo Francisco. O guarda redes visitante, Miguel Arsénio adivinhou o lance e antecipou-se, resolvendo a contenda a seu favor. Mas o minuto 13 iria voltar a mostrar-se fatídico para as cores da casa…

Um livre, batido da esquerda para dentro da área, viu João Félix abordar o lance da pior forma. Uma bola aparentemente fácil de controlar não foi devidamente agarrada e Diogo Antunes encostou, fazendo o segundo golo do Espinheirense.

João Félix facilitou e Diogo Antunes (à dtª) aproveitou.

A remar contra a maré, a vida não se afigurava fácil para os comandados de Pedro Varino.
Começou a carregar e detinha a posse de bola e as melhores ocasiões. Aos 22 minutos o Tramagal beneficiou dum livre em zona frontal, ligeiramente descaído para a esquerda.
Chamado à conversão David Nunes levou o esférico a esbarrar na cortina defensiva e a viajar para a trave. Na sequência do canto o guarda redes visitante afastou, saindo a punhos.

Pouco depois agitaram-se as hostes “metalúrgicas. Um atraso que pareceu intencional para o guarda redes do Espinheiro ficou sem o devido castigo.

Muito público no Comendador.

Aos 26 minutos, André Bernardes, com muito espaço livre à sua frente na ala direita, voltou a subir e a combinar com Giovane que rematou e ganhou um canto. Entretanto Pedro Varino, por lesão ou estratégia, tirou Daniel Jesus e lançou Tiago Damas no jogo.

Tiago foi posicionar-se descaído pela esquerda, sendo muitas vezes visto a subir pela sua ala, à semelhança de André Bernardes na direita. Viria a revelar-se uma boa aposta…
Dois minutos depois Giovane, a fazer um excelente jogo, isolou-se mas o guarda redes iria negar-lhe o bis, cedendo canto. Na conversão a bola foi direita à cabeça de David Nunes que não perdoou e empatou de novo a partida.

David Nunes voltou a empatar a partida.

O Tramagal, mais acutilante, começava a assenhorar-se dum jogo em que começou desde cedo a correr atrás do prejuízo. À passagem da meia hora Tiago Damas assistiu, a partir da esquerda, David Nunes, que permitiu a intervenção da defensiva visitante.

Aos 33 minutos o Tramagal poderia ter-se adiantado no marcador. Grilo, dentro da área, conduziu o esférico e serviu Giovane, Este, vendo o seu compatriota Thiago Mello solto de marcação, endossou-lhe a bola, Thiago rematou para uma enorme defesa de Arsénio.

Na reposição, um “sururu” a meio campo quando os visitantes saiam para o ataque acabou com a exclusão de Francisco Violante, penalizando fortemente a turma do Espinheiro.

Exclusão de Francisco Violante penalizou fortemente os visitantes.

Aparentemente a vida ficou mais fácil para a equipa da casa. Aos 37 minutos Giovane “aqueceu” as luvas de Arsénio que não segurou o forte remate. Numa segunda vaga Rui Oliveira rematou forte, de novo, contra o guarda redes.

No minuto seguinte os tramagalenses beneficiaram dum canto que Giovane tentou converter de forma olímpica. O guarda redes socou para a zona onde estava Grilo que encheu o pé e acertou num defesa, ganhando canto.

Já perto do intervalo, aos 43 minutos, o guarda redes Arsénio largou uma bola comprida, a explorar a profundidade. Gonçalo Grilo surgiu sem marcação e rematou à base do poste, perdendo uma excelente ocasião para assumir a liderança no marcador. Acabou contudo por ver um defesa ceder canto. Na conversão apareceu o central Rui Oliveira a apresentar-se nas alturas, cabeceando para a baliza.

De canto o Tramagal operou a reviravolta no marcador.

A dar a “cambalhota” no marcador em cima do descanso e com uma unidade a mais em campo, o Tramagal podia aspirar a vencer este jogo, repetindo a vitória na primeira volta no campo do Espinheiro. Ainda beneficiaram dum livre em cima da linha de área por falta dura de Ricardo Pedro sobre Tiago damas, vendo a cartolina amarela. Giovane bateu direto para a malha lateral dando a ideia de ter sido golo.

Foi com a massa associativa dos “azuis” ao rubro que o árbitro, Manuel João Mendes, mandou toda a gente para o descanso. Grande início do Espinheirense com boa resposta dos da casa. A expulsão penalizou os visitantes desequilibrando a partida mas a diferença mínima deixava tudo em aberto para o complemento.

Público gostava do que via.

Como seria expectável o Tramagal, a vencer e com vantagem numérica, assumiu as “despesas” do jogo, ficando o Espinheirense numa atitude predominantemente defensiva, espreitando o contra golpe. Aos 50 minutos Grilo e o guarda redes Arsénio chocaram na área ficando ambos pelo solo. O árbitro optou por assinalar falta ao atacante.

A equipa de Pedro Varino explora muito bem as transições rápidas pelas alas com cruzamentos mortíferos para dentro da área. Aos 57 minutos David Nunes deu o melhor seguimento a um desses cruzamentos e aumentou a vantagem da equipa da casa, obtendo o seu bis no jogo.

David Nunes (à esq.) bisou e aumentou o “score”.

No recomeço, Ricardo Rei testou a atenção da defensiva da casa e, da meia distância, fez o esférico esbarrar na trave da baliza de João Félix. Pedro Lourenço ainda recarregou para defesa do guarda redes. Já tinha subido a bandeirola do assistente assinalando posição irregular.

Com uma hora de jogo, uma falta dura sobre David Nunes levou o tramagalense para a marcação do livre, perto da área descaído pela esquerda. Passou perto da baliza mas ao lado. Aos 63 minutos a equipa da casa desenhou uma bonita jogada de envolvimento, com o esférico a circular por vários jogadores e a entrar mesmo na baliza dos visitantes, impulsionada por David Nunes. A equipa de arbitragem não sancionou o lance, assinalando posição irregular.

Tiago Damas entrou e deu profundidade ao lado esquerdo.

Na resposta Duarte Violante trabalhou na direita sobre o seu marcador direto e cruzou, obrigando a defensiva “azul” a ceder canto. Do outro lado do campo David Nunes rematou à baliza de Arsénio de forma denunciada e para fora.

Com o relógio a “comer” minutos rapidamente, aos 73 Giovane rematou para defesa de recurso de Arsénio com os pés. Na emenda Gonçalo Fernandes disparou por cima.

No minuto seguinte Grilo rematou contra o guarda redes ganhando novo canto. Na sequência do canto David Nunes atirou ao poste.

Não marcaram os “metalúrgicos” fizeram-no os espinheirenses. Aos 79 minutos Duarte Violante subiu pela ala esquerda e cruzou para a área onde Francisco Martins deu o melhor caminho ao esférico, reduzindo e fixando o resultado final em 4-3.

Apesar do Tramagal controlar a partida o Espinheirense reduziu.

Depois da bola regressar à marca de meio campo o Tramagal ganhou um canto que Arsénio, com a ponta dos dedos, desviou para novo canto. Aos 81 minutos Grilo rematou de meia distância mas não surpreendeu o guarda redes contrário.

A cinco minutos do tempo regulamentar Pedro Varino fez substituir o capitão Gonçalo Fernandes e uma enorme onda de aplausos percorreu o Comendador. Emocionante a homenagem dos adeptos a um atleta da “cantera” que regressou para terminar a carreira de borboleta ao peito.

VIDEO | GONÇALO FERNANDES DESPEDE-SE DOS RELVADOS:

Após se esgotarem os 90 minutos o árbitro concedeu mais cinco a título de compensação mas nada se alterou e a equipa da casa voltou a vencer a equipa do Espinheirense nesta edição do campeonato.

Despedida de Gonçalo Fernandes partilhada com a família.

Vitória justa dum Tramagal que reagiu muito bem aos golos com que o Espinheirense se adiantou e soube, em vantagem numérica, dar a volta ao marcador. O Espinheirense deu boa conta de si, foi muito penalizado com a exclusão de Francisco Violante e deixou boas indicações para os “play off”. Recebe o líder, Moçarriense, na última jornada desta fase.

O Tramagal Sport União despede-se por esta época visitando o Alferrarede reeditando um clássico concelhio no campo CUF. A arbitragem de Manuel João Mendes e assistentes teve de tomar decisões difíceis, não vacilou e pareceu acertar quase sempre. Boa arbitragem.

Boa arbitragem num jogo muito agradável de seguir.

Ficha do Jogo:

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:
João Félix, André Miguel, Daniel Jesus (Tiago Damas), Rui Oliveira, Chico Oliveira (Leal) , Edgar, Giovane, Gonçalo Fernandes (Tiago Vital), Thiago, David Nunes (Pika) e Gonçalo Grilo.
Suplentes não utilizados: João Peixoto, Zé Garcia e Singéis.
Treinador: Pedro Varino.

Tramagal Sport União.

ATLÉTICO CLUBE RECREATIVO ESPINHEIRENSE:
Miguel Arsénio, Filipe Dâmaso (Diogo Henriques), Diogo Antunes, Ricardo Pedro, João Lourenço (Guilherme Neto), Francisco Violante, João Frazão (Ricardo Neto), Pedro Lourenço, Duarte Violante (Hugo Branca), Francisco Martins e Ricardo Rei.
Treinador: José Moço.

Atlético Clube Recreativo Espinheirense.

GOLOS:
David Nunes [2], Giovane e Rui Oliveira (Tramagal); João Frazão, Francisco Martins e Diogo Antunes (Espinheirense)

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Manuel João Mendes, Luciano Oliveira e Frederico Constantino.

Equipa de Arbitragem: Manuel João Mendes, Luciano Oliveira e Frederico Constantino com os capitães.

No final fomos ouvir os responsáveis técnicos das equipas:

PEDRO VARINO (Tramagal)

Pedro Varino, treinador do Tramagal. Foto: Jorge Santiago/mediotejo.net

JOSÉ MOÇO (Espinheirense)

José Moço, treinador do Espinheirense.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.