Festas de Abrantes decorreriam de 9 a 14 de junho e prometiam ser “as melhores de sempre”. Se tudo se proporcionar como todos anseiam, o evento regressa em 2021 com o mesmo cartaz e figurino. Foto: CMA

As festas de Abrantes decorrem este ano de 09 a 14 de junho com muita animação, espetáculos musicais e várias novidades, desde logo com os concertos a decorrerem no Largo 1 de Maio (Largo do Tribunal) e com a London International Gospel Choir a conferir dimensão internacional, nos Mourões. Manuel Jorge Valamatos, presidente da Câmara Municipal, afirmou que tudo está a ser feito para estas sejam “as melhores festas de sempre”. A apresentação decorreu na sexta-feira, no Largo 1 de Maio (onde começa e onde acaba o evento) e vai ter concertos de Mickael Carreira, Bárbara Bandeira, Os Quatro e Meia, José Cid & Quarteto e os Hotplay (banda de tributo a Coldplay) no Largo 1 de Maio. O hipódromo dos Mourões acolhe o “grande concerto” no dia 13, com Rita Guerra e Héber Marques (dos HMB), Anin Rose e o Coro internacional de Gospel de Londres com acompanhamento da Orquestra Ibérica. “Um concerto único no mundo”, frisou o autarca, para quem, no fim de contas, “os abrantinos são o melhor cartaz”.

Ladeado pelo vereador do desporto e cultura e pela chefe de divisão cultural do município, Luís Dias e Anabela Diogo, respetivamente, o presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Jorge Valamatos (PS) promoveu este ano a conferência de imprensa de apresentação das Festas 2020 no Largo 1 de maio, uma praça recentemente requalificada e que vai ser o local de acolhimento dos principais concertos (ao invés da Barão da Batalha) e que atraem sempre milhares de pessoas. O espaço é amplo e perto do novo parque de estacionamento criado na zona da Fontinha, por detrás do antigo mercado diário. Esta é uma das principais novidades do maior evento anual organizado pela autarquia, que mantém a aposta em levar a festa a todas as praças do centro histórico, tendo cada uma delas um público alvo diferenciado.

As festas são “um marco importante para o concelho e para a cidade e queremos reforçar esta dinâmica e esta atitude para colocar Abrantes no mapa no que diz respeito à nossa organização das festas”, frisou Manuel Jorge Valamatos, depois de ter feito notar que a autarquia está “a estruturar” aquelas que se pretendem sejam “as melhores festas de sempre” e de elogiar o contínuo sucesso do evento pelo “envolvimento dos funcionários do município” neste processo.

As festas de Abrantes decorrem este ano de 09 a 14 de junho com muita animação, espetáculos musicais e várias novidades, desde logo com os concertos a decorrerem no Largo 1 de Maio (Largo do Tribunal) e com a London International Gospel Choir a conferir dimensão internacional, com o concerto comemorativo do Dia da Cidade, nos Mourões. Na foto: o presidente da autarquia e três dos seus vereadores. Foto: CMA

“Tudo faremos para ter as melhores festas de sempre”, reiterou o presidente da Câmara, tendo feito notar que o concerto comemorativo do Dia da Cidade é “de dimensão internacional” e que vai ser um concerto “único no Mundo”. O autarca, no entanto, fez notar que “os abrantinos são o melhor cartaz” e apelou à união de todos para o sucesso do evento.

“Precisamos que todos os abrantinos se juntem, todos a puxar pela nossa cidade. A união faz a força e este é o momento para reafirmar e promover a nossa terra”, apelou.

O concerto comemorativo do Dia da Cidade vai decorrer na noite de 13 para 14 de junho, e centra-se uma vez mais nos Mourões, margem sul do Aquapolis, em Rossio ao Sul do Tejo, a exemplo do ano passado. O espetáculo “maior” conta este ano com a atuação do Coro Internacional de Gospel de Londres (London International Gospel Choir) e da solista Anin Rose, sendo acompanhados em palco por Rita Guerra, Héber Marques (HMB) e a Orquestra Ibérica. O final do concerto promete o habitual espetáculo extra de pirotecnia.

O Largo 1 de maio vai acolher também as cerimónias oficiais do Dia da Cidade, feriado municipal, e que este ano calha a um domingo. “As festas começam no Largo 1 de maio [no dia 9] e é onde acabam no domingo, dia 14, com as nossas gentes”, disse Manuel Jorge Valamatos.

A Praça Barão da Batalha converte-se na Praça Tradições, com o regresso das Marchas Populares, mostra de artesanato, e atuações de projetos etnográficos, ranchos folclóricos, grupos de cantares, entre outros projetos musicais e culturais. O artesanato poderá estender-se para o Largo Ramiro Guedes, onde se incluem os stands de doceiros.

A Praça Raimundo Soares, por sua vez denominada de Praça Jovem, vai contar com a atuação de bandas e dj’s, à base de talentos e produções locais.

O Jardim da República mantém-se como espaço de eleição para acolher o espaço das tasquinhas gastronómicas dinamizadas pelas associações concelhias, com um palco de apoio onde haverá também música e arraial popular.

O Largo João de Deus, por sua vez, transforma-se em Espaço Família, com espetáculos e atividades dinamizadas para crianças e famílias.

O Desporto não falta, como é habitual, no programa das Festas, sendo de destacar este ano as atividades náuticas no Rio Tejo, o campeonato Nacional Jovem de Triatlo, o Festival de Canoagem, e o Encontro Nacional do Jovem Jogador de Pólo Aquático.

As Festas de Abrantes assumem este ano a marca de Eco-Evento, com a dinamização de iniciativas de consciencialização ambiental, numa parceria com a VALNOR e os Serviços Municipalizados de Abrantes.

FESTAS DE ABRANTES 2020  – de 9 e 14 de junho

Cartaz de concertos. Sempre às 22:00:

Dia 9:  Mickael Carreira – Largo 1 de maio

Dia 10:    Bárbara Bandeira – Largo 1 de maio

Dia 11:    Os Quatro e Meia – Largo 1 de maio

Dia 12:    José Cid & Quinteto – Largo 1 de maio

Dia 13:    Héber Marques, vocalista dos HMB e Rita Guerra, Coro Internacional de Gospel de Londres, Anin Rose e Orquestra Ibérica – Aquapolis Sul – Mourões – com espetáculo pirotécnico

Dia 14:  HotPlay – tributo a ColdPlay – Largo 1 de maio

Mário Rui Fonseca

A experiência de trabalho nas rádios locais despertaram-no para a importância do exercício de um jornalismo de proximidade, qual espírito irrequieto que se apazigua ao dar voz às histórias das gentes, a dar conta dos seus receios e derrotas, mas também das suas alegrias e vitórias. A vida tem outro sentido a ver e a perguntar, a querer saber, ouvir e informar, levando o microfone até ao último habitante da aldeia que resiste.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.