Lutou-se muito no meio campo.

UNIÃO DESPORTIVA ABRANTINA 2 – CLUBE DE FUTEBOL OS GAVIONENSES 1

Jogo de Apresentação
Estádio Municipal
Abrantes
09-09-2017

Barrocas luta nas alturas com um adversário.

Sábado foi o dia escolhido para a Abrantina apresentar o plantel para atacar a época de 2017/18 em que militará na 1ª Divisão Distrital. Final de tarde, ameno, com algum vento e relvado em bom estado. Devido ao pouco tempo de preparação de ambos os conjuntos não se poderia esperar um jogo de fino recorte.

E assim foi. Equipas aguerridas mas com caras novas a necessitar de entrosamento.
Lutava-se muito a meio campo quando aos dez minutos Hélio Ocante conseguiu isolar-se e já na área rematou para defesa de Carlos Manteigas. As equipas começavam a acercar-se das balizas e dois minutos depois Os Gavionenses conseguiram um cruzamento bem medido e João Matos, num gesto técnico perfeito, de calcanhar, abriu o marcador para os forasteiros.

Zé Pedro foi presença constante no ataque da Abrantina.

Reagiram os da casa e aos 16 minutos Zé Pedro, já dentro da área contrária, rematou prensado num adversário acabando o esférico nas luvas de Manteigas.
No minuto seguinte a Abrantina teve nova oportunidade para chegar ao empate, de livre, mas a bola embateu na barreira e perdeu-se pela linha de fundo.

As equipas, encaixadas, poucas hipóteses davam para os adversários se acercarem das balizas. Jogava-se muito a meio campo. Ainda assim registo para um excelente cruzamento de Daniel Barão para a área da equipa de Abrantes permitindo corte da defesa. Estávamos a meio da primeira parte e no minuto seguinte Rafael Silva entrou em dribles sucessivos sobre os defesas da equipa de Gavião, guarda redes incluído e rematou ao poste.

Este lance pareceu determinar uma trégua entre as equipas e passou-se a jogar longe das áreas. Foi assim até o árbitro Vitor Custódio apitar para o descanso.

Rafael Silva tenta levar perigo à área do Gavionense.

Apesar das equipas terem feito algumas alterações a toada morna continuou, sem grandes lances dignos de registo. Até que no minuto 65 Rafael Silva resolve dar um pontapé na monotomia e alvejar a baliza de Manteigas de muito longe. Saiu por cima.
Era o início de um bom periodo da Abrantina e no minuto seguinte marcou mesmo por Luís Rodrigues que entrou na área gavionense e à saída de Manteigas rematou certeiro.

Estava feito o empate que a equipa da casa já merecia. Com a entrada de jogadores frescos a Abrantina começou a explorar melhor as alas e a arrancar perigosos cruzamentos. Aos 70 minutos Filipe Paulo, entrado já na segunda parte, centrou para encontrar Hélio Ocante no coração da área. Manteigas ainda defendeu um primeiro remate mas à segunda o mesmo Ocante fez o segundo do jogo e que haveria de dar a vitória à sua equipa.

Hélio Ocante cria perigo na área do Gavionense.

Cresceu a equipa de Abrantes e começou a pressionar o último reduto contrário. Aos 74 minutos pediu-se penalti na área gavionense mas o árbitro não atendeu. No minuto
seguinte Hélio Ocante teve novo ensejo para marcar mas, num primeiro remate, defendeu o guarda redes contrário e num segundo o poste encarregou-se de negar o golo ao
possante avançado. No minuto seguinte foi Luís Rodrigues a obrigar Manteigas a defesa apertada.

A faltarem dez minutos para o fim foi Pedro Bráz a sacudir a pressão, a entrar pelo bico da grande área, pela direita e a rematar para fora. Aos 82 minutos Estriga cai na área gavionense tocado pelo guarda redes parecendo haver motivo para grande penalidade. O árbitro mandou jogar. Nada mais aconteceu digno de registo até o derradeiro apito.

Vitória justa da equipa com maior número de oportunidades. Os Gavionenses deixaram a ideia de poder fazer um bom campeonato. Arbitragem sem erros de monta excepto o suposto penalti a acabar o jogo.

FICHA DO JOGO

UNIÃO DESPORTIVA ABRANTINA:
Daniel, Miguel Catarino, Toni, Basílio, Miguel Vitor, Barrocas, Mateus, Luís Ferreira, Rafael Silva, Zé Pedro e Hélio Ocante.
Suplentes: Diogo Pascoal, João Felix, André Miguel, Diogo Tomás, Fábio Rodrigues, Filipe Paulo, João Rodrigues, João Rui, Luís Estriga, Luís Rodrigues e Rafa.
Treinador: Paulo Seninho.

União Desportiva Abrantina

 

CLUBE DE FUTEBOL OS GAVIONENSES:
Carlos Manteigas, Rainho, Pedro Afonso, Bruno Martins, Diogo Rosado, Eduan, João Matos, Daniel Barão, João Reis, João Almeida e Bruno.
Suplentes: João Miguel, André Neves, Átila, André Rodrigues, Pedro Bráz e Vitor Lúcio.
Treinador: Américo Rosa.

GOLOS: Luís Rodrigues e Hélio Ocante (UDA); João Matos (CFG)

Clube de Futebol Os Gavionenses

EQUIPA DE ARBITRAGEM:
Vitor Custódio, Gonçalo Manito (Zé Neves) e João Domingos (Tiago Matos).

Equipa de arbitragem: Vitor Custódio, Gonçalo Manito e João Domingos com os capitães de equipa.
  • Com David Pereira (fotos)

Jorge Santiago

Nasceu a 30 de Janeiro de 1961 em Lisboa e cresceu no Alentejo, em Santiago do Cacém. Dali partiu em 1980 para ingressar no Exército e no Curso de Enfermagem. Foi colocado em Santa Margarida e por aqui fez carreira acabando por fixar-se no Tramagal em 2000. A sua primeira ligação à Vila "metalúrgica" surge em 1988 como Enfermeiro do TSU. Munido da sua primeira câmera digital, em 2009 e com a passagem à situação de reserva, começou a registar a fauna do Vale do Tejo, a natureza e o património edificado da região, as ruas, as pessoas... Com colaborações regulares em jornais da região e nacionais este autodidata acaba por conseguir o reconhecimento público, materializado em alguns prémios. Foi galardoado na 8ª Gala de Cultura e Desporto de Tramagal na categoria de Artes Plásticas (Fotografia) em 2013.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.