Duas das marchas tiveram como tema Ferreira do Zêzere, capital do ovo em 2018 (Foto: mediotejo.net)

Centenas de pessoas a desfilar e centenas de pessoas a assistir. Foi assim mais uma edição das marchas populares de Santo António na noite de sábado, dia 9, em Ferreira do Zêzere.

Mais uma vez as coletividades mostraram empenho e brilho no vestuário, adereços, coreografia e arranjos musicais e não pouparam esforços para agradar às centenas de espectadores que se juntaram na Praça Dias Ferreira, no largo em frente à igreja e, por fim, no pavilhão 2000.

Apesar de não haver caráter competitivo, o que é facto é que os grupos, de ano para ano, revelam cada vez mais empenho nesta atividade que já se realiza há mais de 30 anos.

Este ano foram oito as marchas participantes cada uma com o seu tema alusivo à história, ao património ou à cultura local, com destaque para as referências a Ferreira do Zêzere capital do ovo, ao escritor e poeta de Águas Belas, Sá Flores e às aldeias do Concelho)

Segundo o Vereador Hélio Antunes, responsável pela área da cultura na Câmara, cada marcha tem em média 70 marchantes, o que significa a participação de mais de 500 pessoas a desfilar.

Cada marcha recebe um incentivo de 2.500 euros da Câmara como ajuda à comparticipação nas despesas. A execução dos fatos e adereços tem custos que seriam incomportáveis para as coletividades.

Para o Presidente da Câmara, as marchas populares representam “um trabalho de excelência que deve ser acarinhado e acima de tudo incentivado por todos os ferreirenses”.

Jacinto Lopes reconhece que “de ano para ano nota-se uma melhoria de qualidade e inovação”. Por isso, o autarca faz questão de enaltecer “os laços de bairrismo e de dedicação que une esta tradição, vincados e bem visíveis nas coletividades que participam, assim como os valores comunitários e dinamismo associativo que este evento promove e que a pouco e pouco vão passando para as novas gerações, fazendo com que cada edição das marchas de Santo António seja uma experiência inesquecível que fica para sempre na história de cada um em particular e para a comunidade ferreirense em geral”.

Pelas ruas da vila e pelos locais que referimos desfilaram as marchas do Rancho Folclórico Alegria Alqueidão Stº Amaro (Tema: Ferreira do Zêzere, Capital do Ovo), Associação de Melhoramentos e Bem Estar Social de Areias (Tema: O Jardim das Maravilhas), Grupo Desportivo/Rancho Folclórico e Etnográfico da Vila de Pias (Tema: O Aniversário), Sport Club Ferreira do Zêzere (Tema: Não Sei), Agrupamento do CNE 988 – Ferreira do Zêzere (Tema: Festival da Eurovisão), Associação Desportiva e Recreativa de Águas Belas (Tema: Tributo a Sá Flores, Escritor Aguabelense), Casa do Povo de Ferreira do Zêzere (Tema: Marcha do Ovo) e Sociedade Filarmónica Ferreirense (Tema: As Aldeias da Freguesia).

À esq. o Presidente da Câmara de Ribeira Grande (Cabo Verde) ao lado do Presidente da Câmara de Ferreira do Zêzere , na bancada dos autarcas e familiares (Foto: mediotejo.net)

Este ano, a assistir às marchas ao lado dos autarcas de Ferreira do Zêzere estava o Presidente da Câmara de Ribeira Grande, Cabo Verde, Orlando Delgado, Município com quem tem havido parcerias que vão culminar com um acordo de geminação.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.