Bruno Gomes e Hugo Costa na conferência de imprensa. Foto: DR

Bruno Gomes, atual vereador do PS na Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere e presidente da concelhia do partido, foi apresentado publicamente como candidato a Presidente da Câmara nas eleições autárquicas do próximo ano. Ferreira do Zêzere é apontado como um alvo prioritário e estratégico e para o PS o objetivo é claro: “ganhar a Câmara Municipal”.

O anúncio aconteceu numa conferência de imprensa conjunta da Federação Distrital, representada pelo seu líder, o deputado Hugo Costa, e a Comissão Concelhia, realizada na tarde do dia 14 na Casa do Adro Hotel.

“O Bruno é a pessoa certa no lugar certo”, começou por dizer Hugo Costa reafirmando Bruno Gomes como o candidato à Câmara, decisão que já foi ratificada pela Distrital e pela Nacional.

O deputado socialista destacou as qualidades do candidato nomeadamente o seu “percurso político, que fala por si, ao longo dos últimos anos, marcado pela proximidade, por amor a Ferreira do Zêzere” considerando Bruno Gomes como “a pessoa certa, a pessoa mais bem preparada para liderar o concelho”.

Num concelho em que o PSD sempre venceu as eleições autárquicas, Hugo Costa considera que “45 anos da mesma força política é muito tempo, é hora de mudar, as pessoas necessitam de alternativa”. Na sua opinião “o concelho precisa de mais desenvolvimento económico e de ser amigo para as empresas”.

Com 13 municípios entre 21 do distrito geridos pelo PS, Ferreira do Zêzere é apontado como um alvo prioritário e estratégico. Para o partido é objetivo claro “ganhar a Câmara Municipal”.

PS em crescendo

Na conferência de imprensa, interveio a seguir Bruno Gomes que começou por realçar as sucessivas conquistas do seu partido nas últimas eleições. Nas autárquicas de 2017 o PSD perdeu a maioria absoluta na Assembleia Municipal e conquistou quatro das sete Juntas de Freguesia. Outro feito realçado como “histórico” por ter sido a primeira vez que tal aconteceu, foram as vitórias nos últimos dois atos eleitorais, as eleições europeias e as eleições legislativas.

“Isto vem mostrar que são cada vez mais os ferreirenses a acreditar no trabalho do Partido Socialista”, sublinhou o candidato, que recordou o seu percurso político desde há cerca de 20 anos. Como deputado na Assembleia Municipal esteve 12 anos e agora está há três como vereador. Bruno Gomes considero que este caminho lhe deu “a experiência e conhecimento necessários para desempenhar, com a máxima qualidade, as funções de Presidente da Câmara”.

O candidato defende uma política de proximidade, como explanou quando falou das características que deve ter um Presidente de Câmara: “é um promotor do desenvolvimento, um conciliador, um potenciador de dinâmicas e crescimento. Ser-se Presidente de Câmara hoje, implica ter uma visão mais alargada acerca do papel absolutamente decisivo que um Município pode e deve ter. Ser-se Presidente da Câmara hoje, é ser um estratega, é ser um criador de pontes, um mediador de vontades, um afincado lutador pelo bem-estar e qualidade de vida dos seus munícipes”.

Bruno Gomes tem 36 anos. Foto: DR

“Estancar a perda de população”, “evitar a fuga dos jovens”, “fixar empresas”, criar emprego qualificado” e “criar incentivos à natalidade”, foram alguns dos objetivos apontados pelo candidato.

A nível interno, propôs-se “tornar os processos de construção e legalização das habitações e unidades de produção menos morosos, mais fáceis e mais claros”, enquanto critica os 18 anos que a câmara já leva para a revisão do PDM, demora que considera “impensável”.

A aposta em Dornes, nas praias fluviais e na dinamização do turismo foi outros dos pontos focados. Falou ainda de uma política para o associativismo, a necessidade de dinamização do Centro Cultural e de atividades culturais.

A intervenção social e educacional, a importância da Indústria Florestal, a agricultura, o comércio, o desporto e a saúde pública foram outras temáticas abordadas e que promete desenvolver e concretizar. Destacou ainda a importância das empresas, associações, instituições e Juntas de Freguesia, com quem tenciona trabalhar de forma próxima e articulada.

Como tarefa para os próximos meses, o candidato de 36 anos apontou o delinear do “melhor programa eleitoral” e a constituição das equipas para os diferentes órgãos autárquicos.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.