Clássico com resultado desnivelado mas justo.

TRAMAGAL SPORT UNIÃO 3 – CLUBE DESPORTIVO E RECREATIVO “OS DRAGÕES” DE ALFERRAREDE 0
Campeonato Distrital da AFS – 2ªDivisão – Série C – 9ªjornada
Estádio Comendador Eduardo Duarte Ferreira – Tramagal – 19-12-2021

O Comendador em dia de clássico concelhio ganha um ar de festa com adeptos de ambos os clubes a torcerem pelos respetivos emblemas mas convivendo entre si numa sã rivalidade. Este domingo não fugiu à regra…

Bancadas do Comendador em festa.

A equipa da “borboleta”, num ciclo bastante positivo, trouxe ao seu estádio uma boa moldura humana apesar dos condicionalismos ditados pela crise pandémica. Os “azuis”, com a vitória em casa do Espinheirense, fixaram-se no terceiro posto com a equipa B do Abrantes e Benfica “a morder-lhe os calcanhares”.

A equipa de “Os Dragões” de Alferrarede, sem ganhar nas três últimas jornadas, encontrava-se na sétima posição, partilhada com Pego e Aldeiense, com sete pontos.

Equipas em “sentidos” diferentes.

Com o favoritismo a recair nos comandados de Pedro Varino, a expectativa recaia na forma como a experiente equipa de Alferrarede iria tentar contrariar esse mesmo favoritismo.

Mal a bola começou a rolar os tramagalenses instalaram-se no meio campo contrário, a toda a largura do campo, criando embaraços defensivos ao seu adversário e, com uma pressão muito alta, negando-lhe a possibilidade de construir as suas transições ofensivas.

Logo no segundo minuto de jogo Pisco percorreu toda a ala direita e da linha de fundo cruzou com muito perigo, levando o esférico a sobrevoar a trave.

Pisco regressou, após lesão, para “dinamitar” a ala direita.

Dois minutos volvidos, da ala esquerda da equipa da casa surgiu um cruzamento bem medido para o coração da área onde surgiu Riki em apoio defensivo a cortar pela linha de fundo. Num equívoco da equipa chefiada por João Fonseca foi assinalado pontapé de baliza!

Na primeira subida do Alferrarede à área contrária, aos seis minutos, houve lugar à marcação duma falta do lado esquerdo, tipo canto mais curto. A bola, batida tensa, cruzou toda a área sem que surgisse qualquer desvio. A defesa da casa resolveu sem problemas.

Na resposta Pisco voltou a cruzar da direita para Singéis que tentou “guardar” a bola mas um defensor cortou para canto.

Singéis (à dtª) foi a referência atacante dos “azuis”.

Aos 11 minutos o guarda redes tramagalense João Peixoto tocou pela primeira vez no esférico, após alívio da defensiva visitante.

A velocidade dos alas “azuis” iam criando situações embaraçosas aos laterais contrários.
Aos 14 minutos Grilo, pelo lado esquerdo, assistiu Singéis no centro da área. O avançado deixou-se antecipar.

À passagem do quarto de hora o brasileiro da equipa “metalúrgica” Giovane tentou surpreender da meia distância mas o remate passou sobre a baliza de Miguel Pires.

Jovem brasileiro Geovani mostrou qualidade.

Após uns minutos de alguma acalmia o Tramagal voltou à carga e Grilo, numa excelente iniciativa individual, enquadrou-se com a baliza mas o remate ganhou altura e perdeu-se para lá da linha de fundo.

Com os “Dragões” a empurrarem os donos da casa para junto do seu último reduto, aos 25 minutos, o experiente Luís Vieira cruzou de forma “venenosa” e a bola esbarrou na trave da baliza de Peixoto. Estava dado o aviso…

À meia hora Francisco Oliveira voltou cruzou da direita, procurando Singéis, mas a defensiva de Alferrarede cedeu canto. Entretanto Pedro Varino não gostava do que via e resolveu “mexer” no xadrez da sua equipa. Pika cedeu o seu lugar a Calado e as melhorias foram evidentes.

Calado (28) acrescentou qualidade à equipa de Varino.

O Tramagal voltou a tomar conta do jogo e carregou até o apito para o descanso. Aos 35 minutos os donos da casa beneficiaram dum livre, descaído pela direita à entrada da área. Giovane serviu Pisco mas o esférico ganhou velocidade e saiu pela linha de fundo, gorando-se a hipótese.

Pouco depois Grilo sofreu uma carga faltosa desta vez pela esquerda. Gonçalo Fernandes cobrou para dentro da área onde a defesa visitante resolveu.

Aos 38 minutos o Tramagal esteve perto de marcar. Rui Costa do quarto de circulo, à esquerda, bateu de forma direta, ao primeiro poste. Miguel Pires foi providencial socando para longe.

Cruzamentos iam dando trabalho a Miguel Pires.

Nas bancadas do Comendador os adeptos “metalúrgicos” suspiravam por um golo que já mereciam mas tardava em surgir. Aos 40 minutos gritou-se golo quando Francisco Oliveira cruzou tenso da direita para Calado que fez a bola embater na trave com estrondo. No regresso o esférico acertou no perplexo Calado e acabou por sair junto ao poste.

Entretanto Filipe Paulo ficou a pedir assistência somando tempo de desconto ao já despendido. Foram mesmo cinco os minutos concedidos.

Calado mandou uma “bomba” à trave.

Após a marcação dum canto, aos 45+2 minutos, Pisco rematou cruzado e a bola não passou longe.

No quarto minuto da compensação um cruzamento do lado esquerdo encontrou Rui Oliveira que havia subido no terreno. Este não enjeitou a hipótese de colocar a sua equipa na frente do marcador e fez balançar as redes do Alferrarede.

Pouco depois João Fonseca apitou para tempo de intervalo e este golo ao “cair do pano” veio trazer justiça ao marcador, pecando por escasso.

Golo de Rui Oliveira levou o Tramagal em vantagem para o descanso.

As equipas regressaram do descanso com o mesmo “desenho” mas sabendo que o Alferrarede, a perder, teria de fazer algo mais para inverter a tendência do marcador.

Jogando com as linhas mais subidas, a equipa de Pedro Leitão expunha-se ao contra golpe dos velozes alas tramagalenses servidos por jogadores veteranos mas de grandes qualidade a meio campo.

Logo aos 50 minutos Calado foi lançado nas costas da defesa e apenas com o guarda redes na área foi “ceifado” por Paulo Edgar que viu o cartão amarelo, erradamente em nossa opinião. Além de ficar isolado, a entrada por detrás é demasiado negligente, podendo causar grave lesão. O árbitro da partida teve outro entendimento…

Visitantes regressaram disposto a discutir o resultado.

Paulo Edgar, após ver a cartolina amarela, ficou muito queixoso, sendo assistido e mesmo substituído por João Rosa. Do livre nada resultou e com o Alferrarede a tentar chegar à área da equipa da casa o jogo entrou numa fase de algum equilíbrio, com escassos motivos de interesse.

Apenas aos 58 minutos os visitantes criaram algum perigo na cobrança dum canto. Luís Vieira rematou forte contra um defesa para novo canto. Edgar afastou o esférico da sua área.

À hora de jogo Giovane combinou com Grilo e este desferiu um remate cruzado, do lado esquerdo, que não passou longe.

Grilo procurou o golo de todas as formas.

Aos 63 minutos um cruzamento de João Rodrigues apanhou a defensiva tramagalense “a dormir no pedaço” e as dificuldades foram evidentes. Lançado o contra golpe, Geovani voltou a assistir Grilo de “bandeja”. A defesa dos visitantes, avisada do perigo, possibilitou a antecipação do guarda redes Miguel Pires.

Já aos 76 minutos, com o Alferrarede completamente desposicionado, viu o Tramagal invadir o seu último reduto com três jogadores rápidos apenas com a fraca oposição dum defesa. Thiago Mello, entrado minutos antes, na cara de Miguel Pires aumentou a contagem e provocou nova explosão de alegria nas hostes “azuis”.

Aos 76 minutos a equipa da casa aumentou a contagem.

Ainda com alguns minutos para jogar, os atletas começavam a apresentar debilidades físicas e notava-se o Alferrarede desconfortável com o resultado. Ainda assim, logo após o golo, um cruzamento da direita do ataque dos “verde e brancos” apanhou João Serra ao segundo poste sem marcação. O forte remate foi defendido com classe por João Peixoto com os pés. Não marcaram os visitantes, marcaram os donos da casa…

Aos 80 minutos Grilo, que há muito procurava o golo, foi feliz. À saída de Miguel Pires a “encher” a baliza, Grilo esmerou-se e, com um remate em arco, “tirou o guarda redes da jogada, obtendo um golo de belo efeito. Merecido…

Golo de Grilo coroou uma boa exibição.

Este terceiro golo da “vechia signora” veio colocar um ponto final na partida. Ou quase…
Aos 82 minutos Filipe Paulo acorreu a uma bola “perdida” e com um remate de muito longe errou o alvo. Aos 86 minutos, no “canto do cisne” da equipa visitante, Rui Oliveira foi obrigado a fazer a falta “útil” e podia ter visto o cartão amarelo.

Da entrada da área, descaído para a direita, Luís Vieira bateu o esférico em arco, a fugir da barreira. Peixoto, atento, executou uma defesa que teve tanto de vistosa como de eficaz.

Resultado não sofre contestação.

O juiz da partida, João Fonseca, concedeu quatro minutos mas os jogadores estavam com o pensamento no duche quente e no convívio com os adeptos. Foi em ambiente de puro “fair play” que o árbitro apitou pela última vez na partida, averbando a quarta vitória dos comandados de Pedro Varino que, com a derrota do Espinheirense na Moçarria, ficaram a apenas quatro pontos do lugar de acesso ao “play off” da subida.

O TSU recebe o “lanterna vermelha”, Pernes, no recomeço do campeonato, a 9 de janeiro. O Alferrarede manteve a sétima posição, partilhada com o Aldeiense. Num jogo sem qualquer contestação o árbitro não esteve isento de erros mas revelou, como os auxiliares, grande margem de progressão.

Arbitragem irregular sem influência no resultado.

Ficha do Jogo:

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:
João Peixoto, Francisco Oliveira, Edgar, Gonçalo Fernandes, Pika (Calado), Gonçalo Grilo (Tiago Vital), Rui Oliveira, Giovane, Rui Costa (Leal), Pisco (Thiago Mello) e Singéis (Bernardo Barreiros).
Suplentes não utilizados: João Félix e André Miguel.
Treinador: Pedro Varino.

Tramagal Sport União.

CLUBE DESPORTIVO E RECREATIVO “OS DRAGÕES” DE ALFERRAREDE:
Miguel Pires, Paulo Edgar (João Rosa), Filipe Paulo (Diogo Dias), João Rui (Flávio Amorim), João Serra, Nuno Santos, Fábio Rodrigues (Dante Soares), João Rodrigues, Riki, Rúben Fernandes (Tiago Matos) e Luís Vieira.
Suplentes não utilizados: Ângelo Barata e Luís Santos.
Treinador: Pedro Leitão.

Clube Desportivo e Recreativo “Os Dragões” de Alferrarede.

GOLOS:
Rui Oliveira, Thiago Mello e Gonçalo Grilo (Tramagal).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
João Fonseca, Francisco Santos e Frederico Constantino.

Equipa de Arbitragem: João Fonseca, Francisco Santos e Frederico Constantino com os capitães.

No final fomos ouvir os responsáveis técnicos de ambos os clubes:

PEDRO VARINO (Tramagal)

Pedro Varino, treinador do Tramagal. Foto: Jorge Santiago/ Arquivo: mediotejo.net

 

PEDRO LEITÃO (Alferrarede)

Pedro Leitão, treinador do Alferrarede.

*Com David Belém Pereira (multimédia).

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.