O Tramagal venceu em Alferrarede e fechou a época no 3º lugar da série C da 2ª divisão distrital. Foto: mediotejo.net

CLUBE DESPORTIVO E RECREATIVO “OS DRAGÕES” DE ALFERRAREDE 1 – TRAMAGAL SPORT UNIÃO 2
Campeonato Distrital da AFS – 2ª Divisão – Série C
Campo CUF em Alferrarede – 03-04-2022

O trágico desaparecimento do árbitro Vítor Leitão marcou o clássico do Campo CUF entre os “Dragões” de Alferrarede e o vizinho Tramagal. Vitor Leitão representou a popular agremiação de Alferrarede como atleta, chegando a ostentar a braçadeira de capitão, e como treinador. O atual técnico dos Dragões e um jogador do plantel sénior são seus filhos, sentindo-se em todos os presentes uma enorme consternação.

Homenagem a Vítor Leitão foi momento marcante.

Foi em tons de luto que esta partida teve início. O minuto de silêncio em homenagem a Vítor Leitão foi devidamente respeitado, após o que soou um forte aplauso a que se associaram os adeptos que viajaram de Tramagal.

“Dragões” de Alferrarede unidos com a família Leitão.

Quando a bola começou a rolar no campo CUF cedo se percebeu o empenho de ambas as equipas em vencer o jogo. Com muita gente a fazer as despedidas nas duas equipas, todos ambicionavam uma vitória para selar a despedida da atual época desportiva. Os minutos iniciais foram de estudo, jogados sobre o meio campo, sem ataques prometedores.

Aos seis minutos aconteceu a primeira jogada próximo duma das balizas. Na sequência dum canto, a defensiva da casa afastou para a zona de tiro onde Thiago rematou contra um defensor. A resposta não tardou e, na sequência dum livre junto à lateral direita, Vieira simulou, deixou passar o esférico, isolando Diogo Gomes. Na cara de João Peixoto, guarda redes dos “azuis”, Diogo rematou por cima.

Apesar da veterania o futebol de Vieira irá deixar saudades.

Aos 13 minutos o capitão dos visitantes, Gonçalo Fernandes, sofreu entrada dura dum adversário mas o juiz da partida deu, e bem, a lei da vantagem, já que Diogo Dias ficou em posição de poder marcar. Rematou fraco, à figura de Miguel Pires.

À passagem do quarto de hora João Rodrigues procurou aquela que é a referência atacante dos “fabris”, Luís Vieira, e o cruzamento perfeito colocou o atacante em boa posição para concretizar. A defensiva visitante foi lesta a afastar sem que Vieira esboçasse o remate.
Dois minutos volvidos Diogo Dias, o da casa, ensaiou o remate da meia distância mas Peixoto estava atento e agarrou com segurança.

Boa atitude de ambas as equipas.

Apesar da veterania, Luís Vieira ia causando muitos embaraços no extremo reduto dos “metalúrgicos”. Aos 20 minutos driblou, deixando Rui Oliveira fora do lance. O remate não levou a melhor direção e perdeu-se pela linha de fundo.

Os donos da casa atravessavam um bom momento e logo a seguir um alívio para “sítio proibido” permitiu o remate de Rúben Fernandes por cima.

Aproveitando o balanceamento ofensivo dos donos da casa, o Tramagal, após ganhar a bola, viu André Miguel solicitar a corrida de Diogo Dias que, com um defesa à ilharga, rematou cruzado inaugurando o marcador.

Diogo Dias abriu a contagem para o Tramagal.

Com o golo as equipas, muito expectantes, criando poucas situações de finalização, foram obrigadas a alterar a forma de abordar o jogo. Este ganhou vivacidade e até alguns excessos. Logo no recomeço o Alferrarede ganhou um livre sobre o meio campo. Cobrado rapidamente para a desmarcação de Vieira, viu o árbitro Rui Ferreira anular o lance por posição irregular de Vieira.

Aos 27 minutos foi a vez de Thiago Mello ser apanhado nas malhas do “off-side” quando surgiu isolado na cara de Miguel Pires. Pouco passava da meia hora de jogo e Giovane sofreu duas cargas seguidas, foi pouco cauteloso e o árbitro averbou as faltas mas Giovane viu o cartão amarelo. No seguimento, Gonçalo Fernandes levantou para a área onde David Nunes surgiu a rematar contra Miguel Pires.

David Nunes pautou o futebol da sua equipa.

Aos 34 minutos Tiago Damas fez o corredor esquerdo e procurou arrancar um cruzamento.
A defensiva cedeu canto e na transformação os visitantes desenharam uma bonita jogada de envolvimento finalizada por Thiago Mello ao lado.

Minutos depois Diogo Dias cometeu falta dura sobre um adversário. Rúben Fernandes excedeu-se nos protestos e Rui Ferreira mostrou-lhe a cartolina amarela. Aos 38 minutos a melhor jogada da partida animou os adeptos. Vieira entrou na área com a bola controlada, enquadrou-se e rematou forte para uma enorme defesa de João Peixoto. Grande momento.

Grande despedida de Luís Vieira.

No minuto seguinte Thiago Mello, a tentar sair rápido para o ataque, sofreu falta dura de João Rui que viu ser-lhe exibido o cartão amarelo.

Com o tempo praticamente esgotado na primeira parte Giovane viu a desmarcação de Diogo Dias que rematou rasteiro com muita força. O guarda redes Miguel Pires opôs-se com um pé e o esférico ganhou altura. Subiu David Nunes mas a cabeçada levou a bola para lá da linha de fundo.

Já com o tempo a ser compensado uma falta dura de Riki levou à amostragem de novo cartão amarelo. Pouco depois chegou o descanso com o Tramagal por cima no marcador. Resultado justo mas o empate não escandalizaria.

Tramagal mais perto de marcar.

A equipa de Pedro Leitão, a dar boa réplica à sua congénere de Tramagal, entrou determinada a “dar a volta” ao jogo. Só que na bola de saída aconteceu-lhe o pior dos cenários. Uma rápida transição dos tramagalenses encontrou David Nunes em boa posição e este não se fez rogado. Encostou para o segundo golo dos comandados de Pedro Varino.

A vida não estava fácil para os “verdes e brancos” de Alferrarede. Não baixaram os braços e foram atrás do prejuízo.

David Nunes aumentou o “score” a abrir o complemento.

Aos 48 minutos João Rodrigues tentou da meia distância mas não conseguiu surpreender João Peixoto. O jogo acalmou durante alguns minutos para alguns acertos na estratégia e só aos 54 minutos o perigo voltou a rondar a baliza de Peixoto.

Numa rápida reposição lateral, que pareceu apanhar a defensiva forasteira a “dormir na forma”, permitiu a Luís Vieira novo duelo com o guarda redes. Peixoto voltou a levar a melhor.

Jogo emotivo no campo CUF.

Três minutos passados, na transformação dum livre, o central “azul” Rui Oliveira subiu à área contrária para cabecear muito perto do ferro transversal da baliza de Miguel Pires.

Lances vistosos.

Com uma hora de jogo, numa jogada bem desenhada pela equipa de Tramagal, Tiago Vital recebeu quando vinha chegando em corrida à entrada da área e “aqueceu” as luvas do guarda redes contrário, que largou o esférico. David Nunes fez a emenda contra o guarda redes, ganhando um canto.

A resposta veio uns minutos depois com o inevitável Vieira a pressionar João Peixoto que teve de sair da sua área e, de cabeça, resolver a ameaça. Com o jogo a começar a perder alguma da dinâmica inicial, os ataques começaram a ser mais espaçados e a levar menos perigo.

Enquanto houve força o jogo teve boa dinâmica.

Zé Garcia, aos 83 minutos, ganhou a linha de fundo e assistiu Singéis que viu ser-lhe averbado um fora de jogo que deixou algumas dúvidas. A faltarem dois minutos no tempo regulamentar, nova solicitação a Vieira na área tramagalense levou ao contacto com o guarda redes. Pedro Ferreira foi perentório e apontou a marca dos onze metros.

Lance que originou o penalti.

Chamado à conversão Flávio Amorim bateu Peixoto quando o cronómetro assinalava os 90 minutos. Com cinco minutos para jogar a título de compensação, perto do final Zé Garcia ficou perto de marcar. A defensiva da casa resolveu pela lateral. Zé Garcia demorou a reposição e Rui Ferreira foi ao bolso para exibir o último cartão do jogo. Pouco depois deu a partida por terminada.

Tramagal despediu-se do campeonato a vencer.

Foi um bom jogo como são normalmente os clássicos com um resultado aceitável. Uma repartição de pontos seria muito penalizador para a equipa com maior caudal ofensivo e que mais procurou o golo. Boa resposta da equipa da casa, que vê sair Luís Vieira, Filipe Paulo e Flávio Amorim. Foram jogadores importantes no panorama distrital e deixam certamente saudades.

No final também se ficou a saber que a equipa técnica de Pedro Varino não faz parte do projeto do Tramagal para o futuro imediato. Com erros de somenos importância que não lhe roubou qualidade, a arbitragem da equipa de Rui Ferreira esteve à altura dos acontecimentos. Boa arbitragem.

Boa arbitragem.

Ficha do Jogo:

CLUBE DESPORTIVO E RECREATIVO “OS DRAGÕES” DE ALFERRAREDE:
Miguel Pires, João Rui (António Cordeiro), Filipe Paulo (Filipe Marta), Luís Santos, Flávio Amorim, Diogo Dias (Manuel Augusto), João Rodrigues (João Rosado), Rúben Fernandes (Pedro Filipe), Riki, Diogo Gomes e Luís Vieira.
Suplentes não utilizados: Tiago Rapazote e Nuno Santos.
Treinador: Pedro Leitão.

Clube Desportivo e Recreativo “Os Dragões” de Alferrarede.

TRAMAGAL SPORT UNIÃO:
João Peixoto, David Nunes, Francisco Oliveira, Gonçalo Fernandes (Singéis), Tiago Damas (Pika), André Miguel, Rui Oliveira, Tiago Vital, Thiago Mello (Zé Garcia), Giovane (Edgar), e Diogo Dias (Bernardo Barreiros).
Suplentes não utilizados: João Félix e Pisco.
Treinador: Pedro Varino.

Tramagal Sport União.

GOLOS: Flávio Amorim [g.p.] (Alferrarede), Diogo Dias e David Nunes (Tramagal).

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Rui Ferreira, Maria Batista e Ana Pereira.

Equipa de Arbitragem: Rui Ferreira, Maria Batista e Ana Pereira com os capitães.

No final fomos ouvir os responsáveis pelas equipas.
Do lado do Alferrarede foi indigitado um jogador:

ÁUDIO | FLÁVIO AMORIM (Alferrarede):

Flávio Amorim, jogador do Alferrarede.

ÁUDIO | PEDRO VARINO (Tramagal)

Pedro Varino, treinador do Tramagal.

*Com David Belém Pereira (multimédia)

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.