Joaquim Henriques no dia da homenagem. Foto: mediotejo.net

Numa cerimónia simples e num ambiente descontraído mas carregado de emoção, Joaquim Henriques ouviu palavras de congratulação pelo trabalho desenvolvido ao longo de duas décadas à frente do clube ferreirense. Uma saída por opção própria, após duas décadas de dedicação ao clube, tendo a seu lado na festa de homenagem Luís Pereira (PSD), Jacinto Lopes (PSD) e Bruno Gomes (PS), presidentes da Câmara de Ferreira do Zêzere em diferentes épocas.

Foi no mandato de Luís Pereira que, graças aos insistentes pedidos de Joaquim Henriques, se conseguiu transformar o pelado do campo de futebol num piso sintético que se traduziu numa melhoria significativa para a prática da modalidade e consequente captação e fixação de atletas.

E foi em pleno campo sintético, que na tarde de domingo, 26 de junho, se sucederam os discursos de homenagem e de reconhecimento pelo trabalho e dedicação que aquele dirigente deu ao clube, numa iniciativa que congregou antigos e atuais dirigentes do Sport Club Ferreira do Zêzere, atletas, amigos e familiares.

Abriu a série de discursos o atual presidente da Câmara, Bruno Gomes (PS), que destacou no homenageado “uma vida de muita dedicação, de muita entrega a uma associação que é uma referência no concelho de Ferreira do Zêzere, com uma dimensão muito grande”.

Intervenção do Presidente da Câmara, Bruno Gomes

Bruno Gomes reconheceu o tempo que Joaquim Henriques teve de abdicar na família e na atividade profissional para se dedicar ao clube. Para o autarca, esse trabalho tem “um valor muitíssimo grande, que já foi reconhecido na Assembleia Municipal e será também na Câmara”.

“Foram 20 anos que nos deixam muito orgulhosos e o Joaquim deixa neste clube muitas páginas bonitas e que perdurarão muito tempo na história do clube e de Ferreira do Zêzere”, realçou.

Mais do que o dirigente, Bruno Gomes destacou a importância da amizade que os une e reconheceu o apoio dado pelos seus antecessores na autarquia para o sucesso do clube.

Mais tarde, a propósito do projeto de um futuro ginásio, o presidente da Câmara revelou que ainda faltam os projetos de especialidade, deixando a garantia da sua execução durante este mandato. Por sua iniciativa, anunciou, o novo equipamento terá o nome de Joaquim Henriques.

Jacinto Lopes, anterior presidente da autarquia, falou, por sua vez, da “honra enorme” em estar ali a prestar homenagem a um dirigente “um bocadinho melga, mas no bom sentido”. Recordou as horas que passaram a falar “sempre no interesse do clube” durante os 12 anos como presidente da Câmara e já antes, como vereador do Desporto.

Intervenção do ex-Presidente da Câmara, Jacinto Lopes

“Não pedia para ele, pedia sempre para o clube”

“Todos reconhecemos o trabalho que foi efetuado. O Joaquim sai pela porta grande, com o Sport Clube na 1ª divisão em futsal, a equipa de futebol de 11 bem posicionada, numa terra como Ferreira do Zêzere, com pouco mais de 8 mil habitantes, não podemos pedir muito mais”, realçou o anterior responsável pela autarquia.

Terminou realçando os “20 anos de trabalho e dedicação” de “uma pessoa muito empática, que deixa amigos em todo o lado por onde passa”.

O antecessor de Jacinto Lopes na autarquia, Luís Pereira usou também da palavra e lembrou o “mestre Joaquim” e de como “era melga, no bom sentido”.

“Dava gosto aturá-lo, dava gosto ouvi-lo, porque ele pedia não para ele mas para o que ele entendia serem necessidades do clube. Ao mesmo tempo também compreendia que a Câmara não conseguia resolver os problemas todos”, frisou o autarca.

Intervenção do ex-Presidente da Câmara, Luís Pereira

“Ele fez muito, muito, ele lutou por este relvado, por aquelas bancadas. Parabéns, Joaquim!”, concluiu, depois de lembrar como era o concelho há 20 anos e as carências básicas que havia na altura.

O homenageado começou por fazer agradecimentos aos três autarcas presentes, aos diretores e outros membros dos órgãos sociais que o acompanharam ao longo dos 20 anos, às equipas técnicas, entre outros.

Elencou as modalidades e secções que foram sendo criadas, para além do futebol: futsal (masculino e feminino), natação, marchas populares (lembrou Adélia Bimbas, D. Aurora e atualmente Isabel Mendes), passeio de bicicletas, ginásio, motoclube (que deu origem ao atual clube motard) e a mais recente, o Trail.

Foram muitas as lembranças que Joaquim Henriques recebeu de dirigentes, atletas, seccionistas, amigos e familiares. Isto depois de contar algumas das histórias que marcaram o clube ao longo de 20 anos, nomeadamente as peripécias para construir o relvado, as bancadas e o bar.

Ao antigo treinador Alcides, ali presente com saúde fragilizada, foi entregue uma lembrança que já deveria ter sido atribuída há dois anos, mas cuja intenção teve de ser adiada devido à pandemia.

O novo presidente do Clube, Fábio Santos, eleito no dia anterior, enalteceu e agradeceu todo o trabalho do seu antecessor.

A festa terminou com o homenageado rodeado pela sua família: mulher e três filhos, cujo apoio considerou essencial para a sua missão no clube de Ferreira do Zêzere.

José Gaio

Ganhou o “bichinho” do jornalismo quando, no início dos anos 80, começou a trabalhar como compositor numa tipografia em Tomar. Caractere a caractere, manualmente ou na velha Linotype, alinhavava palavras que davam corpo a jornais e livros. Desde então e em vários projetos esteve sempre ligado ao jornalismo, paixão que lhe corre nas veias.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado.