Margarida Marques, de 12 anos, deu nas vistas no Entroncamento e vai agora representar o SL Benfica. Foto: CADE (Clube Amador de Desportos do Entroncamento).

A jovem futebolista Margarida Marques, de 12 anos, atleta do escalão de infantis do CADE (Clube Amador de Desportos do Entroncamento) vai representar o Sport Lisboa e Benfica na próxima época. Luís Grácio, coordenador técnico do clube entroncamentense, diz que para o CADE é um “orgulho” ver este passo dado pela jovem jogadora, tendo feito também uma antevisão ao jogo que vai colocar a equipa de iniciados masculinos do CADE a medir forças com o Benfica, partida a ser disputada na tarde deste sábado (3 de setembro, 17h00).

Margarida Marques tem 12 anos e reside em Vila Nova da Barquinha, onde deu os primeiros pontapés na bola, tendo rumado aos escalões de formação do Atalaiense, em equipas mistas, e dali para o CADE, para a equipa de infantis de futebol feminino. A contratação da atleta por parte do Benfica não envolveu contrapartidas financeiras para o clube do Entroncamento, estando em estudo, no entanto, um protocolo de intercâmbio entre os dois clubes.

Embora não seja uma situação nova, a de atletas do emblema entroncamentense voarem para outros patamares, nomeadamente para clubes “grandes” – sendo que, mesmo no caso do futebol feminino, não é uma estreia – é no entanto a primeira vez que uma jogadora vai diretamente de uma equipa de futebol feminino do CADE para uma equipa de topo, uma vez que as outras jogadoras a fazerem voos destes, competiam misturadas em equipas masculinas, como é o caso de uma atleta que rumou para o Sporting.

Luís Grácio, coordenador técnico do CADE, sobre a ida da jovem jogadora para o Benfica e a aposta no futebol feminino por parte do emblema entroncamentense.

Mas este caso de Margarida Marques “é fruto do bom trabalho que no futebol feminino o CADE está a realizar, onde tem uma dinâmica muito grande. É o clube do distrito com mais atletas inscritas, conseguiu no ano passado um título de infantis, na equipa onde a Margarida participava, e portanto é sempre um orgulho e desejamos tudo de bom para ela”, disse Luís Grácio.

A aposta no futebol feminino por parte do CADE começou praticamente na época em que apareceu a pandemia, algo que “travou ali um bocadinho aquele impacto inicial”, considera Luís Grácio, que acrescentou que “mesmo assim”, desde que fosse possível treinar, o CADE “deu sempre as condições aos atletas para que pudessem treinar, mesmo dentro das limitações impostas na altura pelo Governo, nomeadamente em relação às questões dos treinos com distanciamento, e a dinâmica foi sempre bastante aceitável”, apesar de não haver quadros competitivos devido às restrições pandémicas.

“Retomadas as competições, começámos com bastante força, este ano vamos ter também já equipa de juvenis, como tínhamos no ano passado, vamos ter iniciadas como tínhamos no ano passado mas [em que] não houve equipas suficientes para competir, vamos ter infantis e benjamins. Portanto, as atletas felizmente cada vez são mais, e pronto, é uma nova vertente em que o CADE está a apostar e que nos tem dado também alguma alegria por ver a quantidade de pessoas e a qualidade das mesmas”, afirmou o coordenador técnico do clube do Entroncamento.

Além de coordenador técnico, Luís Grácio desempenha igualmente as funções de treinador da equipa A de iniciados masculinos, que disputam o campeonato nacional, sendo que no sábado, dia 3 de setembro, os jovens atletas vão medir forças com o Sport Lisboa e Benfica, num jogo a ser disputado no Complexo Desportivo do Bonito, algo que o treinador não antevê como tarefa fácil.

“Vai ser um jogo com um grau de dificuldade alto, mas onde a pressão é praticamente nenhuma, visto que temos sobretudo de disputar o jogo e encarar isto como uma experiência diferente. (…) Para o CADE é uma situação absolutamente normal este tipo de jogos, porque felizmente há muitos anos que estamos no nacional, para esta geração propriamente dita não, nunca competiram a este nível, nunca competiram no campeonato nacional, já de si é uma experiência jogar no campeonato nacional, ainda mais será jogando contra o Benfica, portanto vai ser um jogo que vai com certeza atrair muitas pessoas ao Bonito (…) [e] vai ser um jogo em que vamos ter de controlar a ansiedade dos jogadores e tentar fazer o nosso melhor, sabendo que a diferença é abismal”, disse o técnico.

Luís Grácio, treinador da equipa que vai defrontar o Benfica, em antevisão à partida.

Para a partida a equipa conta também com “bastantes limitações”, revelou o seu treinador. “Os campeonatos começam muito cedo, começámos a competir a 14 de agosto, nunca temos tido os mesmos jogadores desde o início da pré-época, porque sistematicamente vão de férias uns, vêm outros, não temos de modo algum conseguido ter nunca o grupo completamente reunido, mas com os jogadores que jogarem vamos tentar dignificar a camisola do CADE”, concluiu Luís Grácio.

Leia também

Rafael Ascensão

Licenciado em Ciências da Comunicação e mestre em Jornalismo. Natural de Praia do Ribatejo, Vila Nova da Barquinha, mas com raízes e ligações beirãs, adora a escrita e o jornalismo.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.