Nena atua em Abrantes no dia 16 de setembro no Festival ao Alto. Foto: DR

O Jardim do Alto de Santo António, em Abrantes, vai receber o Festival ao Alto na sexta-feira e sábado, dias 15 e 16 de setembro, naquele que é o festival que marca o final do verão e o início de um novo ciclo, com o regresso às aulas e às novas rotinas. Nena e Super Mars são cabeças de cartaz num evento de entradas gratuitas.

Música, animação, desporto e gastronomia (street food) integram o programa do Festival ao Alto que este ano tem como cabeça de cartaz a artista Nena, que irá atuar no sábado, 16 de setembro. Pelas escadarias do Alto de Santo António vão passar não só os talentos nacionais emergentes como os talentos abrantinos.

O DJ Quinas inaugura o palco do Festival ao Alto, na sexta-feira, dia 15 de setembro, com o Sunset que irá decorrer entre as 19h30 e 21h30. Os Super Mars, Tributo a Bruno Mars, atuam no dia 15, a partir das 22h30, e o DJ Matoxa estará encarregue do Sunset no sábado, dia 16, entre as 19h30 e 21h30.

A cantora e compositora portuguesa Nena é a cabeça de cartaz do Festival ao Alto 2023 por onde irão ainda passar os Rapazes da Ramboia (dia 16) e o DJ Amarelo (dia 15).

Naquele que é um festival para as famílias, o espaço “Altamente” volta a marcar presença e a oferecer diversão para todos, este ano com o “Surf mecânico” e o “Aerotrim”, equipamento criado pela NASA para treinar astronautas e que permite ao utilizador conhecer a sensação única de ausência de peso.

O Booth 360, plataforma que permite criar vídeos instantâneos, prontos a partilhar nas redes sociais, que foi um sucesso na edição deste ano das Festas de Abrantes, também estará disponível durante os dois dias do Festival ao Alto, a par com atividades outdoor e muitas surpresas.

A Banda Filarmónica Mourisquense e a Sociedade Filarmónica de Educação e Beneficiência Riomoinhense irão protagonizar momentos de “Bandas ao Alto” e o Grupo de Teatro Palha de Abrantes irá protagonizar “Teatrices no Jardim”, com pequenas performances.

O Festival ao Alto volta a ser considerado um Ecoevento, atribuído pela Valnor, e, à semelhança do ano passado, haverá espaços de street food (hambúrgueres, kebab, pão com chouriço e bifanas) da responsabilidade de empresas locais onde os copos são recicláveis, como que vem sendo habitual nos últimos anos. O evento estava previsto decorrer a 8 e 9 de setembro, tendo sido adiado para os dias 15 e 16 devido ao mau tempo.

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Entre na conversa

1 Comentário

  1. Uma cidade em constante evolução. Penso que, em quase todos aspetos. Tanto culturalmente, como socialmente. Sou de Ponte de Sor, mas gosto de Abrantes desde a minha juventude. Não tem nada a ver com política, mas com as pessoas que estão ao leme. Nalguns aspetos, melhor que a minha terra. No que diz respeito a eventos para a juventude, muito superior a ponte de Sor.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *